domingo, 12 de junho de 2016

Ricardo vê queda no segundo tempo e afirma: "Difícil de engolir o gol no fim"


Tento de Victor Ramos aos 46 do segundo tempo definiu a partida neste domingo. Treinador ressaltou que lesões ainda atrapalham a sequência da equipe no Brasileiro



Jogadores do Bota lamentaram o resultado após a partida
 (Foto: André Durão/Globoesporte.com)
Uma atuação abaixo da média no segundo tempo e um gol de empate nos acréscimos difícil de aceitar. Assim o técnico Ricardo Gomes resumiu o empate por 1 a 1 entre Botafogo e Vitória na manhã deste domingo em Volta Redonda. A torcida ensaiou algumas vaias após o apito final e chegou a mostrar notas de dinheiro para os jogadores da equipe, que segue na lanterna do Campeonato Brasileiro. Ricardo pediu calma e demonstrou confiança em driblar a má fase.

- Difícil de engolir esse gol no fim. O segundo tempo foi muito abaixo, perdemos Airton, Leandro. O time caiu, tivemos dificuldades. Temos que trabalhar. Ainda tem muita para acontecer. Faltam 31 rodadas, muitos pontos a serem disputados. Estou muito confiante apesar do início complicado. Tivemos muitas lesões - frisou.

O técnico ressaltou que as lesões ainda atrapalham a sequência do trabalho no Glorioso durante o Brasileirão. Na última semana, três jogadores voltaram aos treinos com o restante do elenco e a tendência é que outros retornem aos poucos.

- Tivemos uma semana de trabalho para recuperar jogadores, como o Airton, Diogo e Luis Ricardo. Na próxima semana, vamos recuperar mais dois, mexemos muito nas últimas semanas e o time esta sofrendo.

Questionado sobre a qualidade de seus jogadores, o treinador foi bastante enfático. Negou que esse seja o principal problema do Glorioso, e sim a falta de experiência do elenco, que na partida contra o Vitória pesou em favor do adversário.

- Não. O futebol não é uma ciência exata. A bola não está entrando. Essa fase tem de ser diluída e acabar. Passamos a semana treinando muito. Mas ainda não deu o ar da graça em relação à quantidade de gols que precisamos.

O elenco do Botafogo volta a treinar na tarde desta segunda-feira, em General Severiano. A equipe volta a campo na próxima quarta-feira para enfrentar o América-MG, às 21h (de Brasília), novamente em Volta Redonda.

Confira outros trechos da entrevista coletiva de Ricardo Gomes:

Erros
Perdemos a bola no meio no gol, o time ainda estava saindo, se arrumando. A experiência tem um peso importante em qualquer situação do esporte. Foi o preço que pagamos no dia de hoje. Quarta-feira temos mais uma chance de recuperação.

Falta de público
É muita coisa. Tem um histórico, a torcida lembra dos anos gloriosos do passado, é exigente... Temos muitos jogadores formados no Botafogo. É o momento da recuperação esportiva e financeira do clube, em 2015 e 2016. O torcedor não precisa entender. É um processo interno para dar frutos lá na frente. Não é o caso de agora. No dia a dia ainda é difícil para todos, mas vamos sair dessa situação que não é legal. Uma vitória nos tiraria da zona do rebaixamento. Ainda tem muita para acontecer. Faltam 31 rodadas, muitos pontos a serem disputados. Estou muito confiante apesar do início complicado. Tivemos muitas lesões.

O que te faz confiar?
Estamos apenas na sétima rodada. Vocês (jornalistas) tem uma pressa... Isso não dá certo. É inimiga da perfeição. O trabalho é que me faz confiar.

Lesões
Atrapalha, mas acontece. Estamos na fase da falta de gols, das lesões. Temos que ter calma e vigor na execução do dia a dia. Seja na área médica, técnica, na diretoria... Só vamos sair dessa situação com vigor em todos os setores.

Estreia de Sidão
Ele foi bem. Mostrou personalidade e fez boas intervenções.

Renan Fonseca
Existia uma dúvida em relação ao Emerson, ele está voltando de lesão e teve uma semana pesada de treinos. Foi mais para poupar do que uma escolha em si. Mais pela continuidade dos treinos do Emerson do que uma escolha técnica.

Faltou confiança?
Isso vem com o trabalho. Se você abre 2 a 0 com 10 minutos de jogo, o time ganha confiança, o jogo flui melhor. Essa fluidez que faltou.

FONTE: Por Edgard Maciel de Sá/Volta Redonda, RJ