quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Ex-jogadores do Botafogo em 2015 se mobilizam para cobrar clube na Justiça


Catorze integrantes do elenco campeão da Série B alegam dívidas e criam grupo de "WhatsApp" com presença de advogado e dirigente. Alvinegro nega pendência salarial






Após os casos Willian Arão e Henrique Almeida, o Botafogo pode ser acionado mais uma vez na Justiça, agora por um grupo de ex-jogadores. Depois de serem campeões da Série B do Campeonato Brasileiro de 2015, 14 dos 17 integrantes do elenco que saíram no final do ano passado estão se mobilizando para acionar o clube e cobrar dívidas referentes a salários atrasados, férias e premiações pelo título da Segunda Divisão e do vice do último Carioca. Eles já procuraram um advogado especialista, João Chiminazzo, e chegaram a criar um grupo de "WhatsApp" incluindo um membro da diretoria, que segundo os atletas só visualiza as mensagens, mas não responde. A ação, porém, não deve ser coletiva, mas sim individual.

Jogadores na comemoração com a taça da Série B: 17 saíram do clube após título (Foto: Vitor Silva / SSPress/Botafogo)

- Teve um pessoal que me procurou, eles montaram aqui um grupo de "WhatsApp" e tudo mais para tirar algumas dúvidas e queriam dar uma pressionada na diretoria, porque de fato não receberam algumas coisas do Botafogo. Salário de novembro, aí dezembro depende até quando ia o contrato de cada um, 13º, férias... Eles me procuraram para ver se eu conseguia dar uma força para eles ou não - explicou Chiminazzo, que vai representar alguns desses jogadores, mas está dando suporte a todos neste primeiro momento.


Na visão do grupo, o Botafogo deixou de se responsabilizar em pagar os salários quando o retorno à Série A já estava garantido - o Alvinegro assegurou o acesso ao vencer o Luverdense no dia 10 de novembro. Outro fator que causou revolta por parte desses jogadores foram os R$ 400 mil pagos pelo clube para tentar renovar com Willian Arão, quantia que acabou sendo devolvida pelo volante que se transferiu para o Flamengo. O valor é exatamente o mesmo do acordado como premiação a ser repartida para todo o elenco pelo título da Série B. Agora eles se perguntam: para onde foi esse dinheiro? Um objeto de estudo entre eles é como cobrar judicialmente uma premiação, já que não é algo previsto na carteira ou no contrato.

Foram e estão quitados, não
existe atraso de salários"

Domingos Fleury, vice jurídico do Botafogo


Questionado sobre como o clube poderia se defender se essas ações forem adiante, o vice-presidente jurídico alvinegro, Domingos Fleury, mostrou-se tranquilo e negou que haja qualquer dívida salarial com qualquer atleta.


- Foram e estão quitados, não existe atraso de salários. Premiação não sei dizer.


Em busca de quitar ou parcelar suas dívidas para conseguir as Certidões Negativas de Débito, o Botafogo começou a semana com a expectativa de pagar os salários do atual elenco referentes a dezembro, parte do 13º e férias e começar o Carioca rigorosamente em dia. Consultado, o presidente Carlos Eduardo Pereira ainda não confirmou o pagamento na última terça-feira. Em meio à crise no país, o clube vive dificuldades na captação de patrocínios - o último patrocinador master do uniforme foi a "Guaraviton" no início de 2015. Um acerto com a "Caixa Econômica Federal" esteve encaminhado, segundo o GloboEsporte.com apurou no valor de R$ 17 milhões, mas o banco desistiu do investimento na semana passada.


Por Marcelo Baltar e Thiago Lima/Rio de Janeiro/GE