quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Projeto Libertadores: Botafogo vai ter mais investimento e reforços pontuais


Clube começa a traçar planejamento de 2017 nesta semana com nomes para barca e busca por jogadores "cascudos". Mas também pode perder peças importantes do time



A receita está definida: qualidade e não quantidade. Ao contrário de 2016, quando foi ao mercado remontar um time para a Série A do Campeonato Brasileiro e contratou 11 jogadores no início do ano, o Botafogo desta vez vai atrás de peças pontuais. Com uma base que está próxima de levar o time de volta à Taça Libertadores, o clube buscará nomes "cascudos" que possam dar peso ao elenco na competição sul-americana. E para isso contará com um poder maior de investimento, respaldado por venda de jogadores, novos patrocínios e contrato de televisão.
Carlos Eduardo Pereira, Jair Ventura e diretoria começam a decidir reforços e barca (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)

O orçamento para 2017 ainda não foi fechado, mas é fato que a folha de pagamento - hoje na casa de R$ 3,5 milhões - será maior. Nos últimos meses já começou a entrar dinheiro nos cofres do clube: R$ 9 milhões da venda à vista de Ribamar para o TSV Munique 1860, da Alemanha; R$ 7,3 milhões da segunda parcela da venda de Dória para o Olympique de Marseille, da França; R$ 1,4 milhão da "Caixa Econômica Federal" que será pago até janeiro, fora os R$ 12 milhões do patrocínio para o ano que vem; R$ 5 milhões do Comitê Olímpico da Áustria pelo aluguel de General Severiano, e R$ 500 mil pelo show do grupo americano Guns N`Roses, além de variáveis em bares e estacionamento, por exemplo.


Isso sem contar um montante de mais de R$ 500 mil que o Alvinegro economizará com o salário dos jogadores que vão integrar a barca em dezembro. Embora este valor não entre no cofre, é uma cifra que o clube poderá oferecer de salário para novos jogadores. Mas apesar da promessa de atuar como predador, o Botafogo não está imune ao mercado. A surpreendente campanha no segundo turno do Brasileiro despertou a atenção de outros clubes, de olho nos destaques do time de Jair Ventura. O planejamento já começou, e nesta quinta-feira a direção vai se reunir para avaliar reforços e saídas. Abaixo, o GloboEsporte.com mostra como está a situação do elenco.


A BASE

Neilton é desejo da diretoria para a
Libertadores 2017 (Foto: ARMANDO
PAIVA/AGIF/ESTADÃO CONTEÚDO)
Os dois primeiros reforços para 2017 devem vir do departamento médico. Considerados líderes do elenco e peças fundamentais para a próxima temporada, Jefferson e Luis Ricardo esperam estar à disposição na pré-temporada. Ao lado deles, Carli, Airton, Camilo, Rodrigo Pimpão e Sassá – todos com contrato em vigor – são os incontestáveis e formam a espinha dorsal para a próxima temporada, apesar de alguns deles já despertarem interesse em outros clubes. Outra grande aposta da diretoria, mas para compor o plantel, é na garotada campeã do Carioca e do Brasileiro Sub-20 esse ano: nomes como o zagueiro Marcelo, os volantes Bochecha e Matheus Fernandes, o meia Yuri e o centroavante Renan Gorne são as maiores apostas.


Dos jogadores que estão em fim de contrato, alguns são prioridades da diretoria para renovação. Neilton talvez seja o principal deles. O Botafogo já acionou seu empresário para abrir diálogo com o Cruzeiro, mas a negociação é considerada difícil. Emerson Silva, apesar da reserva atualmente, já tem encaminhada a ampliação de vínculo por mais uma temporada; Sidão foi aprovado como substituto de Jefferson e negocia a permanência, sendo a divergência apenas o tempo de contrato, um ou dois anos. Alemão também agradou, chegou emprestado com passe fixado, e o clube quer exercer a opção de compra junto ao Bragantino. E Gervásio "Yaca" Núñez tem chances de continuar para compor o plantel, já que vem sendo aproveitado por Jair.


BARCA
Salgueiro foi considerado decepção e
encabeçará a barca que dará folga nos salários
(Foto: André Durão)
Ainda sem jogar sob o comando de Jair Ventura, Geovane Maranhão, Anderson Aquino e Damián Lizio encabeçam a barca. Os três ficam sem contrato no fim do ano e não permanecem em General Severiano. Outro que está de saída é Salgueiro. O uruguaio – com vínculo até dezembro – tem um dos maiores salários do elenco ao lado de Canales e perdeu espaço no Brasileiro. Diferentemente dos outros gringos, Canales ainda tem mais um ano de contrato, mas o centroavante chileno não agradou, e há quem defenda na diretoria uma rescisão amigável.


Afastados do grupo principal, Lucas Zen e Milton Raphael também não terão seus vínculos renovados. Pouco aproveitados, mas com contrato em vigor, Hélton Leite, Diego, Diérson, e Gegê devem ser emprestados em caso de propostas. Cedidos ao Tupi-MG e ao Atlético-GO até o fim do ano, respectivamente, Octávio e Marquinho retornarão a General Severiano, mas estão na mesma situação. Com o alívio na folha salarial, reforços chegarão. Os alvos ainda não foram definidos. Keno, que acertou com o Palmeiras, e Marinho, que teve parte de seus direitos adquiridos pelo Vitória, foram jogadores citados nas primeiras reuniões, mas as negociações não foram adiante.

COBIÇADOS
Artilheiro do Botafogo, Sassá vem sendo
cobiçado, mas tem multa de R$ 30 milhões
 (Foto: André Durão)
O bom momento do Botafogo despertou atenção e gerou cobiça no mercado. Na maior parte dos casos, o clube está respaldado por altas multas rescisórias. Sassá recebeu sondagens de Corinthians e São Paulo. A saída para o exterior – ele esteve na mira do futebol chinês em 2015 - pode ser uma solução para os cofres alvinegros, uma vez que o contrato do atacante acaba em dezembro de 2017 e ele tem multa de R$ 30 milhões. São Paulo e Atlético-MG estão de olho em Airton, mas a multa de cerca de R$ 40 milhões deve inviabilizar o negócio. Fora uma proposta robusta, o Botafogo não tem interesse em se desfazer do volante. Galo e Flamengo consultaram a situação de Camilo. No fim do ano a multa do meia cai para R$ 12 milhões, mas a tendência é que o camisa 10 continue em General Severiano.


Situação diferente vive Diogo Barbosa. Com vínculo até dezembro, o lateral deve ser negociado pelo grupo que detém seus direitos econômicos com o Cruzeiro. Outra negociação complicada é a de Victor Luís. Emprestado pelo Palmeiras, o retorno do lateral já foi solicitado pela equipe paulista. Pouco otimista, o Botafogo vai tentar manter o jogador. Com contrato até maio, Luís Henrique é mais um que tem a situação indefinida. As partes ainda não chegaram a um acordo de renovação, e o atacante pode assinar pré-contrato com qualquer clube a partir do próximo mês. Juventus e Roma consultaram a situação no início do ano. Recentemente, o Atlético-PR buscou o empréstimo do jogador de 18 anos.


Sondado pelo Vasco, Bruno Silva tem contrato até o fim de 2017. O Botafogo avalia se o volante, alvo de críticas da torcida, continua na próxima temporada.


Fonte: GE/Por Marcelo Baltar e Thiago Lima/Rio de Janeiro