quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Chape surpreende na Ilha e encerra série invicta de 7 jogos do Botafogo


Equipe catarinense vence por 2 a 0 no Rio de Janeiro e frustra os mais de 10 mil alvinegros que foram à Arena. Time de Jair Ventura não marca há três jogos





O roteiro parecia pronto. Embalado e invicto há sete jogos, o Botafogo recebeu a Chapeconese, na Ilha do Governador, na noite desta quarta-feira, na expectativa de encaminhar a vaga na Libertadores. A equipe catarinense, no entanto, tinha outros planos. Mesmo com a cabeça na Sul-Americana, a Chape estragou a festa alvinegra e venceu por 2 a 0, com gols de Kempes e Sérgio Manoel.


O resultado não foi trágico para o Botafogo, mas diminuiu a gordura na briga por uma vaga na Libertadores. Com 55 pontos, o time de Jair Ventura segue na quinta colocação, mas pode ver seus adversários por um lugar no G-6 se aproximarem. A equipe volta a campo no domingo, quando visita o líder Palmeiras, em São Paulo. Tranquila, a Chapecoense chegou a 49 pontos e subiu para a 10ª posição. 

Kempes marcou o primeiro gol da Chape (Foto: André Durão / GloboEsporte.com)

Com dois times intensos e muito fortes na marcação, era de se esperar um início de jogo sem muitas chances. A partida começou equilibrada, mas o Botafogo tinha mais iniciativa. Neilton quase marcou ao driblar o goleiro, mas se enrolou com Lindoso. Aos poucos, no entanto, a Chape colocou a bola no chão e passou a tomar conta. Kempes teve duas boas oportunidades. Na terceira, ele guardou de cabeça, após cruzamento de Cleber Santana. Camilo ainda acertou a trave em cobrança de falta, mas a equipe catarinense foi em vantagem para o intervalo.


O Botafogo voltou com outra postura e se lançou ao ataque. O goleiro Danilo fez ao menos três grandes defesas em chutes de Pimpão e Neilton e cabeçada de Camilo. O problema foi que a equipe carioca deixou muito espaço para contra-ataques. E em um deles, após belo lançamento de Tiaguinho, Sérgio Manoel ganhou na corrida de Emerson e tocou na saída de Sidão para ampliar: 2 a 0. A partir daí o que se viu foi pressão do Botafogo, mas sem qualquer organização. Os três jogos sem marcar pesaram, e o time, muito nervoso, perdeu muitos gols. A melhor chance, novamente, foi com Camilo, que acertou a trave mais uma vez. 


Fonte: GE/Por GloboEsporte.com/Rio de Janeiro