quarta-feira, 27 de maio de 2015

Ele era motivo de chacota. Agora Botafogo faz de tudo pela permanência

Vitor Silva / SSPress
Mal acostumada com Seedorf e companhia, o torcedor do Botafogo não teve muita paciência com o aproveitamento de Sassá nos profissionais. Pressionado, o jovem atacante caiu de produção e virou motivo de chacota nas arquibancadas. Mas nada com um dia após o outro. Rebaixado para a Série B do Campeonato Brasileiro, o Alvinegro tem no atleta uma espécie de 'reserva de luxo', já que tem marcado gols em várias partidas.

Prova disso é que Sassá está valorizado no mercado, tanto que despertou interesse de um clube da China. A reviravolta obtida pelo atacante no Botafogo foi tamanha, que, se antes uma negociação para o exterior era apenas um sonho, hoje a diretoria faz de tudo para mantê-lo no elenco.

E faz de tudo mesmo. Desesperado na tentativa de não perder seu 12º jogador, a diretoria ofereceu Henrique ao time chinês. Pouco utilizado no Botafogo, o atacante não consegue emplacar, apesar das oportunidades recentes. O rendimento até melhorou, mas o alto salário aliado à falta de gols gera insatisfação no clube.

Para se ter uma ideia, Sassá tem um salário de aproximadamente 25% do que recebe Henrique. Os dois têm contrato até o fim de 2016, mas o Botafogo não tem dúvida de que quer contar é com Sassá. Se possível, negociar o Henrique o quanto antes, o que abrir espaço considerável na folha salarial.

Antes mesmo da possibilidade de perder Sassá, o Botafogo já procurava reforços para o ataque. Riascos e Neílton entraram em negociação, mas o alto salário impediu o acerto. Agora, o Alvinegro volta suas atenções para Emilliano Alfaro, com quem já tem tudo acertado, faltando apenas a liberação da Lazio-ITA, que não conta com o jogador.

Bernardo Gentile
Do UOL, no Rio de Janeiro