quinta-feira, 2 de junho de 2016

Apresentado, Dudu Cearense pede mentalidade vencedora no Botafogo



Volante destaca boa recepção do elenco e revela-se "imensamente feliz" com acerto



Dudu Cearense posa com a camisa do Botafogo
(Foto: Satiro Sodré / SS Press / Botafogo)
O retorno aos trabalhos no Botafogo após a derrota por 1 a 0 para o Cruzeiro não contou com caras novas, mas com apresentação oficial de uma delas: o volante Dudu Cearense. Ele foi regularizado a tempo, chegou a viajar para Brasília e ficar no banco na partida desta quarta-feira, mas não estreou com a camisa do novo clube. Aos 33 anos e com boas passagens pela Seleção e pelo CSKA Moscou-RUS, o jogador, que rescindiu seu contrato com o Fortaleza, comentou sobre o seu acerto com o Glorioso.

- Estou imensamente feliz por fazer parte desse clube. As expectativas são as maiores, para contribuir dentro e fora de campo. Vou trabalhar para colocar a mentalidade vencedora no grupo. A recepção foi maravilhosa pelo Ricardo, torcida, grupo. Quando você tem essa recepção, você quer ajudar. Infelizmente perdemos o jogo, mas se jogarmos o que jogamos no segundo tempo estaremos lá em cima.

Com contrato até o final de 2017, Dudu teve contato com Ricardo Gomes no começo de sua carreira. Durante o pré-olímpico de 2003 para a Olimpíada de Atenas, os dois estavam na seleção brasileira. Na época, Dudu, com 20 anos, era titular do time que tinha Robinho, Diego e Dagoberto no elenco. Ele se disse feliz por voltar a trabalhar com o comandante botafoguense.

- Sou suspeito de falar do Ricardo, tive a oportunidade de trabalhar com ele no (Seleção) sub-23. E pra mim é uma satisfação imensa em trabalhar com ele, quando se tem o aval do treinador, a confiança é imensa e eu fico muito agradecido pela oportunidade.

Acostumado com a pressão por resultados, o novo reforço do Glorioso destacou que isso no futebol é algo normal. E também reiterou que os jogadores precisam se cobrar pelos resultados mas respeitando o espaço.

- A pressão no futebol é uma coisa normal. Quando se joga no futebol, a pressão é como se fosse um pacote. Então qualquer atleta em um clube de dimensão grande, a pressão é natural. Temos que nos cobrar internamente sempre. Enfim cheguei, quero ajudar muito, independente de lesão ou não, vou respeitar quem está na minha frente. Temos alguns jogadores importantes machucados que vão voltar em breve. Temos que encarar isso com motivação até porque o Botafogo é muito grande e precisamos vencer a cada jogo. Não ter medo de jogar, de enfrentar o adversário.






Confira as outras respostas de Dudu em sua coletiva de apresentação:

Motivação aos 33 anos
- Eu to com uma vontade de 20 anos, mas eu tenho a consciência que cada partida é como se fosse a última. Então to aproveitando os últimos anos, porque pra mim é uma oportunidade única na minha carreira, em jogar um clube de uma dimensão muito grande. Então, cada jogo é uma oportunidade, é uma nova história. Será feito o trabalho e depende de cada um.

Passagem pelo Fortaleza
- Em 2015, eu tive uma passagem pelo Fortaleza, tive dois anos de contrato. E entrou um treinador que eu fui preterido por ele, logo no começo do ano, e isso me atrapalhou muito. Falei para todos: "gente, eu não posso provar isso fora de campo, então quero ser criticado dentro de campo". A partir dessa mudança que teve na virada do ano, eu pude entrar em campo e ter uma sequência maior. Tive uma melhor regularidade. Apareceu o Flamengo para gente na Copa do Brasil e tivemos uma dimensão maior. E todos foram observados e falaram "o Dudu está jogando, mas eu já estava jogando".

Diferença da série A para C
- A diferença é gritante. Até porque a série C é muita correria e pouca qualidade. A série A já é, vamos dizer, é uma correria com qualidade. Então, o nível de acerto tem que ser muito maior. E na série tem poucas oportunidades, se tivermos uma ou duas temos que fazer, porque se o adversário tiver uma ele vai matar. Voltar para série A, é muito gratificante.

Mudanças ao longo da carreira
- Mentalmente, eu não mudei nada. Eu mantive a saúde e disposição para treinar, e vou querer vencer. E não vim pra cá ser taxado. Quero ter uma mentalidade vencedora, mas é no dia a dia, a cada jogo. Claro que estou mais experiente, você não tem mais 20 anos, a recuperação não é a mesma, mas a vontade de vencer é a mesma.

Características de Dudu Cearense
- É difícil falar, porque cada jogo tem uma história. Não gosto de falar, gosto de viver o jogo. Então, a minha característica é de volante box to box. É isso quem não me conhece, vai me conhecer. Jogo após jogo.

Estreia
- Ansiedade é uma arma, então você acaba sofrendo antes. Prefiro viver um dia após o outro.


Fonte: GE/Por Matheus Palmieri*Rio de Janeiro* Estagiário, sob a supervisão de Thiago Benevenutte