sábado, 7 de novembro de 2015

Ricardo Gomes lamenta chances perdidas em Criciúma: "Era dia do não"


Derrota para o Criciúma impede acesso do Botafogo na rodada


As três bolas que bateram na trave do Criciúma fizeram o técnico Ricardo Gomes lamentar bastante. Após a derrota por 1 a 0 para o Criciúma, neste sábado, em Santa Catarina, o treinador aprovou o volume de jogo da equipe, embora o acesso à Série A tenha sido adiado. Para subir o Alvinegro teria de ter vencido.





- Principalmente no primeiro tempo, fizemos tudo o que pretendíamos, mas a bola não entrou. No segundo tempo começamos de forma diferente, mas mesmo depois do gol do Criciúma, conseguimos criar chances gol. Mas infelizmente era o dia do não - disse Ricardo Gomes.


A equipe lidera a Série B com 65 pontos. Para subir, precisa vencer o Luverdense na próxima terça-feira, às 21h30 (horário de Brasília), em Lucas do Rio Verde-MT.

Ricardo Gomes viu o acesso ser adiado (Foto: FERNANDO RIBEIRO/ESTADÃO CONTEÚDO)

Os demais tópicos da entrevista:

Sobre o time
Nós tivemos chances de matar o jogo no primeiro tempo. O Criciúma melhorou muito no segundo, mostrou suas qualidades com um quarteto ofensivo perigoso. Sinceramente, foi um bom jogo, bem jogado e com chances para todos os lados. Mesmo depois de sofrermos o gol nós criamos oportunidades. Temos que assimilar e partir para a próxima.


Gol do Criciúma
Não foi desatenção. Foi um contra-ataque bem executado pelo Criciúma.


Ansiedade atrapalhou?
Não foi o caso. O jogo foi bem jogado, e o Criciúma voltou melhor no segundo tempo. Vamos trabalhar para acabar com essa história na próxima partida.


Análise do time
Temos que nos preparar para o próximo jogo. Mesmo com a derrota, o Botafogo jogou bem. Se continuar jogando bem, não tem susto. Esse é o nosso padrão. Claro que não foi perfeito, porque no início do segundo tempo tivemos dificuldades. Mas não tem preocupação.


Jefferson ir para a Seleção sem a vaga na Série A

É uma pena. Por tudo o que ele fez, merecia voltar com o acesso.


Bola de Ronaldo nas duas traves
Infelizmente era o dia que não era para ser. Não é a primeira vez que vejo isso no futebol. É raro, mas acontece.

Por Gustavo Rotstein Criciúma, SC/GE