sexta-feira, 4 de março de 2016

Preterido na Seleção, Jefferson é abraçado no Bota: "É a sua casa"


Enquanto clube faz demonstrações públicas de carinho, jogadores e até presidente prestam solidariedade internamente ao goleiro. Dunga justifica: "Futebol é momento"




Jefferson tem no cúrriculo 70 convocações para a Seleção
 (Foto: Crédito: Vitor Silva / SSpress / Botafogo)
Jefferson naturalmente é o centro das atenções no Botafogo. Porém, o goleiro foi inspecionado ainda mais minuciosamente por torcedores e jornalistas nesta quinta-feira. Cada gesto, cada expressão facial, cada movimento era motivo de análise para quem acompanhou o treinamento em General Severiano. Todos queriam saber como Jefferson reagiria à exclusão da lista da seleção brasileira para os jogos das Eliminatórias, divulgada horas antes.


Aos 33 anos e com lugar na seleta galeria de ídolos do Botafogo, Jefferson aprendeu a lidar com situações como essa sem demonstrar abatimento de forma pública. Internamente, ganhou o apoio dos companheiros e até do presidente Carlos Eduardo Pereira, que foi até General Severiano e se encontrou com os jogadores. Era consenso dentro do clube que ele seria novamente convocado.


E o apoio não ficou confinado somente entre as paredes do centro de treinamento. O Twitter oficial do clube postou duas mensagens de apoio ao goleiro, que na terça havia dito que ainda mantinha vivo o sonho de estar nos Jogos Rio 2016. A primeira lembra que o Botafogo é a casa de Jefferson. Na outra, a expressão "melhor goleiro do Brasil" era o mote. Aliado ao apoio virtual, o presidente alvinegro, em entrevista à Rádio Tupi, criticou a ausência do goleiro da lista e ainda salientou que Dunga não seria o técnico da Seleção caso fosse o mandatário da CBF.


- O Jefferson é um cara tranquilo, que crê muito em Deus. Ele vem trabalhando normalmente. Quanto a ele, está tranquilo. Ele vai seguir trabalhando normalmente para estar na próxima lista - disse Neilton após o treinamento desta quinta-feira.


Durante a atividade, Jefferson não alterou sua rotina, que naturalmente já não é de brincadeiras. No coletivo com campo reduzido, manteve a habitual liderança, orientando o posicionamento dos jogadores o tempo inteiro. O goleiro completou o treino com um trabalho específico, onde mostrou talento em movimentos plásticos. Veja no vídeo abaixo





Dunga explica ausência: "Futebol é momento"

Jefferson viu o seu prestígio de 70 convocações ruir em apenas um jogo. Na estreia da Seleção nas Eliminatórias contra o Chile, atual campeão da Copa América, o goleiro não conseguiu evitar o gol de Vargas em uma bola considerada defensável. Dali para frente, Jefferson perdeu o status de titular para Alisson. Nesta quinta, o goleiro do Alvinegro sequer constou na lista. Diego Alves, Alisson e Marcelo Grohe foram os escolhidos.


Dunga justificou a decisão com o dinamismo do futebol. Além disso, o técnico brasileiro salientou que preferiu distribuir as vagas para três goleiros em condição de carreira diferentes. Porém, de acordo com o correspondente da BBC no Brasil, Tim Vickery, Dunga decidiu tirar Jefferson da Seleção após ficar insatisfeito com declarações do goleiro em um programa do SporTV.


- Futebol é dinâmico, é momento. Temos dado oportunidades, conversado com o Taffarel, estamos trazendo um jovem, um intermediário e um mais experiente. O futebol é isso, um joga, outro espera. Quando eu chamei o Jefferson na Série B, não fui tão questionado. Agora estou dando oportunidade a outros jogadores. Vamos fazer o melhor para a Seleção. Vai depender do próprio Jefferson para voltar - explicou Dunga.


Por Chandy Teixeira/Rio de Janeiro/GE