sábado, 22 de agosto de 2015

De oposição a parceiro: Como um velho conhecido voltou a ajudar o Botafogo?



Satiro Sodré/SS Press


Derrotado nas últimas eleições, Carlos Augusto Montenegro está de volta ao Botafogo. Não, não há um cargo ou alguma função específica. Apenas um acordo de cavalheiros com o presidente Carlos Eduardo Pereira. O mandatário campeão brasileiro de 1995 está disposto a ajudar. Mais do que isso. Ele se sente na obrigação de ajudar. Mas como?

Basicamente com aporte financeiro. Líder de um grupo de botafoguenses ilustres, Montenegro tem o que o Botafogo precisa: dinheiro. Ainda mais em uma temporada complicada como a atual. Após perder alguns jogadores e ver seu elenco enfraquecer, o Alvinegro terá novidades com a ajuda do ex-presidente.

E isso só não ocorreu até agora porque o Botafogo trocou de treinador recentemente e ainda espera uma avaliação do técnico Ricardo Gomes sobre elenco para traçar os alvos necessários para reforçar o elenco.

"Estou fazendo o que sempre faço. Falar com prefeito, levantar uma grana. O que precisar. Eu não consigo não ajudar. Mas desde que seja necessária. Gosto de ser útil quando as coisas estão ruins, como foi há algumas semanas. Agora as coisas estão melhorando", disse Montenegro ao UOL Esportes.

"O elenco foi embora. Tinham clausulas. Jogadores [Gilberto e Rodrigo Pimpão] que apareceram e depois foram embora. Não tem como segurar. Ofereci ajuda para trazer um bom jogador. Queria o Danilo e me ofereci a pagar salários, já que há um teto. Acabou não vindo. Quando quiserem é só me chamar que ainda quero ajudar", concluiu o ex-presidente do Botafogo.

Após algumas rodadas de instabilidade, o Alvinegro voltou a se firmar na parte de cima da Série B. Vice-líder com 36 pontos, o Botafogo recebe neste domingo, às 11h, o Paysandu. Todos os 25 mil ingressos forma vendidos, o que deixará o Engenhão lotado pela primeira vez após interdição, em março de 2013.

Bernardo Gentile
Do UOL, no Rio de Janeiro