quarta-feira, 9 de setembro de 2015

Bota descarta punição pesada a Arão: "Não vamos dar essa felicidade ao Fla"


Presidente nega suspensão por ato de indisciplina, cutuca interesse do rival e revela dificuldades na renovação: "Quem parece não ter o interesse é o pai dele"




O Botafogo ainda estuda uma punição para o ato de indisciplina de Willian Arão após a vitória sobre o Paraná, mas o certo é que ela não será pesada. Um advogado trabalhista está auxiliando no caso, e é provável que Arão receba uma carta de advertência.


No entanto, o Botafogo descartou, nesta quarta-feira, suspender ou até mesmo rescindir o contrato do volante, que reclamou no vestiário do fato de o bicho da partida do Vitória não ter sido pago com dinheiro vivo.


- Não vamos dar essa felicidade ao Flamengo – provocou o presidente Carlos Eduardo Pereira, em alusão à proposta do rival carioca, que espera contar com o jogador a partir de 2016. 

Botafogo ainda estuda punição ao volante por atitude de indisciplina (Foto: Vitor Silva/SSPress)

A indisciplina de Willian Arão se deu justamente quando o jogador vive um impasse na negociação de renovação de seu contrato com o clube. Com vínculo até o fim do ano, o jogador tem proposta do Flamengo, além de sondagens de Palmeiras e Cruzeiro. O Botafogo já apresentou uma oferta de renovação, mas o Rubro-Negro acenou com um salário três vezes maior do que recebe Arão atualmente. As negociações vêm sendo conduzidas por Flávio Arão, pai do atleta e, aparentemente, estão longe de um desfecho.


- A atitude de Willian Arão não muda nosso interesse em mantê-lo. Quem parece não ter o interesse é o pai dele – afirmou o presidente, ressaltando que as negociações com o empresário vêm sendo conduzidas por Cacá, vice de futebol.


Nesta quarta, em entrevista ao GloboEsporte.com, Willian Arão garantiu não ter acordo com qualquer clube e afirmou ter interesse em renovar com o Botafogo.


- Não fico preocupado de o que aconteceu ontem se volte contra a mim. Sei que é difícil agradar a todos, mas sei do trabalho que estou fazendo, algo que a torcida reconhece. Se estivesse de corpo mole eu não estaria me doando em campo e tiraria o pé das divididas. Meu pai e eu nunca falamos que existia algo acertado com outro clube e sempre deixei claro que pretendo ficar no Botafogo. Não posso controlar as especulações, mas da minha boca nada foi dito – disse o jogador.


O Botafogo aposta em uma cláusula de prioridade para estender o contrato por mais dois anos. Caso a exerça, Willian Arão só poderia sair com o pagamento de multa rescisória. A questão salarial, no entanto, é o ponto de discórdia. Com ofertas superiores, o volante espera ser valorizado pelo Botafogo.

Por Marcelo Baltar Rio de Janeiro/GE