terça-feira, 26 de julho de 2016

Artilheiro "silencioso", Canales brinca: "Não sou muito amigo dos microfones"


Há dois meses no Botafogo e sem apresentação oficial, atacante chileno dá primeira entrevista, admite ter que melhorar a parte física e assume responsabilidade por gols




Ele chegou há dois meses. Passou um no departamento médico, se recuperando de um edema ósseo no pé direito. No outro, começou a jogar e dispensou até uma apresentação oficial pelo Botafogo. Este é o chileno Canales, tímido, avesso a entrevistas, mas que nesta terça-feira encarou pela primeira vez os microfones em General Severiano. E a primeira pergunta que teve que responder foi justamente sobre a sua timidez. Ela, aliás, não tem nada a ver com a questão do idioma. Apesar de falar espanhol, dos gringos alvinegros ele é quem melhor se comunica e entende o português. E embora se sinta desconfortável diante das câmeras, fez até brincadeira.


- Sim, não sou muito amigo de falar. Não é algo que eu goste muito, mas é necessário. Vou tratar de fazer na medida que se necessite. Mas, sim, não sou muito amigo dos microfones (risos).

Avesso aos microfones, Canales teve que encarar todos eles após treino desta terça (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)

Canales prefere deixar o papo para o campo. E a torcida do Botafogo não vai se importar se ele falar pouco e virar uma espécie de artilheiro "silencioso". Aos 34 anos e com histórico de goleador no Chile, o centroavante busca marcar o seu primeiro pelo Alvinegro após passar os dois primeiros jogos em branco - chegou a estufar a rede contra a Chapecoense, mas a jogada foi invalidada por impedimento (veja no vídeo abaixo). Sem estipular uma meta pessoal até dezembro, ele assumiu a responsabilidade por ser o homem-gol que o Alvinegro precisa.


Penso em fazer em quantidades porque para isso estou aqui, vivo disso. Em toda minha carreira vivi de gols e sei da pressão, é uma responsabilidade e a assumo"
Canales, centroavante do Botafogo



- Penso em fazer em quantidades porque para isso estou aqui, vivo disso. Em toda minha carreira vivi de gols e sei da pressão, é uma responsabilidade e a assumo. Não me surpreende porque faz tempo que venho convivendo com essa pressão. Venho de um clube grande onde também me exigiam muito. É algo lindo também, tenho que transformá-la em uma pressão positiva, vai muito também do que posso fazer - afirmou o atacante, que busca entrosamento.


- A maneira de jogar da equipe quem entende é o treinador, eu que tenho que me adaptar, não a equipe a mim. Tenho que conhecê-los, tanto os meu companheiros, como eles jogam, é um período que nos vai custar um tempo. Espero que seja rápido e possa colaborar com o grupo.


Enquanto ainda procura conhecer melhor o estilo de jogo dos companheiros, Canales admite que está abaixo fisicamente dos demais e que precisa melhorar o seu condicionamento. Mas da parte da lesão, ele garante estar totalmente recuperado e agradeceu o departamento médico pela paciência no primeiro mês de tratamento.


- Estou melhor, o corpo médico do clube fez um trabalho muito bom comigo, tiveram a paciência necessária para que siga melhorando e que comece a entrar em forma. Três meses sem jogar é muito tempo para o nível alto do futebol brasileiro. Não estou no mesmo nível físico e futebolístico dos meus companheiros. Tenho que trabalhar muito para ajudar a equipe.


Com Canales provavelmente de titular, o Botafogo recebe o Bragantino nesta quarta-feira, às 19h30 (de Brasília), na Arena Botafogo, valendo vaga nas oitavas de final da Copa do Brasil. Como empatou o jogo de ida por 2 a 2, o Alvinegro pode ficar no 0 a 0 ou 1 a 1 que se classifica.


Fonte: GE/Por Thiago Lima/Rio de Janeiro