quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Cidinho e Jeferson Paulista lamentam e contestam afastamento no Botafogo


Ex-xodó de Seedorf se diz totalmente recuperado de lesões, enquanto meia contesta o fato de o clube ter vetado empréstimo para a Portuguesa, mas não lhe dar chances



Foi com surpresa que alguns jogadores receberam o afastamento do elenco principal do Botafogo. Nesta segunda-feira, Andreazzi, Cidinho, Jeferson Paulista, Sidney e Milton Raphael foram comunicados pela direção que, por ora, não estão nos planos e passarão a treinar com o grupo 2, que reúne atletas não aproveitados pelo clube.

A maioria recebeu a notícia com espanto e interrogações. O meia Jeferson Paulista, por exemplo, teve proposta recente para jogar a Série C do Campeonato Brasileiro pela Portuguesa. O negócio esteve perto de ser concretizado, mas no último momento foi vetado pelo Botafogo, que planejava que o clube paulista pagasse integralmente os salários do atleta. Ainda sem disputar uma partida no ano pelo Botafogo e agora afastado do elenco principal, Jeferson contestou a decisão da diretoria alvinegra.

- Fico chateado. Estava buscando meu espaço, evoluindo e esperando por uma oportunidade. Tive proposta para sair, mas eles barraram e até hoje não sei o motivo. Achei que fosse porque acreditavam em mim, mas com essa notícia... Lá (na Portuguesa) eu poderia estar jogando. Seria bom para mim e para o Botafogo. Acredito no meu potencial e sei que posso dar a volta por cima. Ainda acho que posso ajudar o Botafogo, mas, se não for aqui, que seja em outro clube. Quero jogar para provar o meu valor – lamentou Jeferson Paulista, que contestou as declarações de René Simões e do presidente Carlos Eduardo Pereira, que insinuaram que ele teria problemas extracampo.

Jeferson Paulista Botafogo (Foto: Vitor Silva / SSPress)

- Não tenho problemas. Nem físicos, nem de relacionamentos. Sou um cara tranquilo, sou caseiro, não bebo. Estava sim fazendo um trabalho com o coaching Paulo Serrano (que saiu com René Simões), mas era para não perder o foco, para ter paciência e esperar pela oportunidade. Não entendi essas declarações - disse Jeferson Paulista.


Cidinho: "Estou completamente recuperado"

Joia da base do Botafogo e xodó de Seedorf no período em que o holandês esteve no clube, Cidinho, 22, está há mais de dois anos envolvido com lesões. O meia, que só esteve em campo uma vez na temporada, não entendeu o afastamento logo no momento em que ele garante estar totalmente recuperado dos problemas físicos.

- Obviamente não estou feliz, mas sou empregado do Botafogo e respeito a decisão da comissão. Acredito que eu tenho totais condições de ajudar, de ser titular do Botafogo, e é ruim ver isso se distanciando sem que eu tenha chance de mostrar em campo. Mas bola para frente. Já superei coisas muito piores. Vou tentar me motivar para reverter essa situação nos treinamentos. É o que está ao meu alcance. Já estou completamente recuperado do último problema que tive. Minha meta agora era usar os próximos treinamentos para cavar meu espaço no time. Não esperava por isso justamente nesse momento que estou bem fisicamente outra vez, é um baque, mas confio que vou dar a volta por cima e muito ainda o que falar. Espero que seja aqui no Botafogo, mas se não houver condições, eu também tenho que procurar o que seja melhor para o meu futuro - frisou Cidinho.

Cidinho Botafogo (Foto: Vitor Silva / SSPress)
Empresário critica direção

Não foram somente os atletas que foram pegos de surpresa com o afastamento dos cinco jogadores. Paulo Ricart, empresário de Jeferson Paulista, afirmou que o meia abriu mão de vários benefícios para ficar no Botafogo e não entendeu o afastamento poucas semanas após o clube ter recusado uma proposta da Portuguesa. Com a decisão, Jeferson negocia para disputar a Série A por uma equipe catarinense.

- Ele não teve oportunidades. O Ricardo Gomes não teve nem tempo de observar o garoto. Estava tudo certo com a Portuguesa, onde ele teria espaço para jogar, mas decidiram segurá-lo. O Jeferson ficou porque sabe do carinho do torcedor do Botafogo. São cinco meses de salários, férias e FGTS atrasados (referentes ao ano passado). A maioria dos jogadores procurou o caminho da Justiça, mas o Jeferson abriu mão dessa situação e não teve sequer uma oportunidade no time - lamentou Paulo Ricart.

Em participação no programa "Seleção SporTV", nesta terça-feira, o presidente Carlos Eduardo Pereira revelou que o afastamento de Andreazzi e Cidinho, que voltam de lesões, não são definitivos. Por outro lado, os demais jogadores devem seguir outros caminhos.

- O Andreazzi tem sofrido com muitas contusões desde o começo do ano. Ele retornou contra o Macaé, jogou a partida inteira e em seguida se contundiu de novo. O Cidinho está em fase de recuperação, mas também sofrendo com contusões. O que a gente observou é que se eles recebessem o mesmo tipo de atenção do grupo não conseguiriam fazer um processo de recuperação adequado. Tanto o Andreazzi como o Cidinho vão receber uma atenção e um preparo direcionado para a solução dos problemas físicos que eles vêm apresentando. - No caso do Jeferson Paulista, esperamos que ele consiga superar alguns problemas. O Sidney está disponível para uma negociação, um empréstimo – explicou o presidente alvinegro.


Cidinho, Jeferson Paulista, Andreazzi, Sidney e Milton Raphael devem começar a treinar no grupo 2 nesta quarta-feira.

Por Gustavo Rotstein e Marcelo BaltarRio de Janeiro/GE