quinta-feira, 16 de junho de 2016

Análise: "vc e eu, eu e vc" de Sassá e Neilton elevam poder de fogo do Bota


Quarta dupla de ataque diferente do Alvinegro na Série A funciona melhor do que as outras três, e os jovens de 22 anos ganham moral para continuarem jogando juntos







Duplas de ataque alvinegras:

1ª rodada: Botafogo x São Paulo
- Neilton: 0 finalizações
- Ribamar: 4 finalizações
- time: 4 chances e 0 gol

2ª rodada: Sport x Botafogo
- Neilton: 2 finalizações
- Ribamar: 1 finalização
- time: 5 chances e 1 gol

3ª rodada: Botafogo x Atlético-PR
- Salgueiro: 1 finalização
- Ribamar: 1 finalização e 1 gol
- time: 2 chances e 2 gols

4ª rodada: Fluminense x Botafogo
- Salgueiro: 1 finalização
- Ribamar: 0 finalizações
- time: 1 chance e 0 gol

5ª rodada: Botafogo x Cruzeiro
- Aquino: 1 finalização
- Ribamar: 0 finalizações
- time: 3 chances e 0 gol

6ª rodada: Santos x Botafogo
- Aquino: 0 finalizações
- Ribamar: 0 finalizações
- time: 5 chances e 0 gol

7ª rodada: Botafogo x Vitória
- Aquino: 1 finalização
- Ribamar: 2 finalizações
- time: 5 chances e 1 gol

8ª rodada: Botafogo x América-MG
- Neilton: 5 finalizações 1 assistência
- Sassá: 5 finalizações e 3 gols
- time: 8 chances e 3 gols


As constantes trocas na frente tinham justificava: com até então o pior ataque do Campeonato Brasileiro, o Botafogo buscava uma maneira de aumentar o seu poder de fogo. E a quarta dupla testada por Ricardo Gomes foi a que melhor correspondeu até o momento, em que pese a fragilidade do adversário. Na vitória por 3 a 1 sobre o agora lanterna América-MG, na última quarta-feira(veja os melhores momentos no vídeo acima), os jovens de 22 anos Sassá e Neilton atuaram juntos pela primeira vez na Série A e participaram muito mais do jogo do que as três parcerias anteriores no setor. Foi a primeira vez também que o Alvinegro marcou mais de dois gols em uma mesma partida em 2016.


No Raulino de Oliveira, em Volta Redonda (RJ), cada um finalizou cinco vezes. O time teve ao todo oito chances claras de gol, marcou três com Sassá, sendo um com assistência de Neilton. Antes deles, Anderson Aquino e Ribamar tiveram chances contra Vitória, Santos e Cruzeiro, porém, foram muito pouco participativos, com baixo número de finalizações (veja no quadro ao lado). A dupla Salgueiro e Ribamar, por sua vez, foi mais eficiente contra o Atlético-PR, quando o Alvinegro aproveitou as únicas duas oportunidades de gol que teve. Mas continuou criando pouco também contra o Fluminense. Já Neilton e Ribamar foras as escolhas de Ricardo para iniciar o campeonato: os dois juntos já foi o inverso, criaram mais e foram pouco eficazes.


Neste cenário, Neilton e Sassá ganharam moral para continuarem a parceria do "você e eu, eu e você" - nome de uma famosa música do Tim Maia dos anos 80. Antes, os dois só haviam formado a dupla titular contra o Juazeirense, pela Copa do Brasil, partida em que Neilton deixou a sua marca. Ricardo Gomes, entretanto, explicou em entrevista coletiva que eles ainda não estão em suas melhores condições físicas. Principalmente Neilton, que perdeu parte da pré-temporada por causa de problemas musculares nas coxas e eventualmente precisará ser poupado. Diante do América-MG, o atacante ficou em campo durante os 90 minutos.


- Você não pode fazer o Neilton jogar quarta, domingo, quarta, domingo... Vamos tentar recuperá-lo para o próximo jogo. Ele não teve pré-temporada porque teve uma lesão grave. A partir daí, teve alguns bons momentos no Carioca, e no Brasileiro fez seu melhor jogo.

Você e eu, eu e você: Sassá e Neilton funcionam juntos e aumentam poder de fogo (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)


Se na frente o ataque azeitou, atrás a sina de sofrer gol em todos os jogos do Brasileiro continua. A defesa, que foi o ponto forte do time no Carioca, segue sem a dupla de zaga titular, Carli e Emerson, e o goleiro Jefferson. Atual dono da meta alvinegra, Sidão vem fazendo boas defesas e passando mais tranquilidade do que Helton Leite, apesar de ter sido vazado nas duas oportunidades que teve até aqui. Mas talvez a maior segurança venha do meio de campo. Coincidência ou não, o Botafogo ainda não tomou gols na Série A enquanto Airton está no gramado - quando sofreu o empate do Vitória e o de honra do América, havia sido substituído.


O Botafogo conseguiu não só deixar a lanterna, como também sair da zona de rebaixamento com uma combinação de resultados. Para terminar a rodada fora do Z-4, precisa torcer para o Atlético-MG não derrotar o Internacional nesta quinta, no Beira-Rio. Assim, continuará em 16º lugar na tabela d classificação, com oito pontos. O Alvinegro se reapresenta na tarde desta quinta-feira em General Severiano e volta a campo domingo, contra o Corinthians em São Paulo.



Fonte: GE/Por Thiago Lima/Volta Redonda, RJ