sábado, 20 de junho de 2015

Após semana turbulenta, Bill passa em branco e divide opinião da torcida


Atacante desperdiça boas chances de gol em jogo contra o Boa Esporte e deixa o campo sob vaias e aplausos dos botafoguenses






Bill foi o personagem do Botafogo na última semana. Não por conta de sua atuação nos treinos ou pelo desempenho numa partida. Mas pelo fato de sua ex-mulher tê-lo acusado de ameaça de morte por conta de divergências em relação ao pagamento de pensão alimentícia do dois filhos. Portanto, a expectativa era de como o atacante atuaria contra o Boa Esporte em meio tudo isso. Mas apesar de duas boas oportunidades no segundo tempo, o camisa 9 passou em branco no empate em 1 a 1 e deixou o campo dividindo opiniões na torcida.

Antes de a bola rolar, o público mostrou apoio ao gritar seu nome. Uma manifestação que talvez tenha sido movida por solidariedade, como forma de ajudar Bill a jogar deixando de lado os problemas pessoais. Quando a bola rolou, o atacante mostrou-se mais uma vez voluntarioso, tentando se fazer presente dentro da área e ajudando muito a marcação.

Adicionar legendaBill teve semana complicada fora de campo (Foto: Vitor Silva / SSPress)
Mas quanto à tarefa de marcar gols, não foi dia de Bill. Na segunda etapa ele teve duas ótimas chances de marcar e sair do Estádio Nilton Santos como o herói de uma possível vitória de virada. Aos 19 minutos o atacante recebeu passe de Diego Jardel dentro da grande área e, meio desequilibrado, chutou cruzado para fora, à direita do goleiro do Boa Esporte. Dois minutos depois novamente recebeu bom toque, dessa vez na marca do pênalti, e girou para uma conclusão que também saiu pela linha de fundo.

Aos 28 minutos, Bill foi substituído por Henrique. Ao deixar o campo, o camisa 9 foi cumprimentado pelo técnico René Simões enquanto ouvia vaias e aplausos dos quase 5 mil torcedores presentes ao Estádio Nilton Santos. Do banco de reservas assistiu ao jogo até o final e, ao descer para o vestiário, respondeu com um sinal de positivo ao apoio de uma parte do público.

Após a partida, o técnico René Simões lamentou as chances desperdiçadas:

- Tivemos 13 finalizações, sendo que quatro dentro da área. E essas você tem que matar.

Faltam 19 gols para que Bill cumpra a meta de fechar a temporada com 30. Mas para a bola voltar a entrar, o centroavante, como se vê, terá de superar algo além das defesas adversárias.

Por Gustavo Rotstein Rio de Janeiro/GE