segunda-feira, 30 de maio de 2016

Botafogo perde força no meio-campo e tenta se reinventar como equipe


Com lesões de jogadores importantes no setor, time perde poder de marcação, se vê mais vulnerável e busca nova fórmula. Ricardo Gomes admite superioridade do Flu







Nos primeiros minutos já foi possível notar algo diferente. O Botafogo deste domingo não foi aquele que se impôs e dominou o Fluminense em outros três encontros anteriores deste ano. Ao contrário das partidas prévias, o time de Ricardo Gomes não sufocou o adversário. Pelo contrário, viu-se envolvido pela equipe de Levir Culpi e perdeu por 1 a 0. O problema estava no meio de campo.

O Botafogo, deste domingo, foi frágil no setor. Se não teve pegada na marcação, também pecou na criação. Faltaram velocidade e inspiração nos contra-ataques. Os desfalques pesaram. Sem Airton e, principalmente, Rodrigo Lindoso, Ricardo Gomes se viu obrigado a recuar Fernandes para atuar ao lado de Bruno Silva. O time perdeu poder de marcação.

Novidade para o clássico, Marquinho sentiu a responsabilidade e não rendeu. Sem alguém para ajudar na criação, Leandrinho ficou sobrecarregado. Bem marcados, os laterais Luis Ricardo e Victor Luis não encontraram espaços para avançar.

- Hoje tivemos dificuldades no meio de campo no primeiro tempo e depois não conseguimos dominar o meio de campo. Dominamos o meio de campo em três partidas contra o Fluminense. Hoje foi diferente – lamentou Ricardo Gomes, após a partida.

Meio de campo do Botafogo não mostrou a mesma força das partidas anteriores (Foto: André Durão)


Fato é que, principalmente por conta dos problemas de lesões, o Botafogo mudou sua maneira de jogar. Nos cinco primeiros meses da temporada, a força da equipe de Ricardo Gomes esteve concentrada na forte marcação no meio de campo e, consequentemente, em uma defesa sólida. Sem Lindoso e Airton, que ficarão fora por mais alguns jogos, o time terá de se reinventar. A solução talvez esteja na chegada de Dudu Cearense. O volante, ex-Fortaleza, se apresenta nesta segunda-feira.

Ao notar que seu meio de campo era dominado pelo Fluminense, Ricardo Gomes ousou no intervalo e mudou a cara do time. Sacou Marquinho e Leandrinho, recuou Salgueiro e lançou Sassá e Neilton abertos no ataque, com Ribamar centralizado. Não deu certo.

A formação, treinada na véspera do clássico, desmoronou com o gol de Fred, em falha de Emerson, logo aos seis minutos da etapa final. Com a vantagem, o Fluminense se fechou e neutralizou o Botafogo, que não finalizou sequer uma vez com perigo ao gol de Diego Cavalieri. Com o jogo nas mãos, o Tricolor poderia até ter aumentado a vantagem os contra-ataques. Com tantos problemas médicos, Ricardo Gomes terá de achar rapidamente uma nova fórmula para os próximos jogos.


Fonte: GE/Por Marcelo Baltar/Rio de Janeiro