sexta-feira, 23 de outubro de 2015

Bota busca solução amigável, mas tem trunfo por Arão: multa de R$ 20 mi


Contrato prevê prorrogação do vínculo por mais dois anos caso clube pague R$ 400 mil por direitos. Ciente do interesse do Flamengo, diretoria tenta acordo com o volante



Atento ao interesse de outros clubes – sobretudo do Flamengo -, o Botafogo observa a movimentação dos adversários, busca a renovação amigável, mas tem uma carta na mão por Willian Arão: multa de R$ 20 milhões.

Em janeiro, Willian Arão assinou com o Botafogo até o fim da Série B. O GloboEsporte.com apurou que o contrato prevê, caso haja interesse do clube, renovação automática por por mais dois anos (até o fim de 2017). Desde que, o Botafogo desembolse R$ 400 mil para adquirir 70% dos direitos econômicos do volante. Uma vez o contrato renovado, o valor da multa rescisória passaria a ser de R$ 20 milhões.

- Poderá o contratante exercer a opção de adquirir mais 20% (além dos 50% já estabelecidos no primeiro contrato) desses direitos junto ao atleta por R$ 400 mil. Havendo o exercício do Botafogo pela referida opção de aquisição, Botafogo e atleta formalizarão por mais dois anos um novo vínculo contratual – diz um trecho do contrato, que ainda estabelece um aumento salarial gradual ao jogador, além da multa rescisória. 

Willian Arão é alvo de cobiça de outros clubes (Foto: Vitor Silva / SSPress)

Até então pouco badalado, Willian Arão chegou ao Botafogo com um salário relativamente baixo para os padrões do futebol carioca. Com o bom desempenho no Estadual o atleta teve um aumento considerável e passou a receber valor próximo ao teto estipulado pelo clube. No entanto, as boas atuações não demoraram a despertar o interesse de outros times brasileiros.

Cruzeiro e Palmeiras procuraram Willian Arão, mas o Flamengo foi quem mais avançou. O clube carioca acena com um salário quase três vezes maior do que o atual, além de luvas. Ciente do interesse do rival, o Botafogo tenta resolver a situação de forma amigável e negocia diretamente com o pai do jogador, Flávio Arão.

- Nenhum clube nos comunicou sobre qualquer pré-contrato. Temos a opção de compra e temos um prazo até o fim do contrato para exercê-la. Mas quereremos que o atleta fique no clube amigavelmente, por vontade própria. Mas temos essa opção prevista em contrato. O Botafogo já se manifestou verbalmente. Temos ótima relação com o atleta e com o pai dele. Temos muita confiança de que o Willian Arão ficará no Botafogo – disse o presidente do Botafogo, Carlos Eduardo Pereira.

Há pouco mais de um mês, Carlos Eduardo Pereira revelou que estava encontrando dificuldades para entrar em contato com o pai de Arão. A relação entre as partes, que andou estremecida, melhorou recentemente. Ciente de que a proposta do Flamengo despertou o interesse de atleta, o Botafogo busca uma solução viável financeiramente que agrade o jogador sem que precise exercer a opção de compra prevista no contrato. Até porque a vontade de Arão pode pesar em uma negociação.

- Eu prefiro não falar nessa hipótese. Vai dar tudo certo. O atleta gosta do Botafogo, a torcida gosta do Arão. E nós estamos muito satisfeitos com o desempenho dele - frisou o dirigente.

A renovação com Willian Arão é uma das prioridades do Botafogo. O clube, inclusive, reservou parte da primeira parcela pela venda de Dória para exercer a opção de compra. Até para não se desgastar internamente, o volante vem evitando falar sobre o assunto. Na última vez que falou, no entanto, deixou o futuro no ar..

- Em 2016, só Deus sabe.

Por Eduardo Peixoto, Gustavo Rotstein e Marcelo Baltar Rio de Janeiro/GE