sábado, 10 de setembro de 2016

Botafogo lança camisa especial para Jefferson, que avisa: "Estou voltando"


Em fase final da transição após cirurgia no braço, goleiro é homenageado em evento com 500 torcedores em General Severiano. Uniforme está à venda por R$ 259,99



Os jogadores embarcaram neste sábado para Belo Horizonte
, mas a torcida do Botafogo foi em peso para General Severiano. O motivo? Jefferson! Durante a tarde, o ídolo alvinegro foi homenageado na loja oficial do clube, ao lado da sede, com o lançamento de uma camisa especial, em parceria com a "Topper", para marcar a sua volta aos gramados. O uniforme, predominantemente verde e amarelo neon e detalhes em preto e branco, já vem uma faixa de capitão autografada pelo goleiro, além de seu nome e número 1 às costas, está à venda por R$ 259,99, ou R$ 199,99 o kit infantil.

Jefferson posa com a camisa especial que ganhou do Botafogo e da "Topper" (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)

Operado em maio após uma lesão rara no braço esquerdo, com ruptura parcial do tendão do tríceps, Jefferson está na fase final da transição, já treinando normalmente em campo com os companheiros. O departamento médico do clube, porém, prega cautela e evita dar prazo para o retorno do ídolo. Mas o próprio goleiro durante o evento admitiu que sua volta está perto, revelou que fará amistosos na próxima semana para pegar ritmo e até voltou a sonhar com a Seleção.


– É uma homenagem que todos sonham. Fazer história no Botafogo, desde que cheguei, é uma meta minha. Estou podendo retribuir esse carinho dos torcedores, ainda mais nesse momento em que estou voltando aos gramados. Fico muito feliz com essa boa presença do público. Me motiva mais ainda para voltar e buscar voos maiores no Botafogo e, consequentemente, se Deus quiser, na Seleção. Já estou bem, agora é questão de ritmo de jogo para poder estar em campo. 100% ainda não, mas agora é o coração, vontade, esse carinho dos torcedores. A gente não costuma colocar data, mas está próximo. Vou fazer uns testes aí semana que vem, uns amistosos para poder pegar um pouco de ritmo e voltar bem – disse o goleiro, que chegou com a camisa por baixo de um casaco para fazer a surpresa e brincou sobre a recuperação do braço.


– Já peguei até garoto no colo aqui, treino em casa com minhas filhas (risos).
 
Camisa de Jefferson já vem com uma faixa de capitão autografada pelo goleiro (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)


Confira outros trechos da entrevista de Jefferson:



RECUPERAÇÃO

Saudade desse calor dos torcedores, dos companheiros, de jogo... Eu particularmente evitei um pouco de estar nesse ambiente de campo, isso machuca bastante. A maior dificuldade foi essa.


TITE
Estou motivado porque agora depende só de mim, independente de qualquer coisa torço muito pela Seleção e pelo Tite, importante dizer isso antes de uma possível convocação. É um cara que torço bastante, espero que tenha sequência na Seleção. Vou batalhar aqui no Botafogo para poder estar nesse grupo também.


BRASILEIRÃO
Claro que para buscar voos mais altos tem que manter uma regularidade muito grande. A gente teve oscilações durante a competição, mas é normal pela expectativa dos jogadores, formação, contusões... Mas creio que o Botafogo encontrou um caminho. Para título é um pouco impossível, mas vamos engrenar para buscar coisas mais importantes. Reta final, primeiramente é sair da zona de desconforto ali atrás, aí mais duas ou três vitórias podemos estar brigando por um G-4. Depende do Botafogo, nosso objetivo hoje é brigar por uma Libertadores, não pode estar oscilando.

JAIR VENTURA
A gente já conhece ele há muito tempo. É um treinador que não se omite, é jovem, tem personalidade, arrisca na hora certa... Tem todo potencial para estar entre os grandes.


SIDÃO
Sem dúvida (deu conta). Não só o Sidão, o Helton (Leite) também é um garoto que teve oportunidade, claro que pegou um momento difícil, mas o Botafogo está bem servido de goleiros. O Sidão é um cara experiente, está ajudando o Botafogo.


FLÁVIO TENIUS
Nunca escondi que para mim ele é um dos melhores treinadores de goleiro do Brasil. Não pode esquecer do trabalho do Jorcey e do (Paulo) Rui, mas isso foi pela diretoria, de trazer alguém com mais experiência. Isso é válido, o Rui e o Jorcey vão amadurecer mais ainda, e dará mais respeito e maturidade aos goleiros.


CAPITÃO
Ser capitão é algo natural da minha parte, não tenho um preparo, um esforço. Você nasce para ser capitão, e eu tenho essa personalidade. Espero ajudar dentro de campo como venho fazendo fora também.


Fonte: GE/

Por GloboEsporte.com/Rio de Janeiro