segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Sem resposta por Navarro, Botafogo avança em negociações por atacantes


Clube aguarda contraproposta de empresário há três semanas e trabalha no mercado sul-americano. Agente promete posição em breve e questiona situação de Bazallo




A negociação que parecia encaminhada tornou-se uma incógnita. O Botafogo aguarda, sem muita paciência, uma posição do empresário Gerardo Cano sobre Álvaro Navarro. Há mais de três semanas o clube espera pela resposta da proposta enviada ao agente. Ainda sem definição, a diretoria já trabalha com a possibilidade de perder seu artilheiro e, até por isso, está atenta ao mercado. Dois centroavantes têm negociações adiantadas. Um deles é estrangeiro.


Em outubro, Gerardo Cano e Botafogo tiveram um encontro no Rio de Janeiro. Na ocasião, o tema foi o salário de Navarro. A pretensão de valor por parte do agente era superior à projetada pelo clube. Dias depois, uma proposta foi enviada a Cano.

- Realmente estou devendo a contraproposta. Mas estou tranquilo, porque a minha ideia é que o Navarro siga no Botafogo, caso a situação econômica seja conveniente. Imagino enviar uma contraproposta até quarta-feira,ao Botafogo, de acordo com a realidade de um camisa 9 goleador no mercado. O Navarro chegou ao Botafogo sem grandes expectativas, mas provou ser um grande jogador - disse o empresário Gerardo Cano, que está no Uruguai. 

Álvaro Navarro marcou nove gols pelo Botafogo (Foto: Vitor Silva / SSPress / Botafogo)

Apesar da aparente vontade do atleta em permanecer no clube, o Botafogo teme que a demora se dê pelo fato de o empresário estar ouvindo outras propostas, uma vez que o atacante está valorizado, após marcar nove gols na Série B. Gerardo Cano garante que esse não é o caso.

- É normal o interesse em um camisa 9 que marca dois, três gols por partida. Hoje, isso é algo raro no futebol mundial. Alguns clubes já sondaram para saber a situação do Navarro, mas nada além disso. Não há nada encaminhado com ninguém. Vamos primeiro conversar com o Botafogo, nos próximos dias, para resolver se ele fica e se ele sai - frisou Cano, que deve viajar ao Rio de Janeiro na próxima semana.

O tempo de contrato é consenso na negociação. Ambas as partes trabalharam para fechar acordo válido até dezembro de 2017. O impasse ainda é a questão salarial. Quem conduz as negociações por Navarro são o presidente Carlos Eduardo Pereira e o diretor jurídico Gustavo Noronha. Os dois foram os responsáveis pela contratação do atacante. 

Bazallo: cinco meses de treino e nenhum jogo pelo Botafogo (Foto: Vitor Silva/SSPress)

Situação de Bazallo incomoda

Enquanto a situação de Navarro parece longe de uma definição, uma outra incomoda Gerardo Cano. Também empresário de Gonzalo Bazallo, o agente não entende o fato de o volante não ter recebido oportunidades. No clube desde julho, o uruguaio foi relacionado poucas vezes e ainda não entrou em campo com a camisa do Botafogo.

- É muito estranho. O Bazallo merecia ao menos uma oportunidade para ser avaliado pela diretoria, pela comissão técnica e pela imprensa. Jogador uruguaio demonstra suas qualidades dentro de campo, nos jogos. Um jogador não pode ser avaliado apenas pelos treinos. O Bazallo está treinando há quase seis meses, mas não teve uma chance. Ninguém acreditava no Navarro também, mas ele provou em campo. Se fosse pela diretoria, o Navarro não estaria no Botafogo. Quem acreditou nele foi o presidente - desabafou Cano.

O sucesso de Navarro no Botafogo inspira a diretoria a buscar novos nomes no mercado sul-americano. Um deles é argentino Emialiano Vecchio. O meia de 27 anos joga no Colo-Colo, do Chile.

 

Por Gustavo Rotstein e Marcelo Baltar Rio de Janeiro/GE