sexta-feira, 22 de maio de 2015

Torcedor leva tatuador a treino no DF e eterniza autógrafo de Jefferson


Idolatria sem limites: batizado em homenagem a ex-atacante alvinegro da década de 60, Roberto Oliveira agora soma 31 tatuagens do Botafogo no corpo



Até onde vai a paixão de um torcedor por seu clube e por seu ídolo? Roberto Oliveira provou que não há limites. Alvinegro apaixonado, o brasiliense, de 44 anos, aproveitou a presença do Botafogo na Capital Federal para ver de perto Jefferson, na manhã desta sexta-feira, no treino no CT do Brasiliense. Mas Roberto foi além. Ele levou contigo um tatuador e, após pedir para o goleiro autografar suas costas, Roberto eternizou, ali mesmo, a assinatura do camisa 1.

Roberto tatua autógrafo de Jefferson logo após encontrar ídolo (Foto: Marcelo Baltar / GloboEsporte.com)
- O Jefferson é maravilhoso, humilde, carinhoso, atencioso. Um ídolo não é feito de títulos. Um ídolo é feito de atitude e respeito. E isso esse cara tem pela torcida e pelo Botafogo.

A paixão pelo Botafogo é de família. O nome Roberto, por exemplo, é em homenagem ao ex-atacante, que brilhou com a camisa alvinegra na década de 60. O torcedor se emocionou e chorou ao falar do pai, que faleceu a dois anos, e batizou todos os cinco filhos com nomes de craques botafoguenses. 
 
Roberto, torcedor alvinegro, exibe suas tatuagens
no treino do Botafogo em Brasília
(Foto: Marcelo Baltar / GloboEsporte.com)
- Somos cinco irmãos: Roberto, Jair, Mendonça, Gérson e Marinho. Por isso vou ser botafoguense a vida inteira. Estou continuando a história do meu pai.

Com a assinatura de Jefferson tatuada nas costas, Roberto agora soma 36 tatuagens do Botafogo. Fotos de Nilton Santos, Maurício, Túlio Maravilha e do próprio Jefferson fazer parte do repertório. A meta é chegar a 71 tatuagens em homenagem ao clube do coração.

- É muito legal mesmo ter esse reconhecimento. Isso mostra que estamos fazendo um bom trabalho. Muito bacana – disse Jefferson, enquanto Roberto tatuava a assinatura do ídolo nas costas.

O técnico René Simões também falou sobre o carinho da torcida alvinegro em Brasília. Nesta sexta, cerca de 50 torcedores acompanharam o treino no CT do Brasiliense.

- O legal é que a torcida do Botafogo está precisando ser visitada. O Milton Nascimento já dizia que o artista tem que ir até o publico. Tanto que abri os portões para que os torcedores ficassem perto do Jefferson e dos demais jogadores. A torcida do Botafogo sofreu muito no ano passado, e as feridas ainda não cicatrizaram. Esse contato faz bem para os jogadores – desse René Simões.

Na segunda colocação, com seis pontos, o Botafogo enfrenta o Atlético-GO neste sábado, às 16h30, no Estádio Mané Garrincha, em Brasília. O GloboEsporte.com acompanha a partida em Tempo Real.

Por Marcelo Baltar Brasília/GE