segunda-feira, 18 de abril de 2016

"Sabe tchururu"... A "conquista" de Buchecha na fila para subir no Bota


Fã do cantor e um dos heróis do título alvinegro na Taça GB Sub-20, volante cobrador de pênaltis espera sua vez de ter experiência no profissional: "Minha hora vai chegar"









O título do Botafogo na Taça Guanabara Sub-20 teve o goleiro Victor Hugo, autor de duas defesas na disputa por pênaltis, como o herói. Mas o protagonismo pode ser dividido com o volante Bucheca, dono de um gol no primeiro jogo da decisão e quem correu para o abraço após converter a cobrança decisiva na marca da cal (veja no vídeo acima). A "conquista" - nome de uma famosa música do cantor que é xará do jovem alvinegro - coroa a dedicação do garoto de 19 anos, morador de Maricá e que viaja todo dia cerca de 50km de ônibus para os treinos. Entretanto, o momento mais aguardado ainda está por vir: ter a sua primeira experiência entre os profissionais.


O Botafogo, que vem apostando alto na garotada e conta com metade de seu plantel principal de pratas da casa, também tem feito uma espécie de transição puxando jogadores do sub-20 para períodos de treinos com os profissionais. Do elenco de juniores, o zagueiro Marcelo, o lateral-esquerdo Victor Lindenberg e o volante Matheus Fernandes, além dos goleiros Victor Hugo, Matheus Cabral, Diego Terra e Lucão, já tiveram essa fase de experiência. Em sua último ano de base, Buchecha sabe (tchururu) que logo pode ser a sua vez na fila para subir.


- Se Deus quiser, a minha hora vai chegar. A ansiedade é cada dia maior - admitiu o jovem, que tem contrato até o junho de 2017 e é amigo de Ribamar, Leandrinho e Diego no profissional.


Buchecha corre para o abraço após cobrança do título: jovem é destaque nos pênaltis (Foto:Vitor Silva/SSPress/Botafogo)

Buchecha chegou ao Alvinegro em agosto de 2014, mas o apelido é mais antigo. Foi dado pelo amigo Hiago, com quem jogava em 2010 no São Cristóvão. O motivo? As "bochechas realçadas" e a fisionomia do cantor de funk e pop, de quem é fã. Em campo, a semelhança é com Fernandes, segundo o próprio volante apontou ao ser questionado com quem mais se parecia no time principal.

Sou mais um segundo volante,
que sai para o jogo. Meu estilo é parecido com o do Fernandes: técnico, marcação e finalização"
Buchecha, volante do sub-20 do Botafogo


- Sou mais um segundo volante, que sai para o jogo. Meu estilo é parecido com o do Fernandes: técnico, marcação e finalização.


Mas se fosse comparar só os pênaltis, a semelhança passa a ser com Rodrigo Lindoso. Assim como o volante profissional, o jovem é o cobrador oficial em sua categoria e também tem três gols na temporada, todos saindo da marca da cal. As duas cobranças na final contra o Fluminense foram perfeitas, na altura do ângulo esquerdo do goleiro, sem chances de defesa.


- Eu treino muito pênalti e sempre era o cobrador por onde passei. Pessoal brinca comigo falando que pareço até o Nenê, do Vasco, por causa dos gols de pênalti. Eu tenho um conto em que costumo ter mais confiança e bato sempre alto - explicou o garoto, que completa 20 anos em junho.


Subir para o profissional é um sonho, mas não é algo que tire o sono de Buchecha. Tanto que ele teve a oportunidade de disputar a Série B do Carioca emprestado ao time principal do Gonçalense - parceria que acabou desfeita recentemente pelo Botafogo -, mas preferiu seguir no Alvinegro. Enquanto espera sua vez na fila, o volante garante empenho total para conquistar também a Taça Rio e faturar o título estadual sem a necessidade de finais com o campeão de cada turno.


Fonte: GE/Por Thiago Lima/Rio de Janeiro