quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Menos vazado, mas com vacilos: Bota sofre mais de um gol em só dois jogos


Contra o Paysandu, no domingo, defesa bobeou e levou três gols. Antes, apenas contra o Macaé, na 9ª rodada da Série B, o Alvinegro havia tomado tantos gols





Thiago Carleto é um dos jogadores que recebe
 críticas da torcida. Nesta terça, ele falou a respeito
 (Foto: Luciano Belford / SSPress)
No domingo, contra o Paysandu, o Botafogo repetiu um feito atípico, mas negativo: sofreu mais de um gol em uma partida na Série B. No Estádio Nilton Santos, foram três vezes em que o adversário balançou a rede. Antes, apenas o Macaé havia conseguido tal feito, marcando quatro vezes, na 9ª rodada, no fim de junho, no Moacyrzão. Nos dois casos, o Botafogo perdeu - 3 a 2 e 4 a 2, respectivamente.


Apesar da derrota no final de semana, o Alvinegro continua tendo a defesa menos vazada do campeonato - tem apenas 15 gols sofridos; depois, vêm Vitória e Bahia, com 18. À exceção dos dois jogos citados acima, o Botafogo nunca sofreu mais de um gol nesta Série B. Mesmo assim, o setor anda deixando o torcedor na bronca. E com razão. Os últimos gols sofridos vieram em vacilos. E os próprios jogadores e técnico admitem.

Bota sofreu um gol contra:
Botafogo 4x1 CRB (2ª rodada)
Paraná 1x2 Botafogo (5ª rodada)
Bota 1x1 Boa Esporte (8ª rodada)
Bragantino 1x0 Bota (12ª rodada)
Bahia 1x1 Botafogo (14ª rodada)
Santa Cruz 1x0 Bota (17ª rodada)
Botafogo 3x1 ABC (18ª rodada)
América-MG 1x2 Bota (19ª rodada)

Bota sofreu mais de um gol:
Macaé 4x2 Botafogo (9ª rodada)
Bota 2x3 Paysandu (20ª rodada)


- É claro que tivemos erros defensivos. Foram três vacilos. Temos que melhorar. Não é só o Carleto, é todo o sistema defensivo. Vamos trabalhar e padronizar nossa defesa. Vai melhorar. Foi todo o lado esquerdo: Diego Giaretta, Carleto e Serginho. Estamos começando um trabalho. Isso tem um peso - disse Ricardo Gomes, após a derrota para o Paysandu.


Os três gols do Paysandu surgiram pelo lado esquerdo de defesa do Botafogo (veja os melhores momentos abaixo). No primeiro gol, Jonathan ganhou do marcador que tentou o desarme pela lateral do campo. Depois, Yago Pikachu foi mais rápido que Giaretta na área e tocou na saída de Jefferson. No segundo gol, apenas dois minutos depois, Thiago Martins recebeu lançamento absolutamente sozinho na área, em erro coletivo. O terceiro foi marcado de contra-ataque por Jhonnatan, e a torcida alvinegra nem pode comemorar direito o gol de Daniel Carvalho, marcado um minuto antes, acreditando em uma reação.


Nesta terça, Thiago Carleto desabafou. Pediu para falar com a imprensa após o treinamento. Rebateu os críticos sobre suas atuações.


- É claro que entendemos os torcedores, até por termos perdido uma partida da maneira que foi. Dói. O Botafogo iniciou o jogo pressionado, estava muito calor, e sofremos os gols. Aí é fácil apontar o dedo. É muito fácil criticar o Daniel Carvalho, por exemplo. Quando a gente ganha, está tudo maravilhoso. Quando perdemos, ele está gordo, o Luis Henrique não serve, a zaga é ruim, o Carleto é uma m... - falou.




Ele também tratou de defender a defesa alvinegra. Utilizou como argumento que é o time que menos sofreu gols no campeonato até agora, e que a partida de domingo foi atípica.


- Nossa defesa é a menos vazada da Série B. Foi um jogo atípico contra o Paysandu. Temos uma defesa sólida, que sofre poucos gols. E além de tudo, quando passam, ainda tem o melhor goleiro do Brasil lá atrás para segurar. Nossa equipe merece alguns méritos - completou.


Na última semana, antes do confronto com o Paysandu, o Botafogo, porém, já tinha consciência de que precisava melhorar o setor defensivo. Diego Giaretta apontou que a equipe estava tomando muitos gols de bola aérea, de cabeça. Foi assim no gol marcado por Thiago Santos, pelo América-MG - cruzamento de Henrique Santos -, no marcado por Grafite, pelo Santa Cruz - cruzamento de João Paulo -, e no de Kieza, pelo Bahia - cruzamento de Adriano.


Esse fundamento foi corrigido ao longo da última semana de trabalho, com treinos específicos. Contra o Paysandu, nenhum gol de cabeça. Mas a marcação falhou.


- O treino de hoje (quarta-feira passada) foi bem específico, mais do setor defensivo. Trabalhamos a questão das linhas, não abrir muito, estar sempre próximos. Estamos tomando muito gol de cabeça, de cruzamento, algo que não vinha acontecendo. Contra o Santa Cruz foi assim, contra o América-MG e o Bahia também... É uma questão que precisamos atentar, assimilar, aprender e evitar que volte a acontecer - explicou Giaretta, na ocasião.


Assim como na última semana, o Botafogo novamente terá o período completo para treinar e corrigir os erros - não há jogo no meio da semana. O grupo se reapresentou nesta segunda-feira e volta a atuar apenas na sexta, contra o CRB, no Estádio Rei Pelé, em Maceió. Em caso de vitória, reassume a liderança da Série B.

Por GloboEsporte.com Rio de Janeiro/GE