quarta-feira, 23 de março de 2016

"Homem-clássico", Carli alerta sobre Nenê: "Concentrado a cada segundo"


Argentino que se firmou no Botafogo no duelo com os grandes rivais pede atenção ao craque vascaíno e à bola aérea do adversário. Zagueiro ainda sonha com primeiro gol




Carli é o xerife da defesa menos vazada do Carioca,
 com quatro gols (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)
Foi diante de Fluminense e Vasco que Carli surpreendeu Ricardo Gomes, ganhou a confiança do treinador e a vaga de titular na zaga do Botafogo para não sair mais. E ele não esconde, jogar clássico é o que mais gosta da carreira. Em dois meses no futebol brasileiro, o xerifão argentino ainda está se adaptando ao calor do Rio de Janeiro, mas já está mais acostumado com os grandes duelos. Neste domingo, contra o Cruz-Maltino em São Januário, vai para o quarto confronto contra os maiores rivais do Botafogo. Nos três anteriores, soma uma vitória e dois empates. Invicto junto com o time, o defensor disse que é importante continuar sem perder e alertou para os perigos do adversário: a bola aérea e Nenê.


- Importante se manter invicto, mas para alcançar a liderança temos que ganhar. (Bola aérea) Não é uma preocupação, mas sabemos que é um ponto a melhorar. Com a característica do jogo aéreo deles, obviamente temos que prestar mais atenção. Temos a experiência de ter jogado contra, e ele (Nenê) é um jogador de muita trajetória. Com jogadores dessa classe tem que estar concentrado a cada segundo - advertiu o experiente zagueiro, de 29 anos.

Com a característica do jogo aéreo deles (Vasco), obviamente temos que prestar mais atenção. Temos a experiência de ter jogado contra, e ele (Nenê) é um jogador de muita trajetória. Com jogadores dessa classe tem que estar concentrado a cada segundo"
Carli, zagueiro do Botafogo


A defesa do Botafogo, a menos vazada do Campeonato Carioca ao lado do Flamengo com quatro gols sofridos, vem recebendo elogios. Os números do ataque é que causam certa preocupação entre torcedores. Afinal, o time balançou a rede 14 vezes e está atrás dos três grandes rivais, além do Volta Redonda. Se não há um goleador, por outro lado há uma distribuição dos gols, e 10 já estufaram a rede: Bruno Silva, Gegê, Gervasio Núñez, Neilton, Fernandes, Luís Henrique, Renan Fonseca, Ribamar, Emerson e Lizio. E Carli espera ansiosamente sua vez na fila. Contra o Madureira, teve uma chance na bola aérea, mas cabeceou para fora.


- Que da próxima eu acerte o gol (risos). Sonho todo dia com esse gol, ainda mais em um clássico. Mas tenho dez companheiros ao redor, se qualquer um marcar vou ficar feliz igual.


O Botafogo está na segunda posição da Taça Guanabara, com quatro pontos. Neste domingo, enfrenta o Vasco, líder com seis, em São Januário às 16h (horário de Brasília). Se vencer, pode alcançar a liderança, caso faça um melhor saldo que o Flamengo.

Por Thiago Lima/Rio de Janeiro/GE