sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Jobson retira queixa contra sauditas, e defesa concentra agora ação na Fifa


Advogado afirma que existe expectativa de manifestação da entidade na próxima semana sobre julgamento de efeito suspensivo para atacante




Jobson nos tempos de Botafogo: expectativa de novidades
 nas próximas semanas (Foto: Vitor Silva / SSPress)
Em meio a um deserto de informações sobre o futuro deJobson, uma novidade surgiu nos últimos dias. O atacante retirou o recurso que movia contra a Federação Saudita de Futebol, que ainda no ano passado decidiu suspendê-lo por quatro anos, sob acusação de ter se recusado a fazer exame antidoping em 2014. Jobson havia acionado a entidade junto à Corte Arbitral do Esporte (CAS), mas decidiu recuar, sem que, entretanto, isso represente uma desistência de derrubar a punição. Trata-se de mudança de estratégia.


LEIA TAMBÉM:Com futuro em aberto, Jobson muda rotina e garante: "Me cuidando"


Federação Saudita de Futebol, Comitê Olímpico da Arábia Saudita e Comitê Antidoping da Arábia Saudita emitiram um comunicado informando que foi retirada a queixa do jogador junto ao CAS. Ele segue suspenso, já que a Fifa deu validade mundial à pena inicialmente imposta pelos sauditas, que começou a ser aplicada em abril.

Documento da Federação Saudita anuncia que
Jobson retirou ação junto ao CAS (Foto: Reprodução)
- O que foi encerrado foi o caso no tribunal da Arábia Saudita, que foi a nossa apelação contra a suspensão dele no país. A partir do momento em que a Fifa deu expansão mundial à suspensão, achamos melhor focar em uma frente. Nessa, continuamos trabalhando e aguardando. A expectativa é que nas próximas semanas seja julgado o pedido de efeito suspensivo - explicou o advogado Bichara Neto, um dos responsáveis pela defesa de Jobson.


A partir de agora, os advogados de Jobson, que dividiam a defesa em duas frentes – Federação Saudita e Fifa – poderão se concentrar em uma. Paralelamente, há outras manifestações que tentam mobilizar o Comitê de Apelação da entidade. Recentemente o Botafogo enviou um ofício manifestando o desejo de firmar um contrato com Jobson assim que for homologada a sua liberação. Já o Sindicato dos Atletas Profissionais do Rio de Janeiro (Saferj) acionou a Federação Internacional dos Atletas Profissionais (FifPro) para salientar à Fifa os malefícios da suspensão para carreira e vida pessoal do atacante.


A suspensão aplicada pela Fifa partiu da pena imposta pela Federação Saudita de Futebol, que acusou Jobson de se recusar a passar por exame antidoping quando defendia o Al Ittihad, em 2014. Pouco antes o jogador havia acionado o clube judicialmente, reclamando de salários atrasados. Ele chegou a ter seu passaporte retido, sendo, assim, impedido de deixar o país.

Por Gustavo Rotstein e Marcelo Baltar Rio de Janeiro/GE