segunda-feira, 28 de março de 2016

Ascensão de Ribamar, queda de Luís Henrique: joia perde espaço no Bota


Titular durante a primeira fase do Carioca e autor de dois gols, atacante de 18 anos completa o terceiro jogo seguido no banco e segue sem estrear na Taça Guanabara



Sempre relacionado, Luís Henrique tem ficado no
banco e não estreou na Taça GB (Foto: Botafogo)
Botafogo atrás do placar, precisando de um gol para empatar o jogo com o Vasco, e Ricardo Gomes com uma última substituição por fazer. O treinador resolveu usá-la aos 32 minutos do segundo tempo, e o escolhido para ocupar a vaga de Rodrigo Lindoso foi Gervasio "Yaca" Núñez, mesmo tendo Luís Henrique como opção no banco. As alterações - antes já haviam entrado Neilton no lugar de Gegê e Renan Fonseca no do machucado Emerson -, não surtiram efeito. Depois da derrota por 1 a 0, o técnico foi questionado em entrevista coletiva do motivo pelo qual preteriu o centroavante de 18 anos para apostar em um meia-atacante àquela altura da partida. Ele alegou que foi apenas uma opção tática.


- O Vasco estava bem atrás. Se coloco mais um atacante, vai ajudar a organização defensiva do Vasco. Precisava abrir mais o time, mesmo assim não tivemos sucesso - explicou o comandante.


Fato é que Luís Henrique completou seu terceiro jogo sem sair do banco e caminha na contramão de Ribamar. Enquanto o seu companheiro de mesma idade vai aproveitando a brecha e ganhando cada vez mais destaque no time titular, o atacante avaliado em R$ 60 milhões vai perdendo espaço após ter sido titular em seis das oito rodadas da primeira fase do Carioca. Na etapa anterior do estadual, o jovem atuou por 486 minutos e marcou dois gols, sendo um o da vitória sobre o Resende no Raulino de Oliveira. Os dois garotos já chegaram a formar o ataque juntos, mas desde que Salgueiro se firmou na equipe a reedição da dupla ficou improvável. Em conversa com pessoas próximas, Luís se mostra tranquilo em relação ao seu momento pessoal, garante não estar acomodado com o banco e acredita que sua hora vai chegar de novo.

Luís Henrique em disputa de bola com Rodrigo, só que no primeiro Vasco x Botafogo, no empate por 1 a 1 do dia 28 de fevereiro. Ribamar foi o adversário da vez do zagueiro vascaíno no último domingo (Foto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br)

Luís Henrique surgiu como um meteoro no segundo semestre de 2015 e, de lá para cá, entrou em campo 25 vezes e marcou seis gols - média de 0,24 por jogo. Avaliado como extremamente promissor, o atacante conta com a cautela da comissão técnica para não ser "queimado" - inclusive, um camisa 9 mais experiente ainda está nos planos do clube. Apesar de o momento pessoal não ser bom, a diretoria vem estudando uma proposta de renovação de vínculo e até já iniciou conversas preliminares com o jogador, que tem contrato até maio do ano que vem. Ele vem chamando a atenção do futebol europeu e recentemente entrou numa seleta lista, feita pela conceituada revista inglesa "FourFourTwo", sobre os nove jovens brasileiros com talento para jogar por grandes clubes do Velho Continente

Por Thiago Lima/Rio de Janeiro/GE