segunda-feira, 18 de abril de 2016

Botafogo adia Caio Martins para 2017 e ainda busca casa para o Brasileirão


Reforma no estádio de Niterói deve começar ainda esse ano para liberar palco no próximo Carioca. Plano por Juiz de Fora ainda depende de liberação de aeroporto




O Botafogo ainda não sabe onde jogará a semifinal do Campeonato Carioca e nem onde mandará suas partidas no Brasileirão. No último sábado, torcedores alvinegros tiveram a experiência de voltar ao Caio Martins para acompanhar a final da Taça Guanabara Sub-20. Mas não vai ser este ano que eles poderão matar a saudade de um duelo dos profissionais no local. A diretoria não conseguiu recursos para fazer a reforma necessária no estádio para ampliar sua capacidade a tempo de fazer dele sua casa na competição nacional. Porém, não desistiu da utilização do palco, só precisou adiar a ideia para 2017. O clube planeja usar parte das próximas cotas de televisão para iniciar a obra nesta temporada e já ter o estádio no estadual seguinte. A informação foi divulgada pela "Rádio Tupi" e confirmada pelo GloboEsporte.com.

Cerca de 1.500 alvinegros foram ao Caio Martins e viram o título do Bota no sub-20 (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)

Sem ter mais a opção do Caio Martins, o Botafogo segue à procura de uma casa para o Campeonato Brasileiro. A possibilidade mais forte segue sendo o Estádio Municipal Radialista Mario Helênio, em Juiz de Fora (MG), região com grande número de botafoguenses - são os segundos maiores nas redes sociais do município, de acordo com o "mapa de curtidas", parceria do GloboEsporte.com com o "Facebook". Apesar dos 184km de distância do Rio de Janeiro, a viagem de aproximadamente duas horas não é considerada longa pelo Alvinegro. Mas para se tornar viável para a chegada dos adversários de outros estados, é preciso liberar o pequeno aeroporto da cidade para receber esses voos.


A diretoria do Botafogo está convencida de que Juiz de Fora é uma boa opção, menos para clássicos. Após o jogo contra o Flamengo, no dia 2 de abril, os dois times precisaram esperar por aproximadamente uma hora e meia para saírem do estádio. A polícia segurou os ônibus por causa de tumultos envolvendo as duas torcidas nas ruas de acesso. Também houve relatos de confusão do lado de fora com organizadas quando o jogo já havia começado. E a Polícia Militar registrou um furto de R$ 11.500 na bilheteria 2 do portão 8.


Outra possibilidade é São Januário. A utilização da casa do Vasco, por sua vez, depende da inauguração do campo anexo, a fim de não sobrecarregar o gramado de São Januário. O local está em fase de construção, com previsão para ficar pronto no meio do ano. Independentemente da escolha do estádio, são grandes as chances de o Botafogo levar jogos, ao longo do campeonato, para outras praças, como Cariacica (ES) e Manaus. A cidade capixaba vem recebendo o Alvinegro desde a pré-temporada, e representantes da Arena da Amazônia já procuraram a diretoria para propor partidas no palco.

Fonte: GE/Por Thiago Lima/Rio de Janeiro