terça-feira, 21 de junho de 2016

Qual é o problema do Botafogo? Ex-dirigentes e presidente divergem


Carlos Augusto Montenegro critica "amadorismo" e planejamento do futebol. CEP admite que situação não é confortável, mas ataca "oportunismo": "Muito fácil criticar"



O Botafogo vai brigar para não cair ou ainda é muito cedo para afirmar? Fato é que, apesar de apenas nove rodadas do Campeonato Brasileiro terem sido disputadas, o torcedor alvinegro anda desconfiado. E com razão. Na zona de rebaixamento, o time venceu somente dois jogos, perdeu seis e ocupa a 18ª, com os mesmos oito pontos do lanterna Cruzeiro.

O GloboEsporte.com ouviu a opinião de quem conhece bem o Botafogo e ouviu ex-dirigentes e o presidente Carlos Eduardo Pereira. As opiniões sobre o planejamento do futebol alvinegro divergem, mas em uma coisa todo mundo concorda: a situação precisa melhorar rapidamente.


MONTENEGRO

Montenegro criticou o planejamento do Botafogo
 para a Série A (Foto: Jessica Mello)
"Acho que houve erro de planejamento. É inquestionável a seriedade das pessoas que estão à frente do Botafogo, mas estou vendo muito amadorismo. Vejo amadorismo na contratação dos jogadores estrangeiros, na preparação física, no departamento médico. Ninguém percebeu que o Botafogo precisava de um camisa 9 e um 10 desde o início do ano? Vejo amadorismo na preparação do estádio (Arena Botafogo), que vai acabar servindo para dois ou três meses. São muitas pessoas mandando, muita democracia, muito grupo político, muita gente opinando sobre jogadores. O setor de inteligência acaba virando um setor burro. Nunca vi contratar cinco estrangeiros sem ter assistido a nenhum jogo. O Lizio e o Yaca (Gervasio Nuñez) são fraquíssimos, o Salgueiro não joga, o Carli vive machucado.

Os jogos estão correndo e a gente está perdendo. É preocupante. Determinados times, que não tem a grandeza do Botafogo, e até mesmo as receitas do Botafogo, como a Chapecoense, por exemplo, se organizaram e fazem um bom campeonato. Eu não sei quem está contratando no Botafogo. Eu não sei se é o vice de futebol (Cacá Azeredo), o Antônio Lopes, o Ricardo Gomes. Quem vai assumir a responsabilidade? A impressão que me dá é que cada jogador passa na mão de 20 pessoas. Alguém tem que assumir a responsabilidade. Torço para que o time melhore com os reforços. Mas o Pimpão é mais um jogador de lado, como já temos outros 10. O Camilo não joga há muito tempo. O Canales é bom, mas não sei quando ele vai jogar. Esse, justamente o que mais precisamos, está bichado. Continuo preocupado.


Estou sempre à disposição para ajudar, eles sabem disso. É preciso de alguém de pulso. O Ricardo Gomes não pode tirar leite de pedra. O pessoal fala que não tem dinheiro, mas coloca aí na ponta do lápis os salários de Lizio, Gervasio, Salgueiro, Marquinho (emprestado ao Atlético-GO), Geovanne Maranhão... Isso dá uns R$ 600 mil, R$ 700 mil por mês. O Rafael Moura era R$ 200 mil, mas acharam caro e não quiseram. Um 9 como ele já mudava tudo. Seria uma referência. Apostaram no Ribamar, que é bom jogador, mas querem ensiná-lo a ser centroavante no meio do Brasileiro. Ele joga pelos lados. Deixaram o Navarro ir. Não era nenhuma "Brastemp", mas fazia gols. Não se ensina um garoto de 19 a virar centroavante no meio campeonato. Agora não adianta só torcer. Tem que rezar muito".
Carlos Augusto Montenegro, presidente do Botafogo entre 1994 e 1996)


MANTUANO

Mantuano se diz confiante no sucesso do time
(Foto: Vitor Silva / SSPress)
"Complicado está, mas temos que levar em consideração que ainda faltam 29 jogos. São 87 pontos em disputa. O Botafogo está com oito pontos. Eu acredito que o Botafogo sairá dessa. Fiz um cálculo. Se a cada partida, nós fizermos 1,4 pontos, estaremos tranquilamente fora da zona de rebaixamento. O Botafogo não tem feito partidas ruins. Tem um bom volume de jogo. Poderíamos ter vencido o Corinthians. Infelizmente, a bola está teimando em não entrar. Ainda tenho confiança.


Essas contratações são apostas, vamos aguardar quem vai estrear com a abertura da janela. O Pimpão é um jogador que se identificou muito com o Botafogo. Foi uma contratação importante. O Camilo vai dar força ao meio de campo, sabe fazer a ligação com o ataque. O Canales é uma aposta. Vamos aguardar a recuperação dele.


O Botafogo tem grandes possibilidades de sair da zona de rebaixamento e até procurar uma pontuação melhor para disputar uma Copa Sul-Americana. O principal é ter tranquilidade para passar para os jogadores que o Botafogo é um time equilibrado. O Brasileiro é muito nivelado. Se ganharmos duas ou três partidas, daremos um salto monstruoso. O emocional será importantíssimo. A autoestima dos jogadores tem que ser preservada. Eu acredito. Sei que as dificuldades são grandes, mas temos potencial para superar todas elas.

Eu não sei se houve erro de planejamento, ou se as apostas que foram feitas não surtiram o efeito desejado. Foram contratados alguns jogadores, que foram apostas, infelizmente não deram o resultado que o Botafogo está esperando. Jogadores estrangeiros necessitam de um tempo de aclimatação. Esses que chegaram desde o inicio já tiveram tempo suficiente para se adaptarem ao futebol brasileiro. Foram contratações que não surtiram o efeito desejado. Em relação às lesões, é uma maratona de jogos. Não é só o Botafogo que tem esse problema.
Antônio Carlos Mantuano - Vice de Futebol no ano passado)



CARLOS EDUARDO PEREIRA

Concordo com o Ricardo Gomes, o time vai melhorar. Mas é claro que ninguém está confortável com essa situação. Não vejo erro no planejamento. Ainda temos jogadores que irão estrear. No Botafogo, todos acertam e todos erram. Não tem essa de caça às bruxas. Temos feito um trabalho sério e dedicado, tentando encontrar o caminho adequado. Agora, é muito fácil criticar. Todos têm uma enorme facilidade de criticar. Prefiro trabalhar. Esse tem que ser o caminho. Quem é Botafogo e quer ajudar, é muito bem-vindo. Mas nesse momento, de situação difícil, é fácil criticar. É oportunismo. Não vou apoiar isso.


Carlos Eduardo Pereira, presidente do Botafogo

Presidente rebate críticas de Montenegro: "Não vou apoiar isso"(Foto: SSpress / Vitor Silva / Botafogo)


CARLOS ALBERTO TORRES
Para Torres, faltam qualidade e experiência ao elenco
 do Botafogo (Foto: Reprodução SporTV)
Não sei se houve erro de planejando, ou o problema é a falta de grana mesmo para comprar pelo menos dois jogadores com um pouco mais de experiência e bom nível. Caso contrário o time fica isso aí. Só tem garotos, e alguns jogadores não têm nível para vestir a camisa do Botafogo. Se comprassem três jogadores de bom nível, tipo o Willian Arão no ano passado, já seria outra coisa. Ele foi um achado. No ano passado nós achamos o Rodrigo Pimpão. Foi eu e o René Simões que trouxemos ele. Nesse ano, eu não sei o que houve, pois eu não estava lá. Faltou planejar e pensar um pouco as coisas. Logicamente, tentaram fazer o melhor para o Botafogo. Mas não foi feito. Apostaram só nos garotos, isso não dá certo. Falta experiência.

Com esses reforços, deve melhorar um pouquinho, principalmente com o Pimpão. Eu não conheço o Camilo e o Canales. Mas se o Canales fosse bom mesmo, estaria nos Estados Unidos disputando a Copa América pelo Chile. Além disso, ele já veio machucado. Acho que no mercado brasileiro teria como descobrir jogadores para fazer um bom time. Um bom time para disputar jogos de igual para igual, até porque não tem nenhum time espetacular no Brasileiro. A situação é preocupante. O Brasileiro praticamente começou agora, mas perdendo jogo a jogo a coisa vai ficando difícil. Não dá para pensar que vai recuperar lá na frente, porque sabemos que não recupera. Nos resta torcer. Mas apesar de tudo, temos que considerar o bom trabalho que o Ricardo Gomes ainda está conseguindo fazer. Pelo menos o time tem uma filosofia de jogo. Falta um pouco de qualidade e experiência. Se não fosse o Ricardo, hoje o Botafogo nem teria esses oito pontos no Brasileiro.


Carlos Alberto Torres, ex-jogador, treinador e dirigente do clube. Comentarista do SporTV

Fonte: GE/Por Marcelo Baltar/Rio de Janeiro