sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Ufa! Após maratona e emoções, Bota tem tempo para respirar e tratar lesões


Alvinegro, que realizou dez jogos em um mês, terá quatro dias de descanso e só volta a jogar em duas semanas. Elenco ganha primeiras folgas após pré-temporada



MARATONA EM UM MÊS

22/1 - 4 x 0 Rio Branco (Cariacica)
25/1 - 0 x 2 Madureira (Bangu)
28/1 - 1 x 1 Nova Iguaçu (Rio)
01/2 - 2 x 1 Colo-Colo (Rio)
04/2 - 2 x 1 Macaé (Rio)
08/2 - 1 x 1 Colo-Colo (Santiago)
12/2 - 1 x 2 Flamengo (Rio)
15/2 - 1 x 0 Olimpia (Rio)
19/2 - 3 x 2 Boavista (Bacaxá)
22/2 - 0 x 1 Olimpia (Assunção)


A classificação para a fase de grupos foi recheada de euforia, mas também de um certo alívio. Além da conseguir o primeiro objetivo da temporada, o Botafogo, enfim, terá tempo para descansar. Afinal, depois uma maratona intensa de jogos e emoção, o elenco ganhou quatro dias de folga. Algo raríssimo em 2017.

Incluindo o amistoso contra o Rio Branco, em 22 de janeiro, o Botafogo entrou em campo dez vezes em um mês. Jair Ventura alternou a equipe, fez rodízio, mas a sequência não permitiu folgas. Desde que retornou da pré-temporada no Espírito Santo, no dia 24 de janeiro, o Alvinegro treinou ou jogou todos os dias. Ao retornar do Paraguai, o elenco ganhou folga até segunda-feira.

Além da pesada carga de trabalho, houve também o peso emocional. Eliminação precoce na Taça Guanabara, clássico contra o Flamengo e quatro jogos de caráter decisivo seguidos pela Libertadores. O objetivo principal – classificação para a fase de grupos – foi atingido.

- Tirou aquele peso, dei uma respirada. Mas foi o que escolhi para a minha vida. Agora vou passar o Carnaval tranquilo, dar folga aos jogadores. Depois vamos nos preparar para fase de grupos, que será muito forte – disse Jair Ventura, aliviado e feliz após a classificação em Assunção. O treinador ainda não decidiu se vai acompanhar os desfiles das escolas de samba na Sapucaí. 

Jogadores do Botafogo antes das cobranças de pênaltis contra o Olimpia (Foto: Vitor Silva / SSpress / Botafogo)

Valeu a pena? É claro que sim. A maratona foi exaustiva, mas o Botafogo passou por clubes tradicionais como Colo-Colo e Olimpia e está na fase de grupos da Libertadores. A sequência, porém, também causou danos. Carli, Montillo (duas), Helton Leite e Gatito sofreram lesões musculares. Camilo e Bruno Silva sofreram com dores. Bochecha rompeu os ligamentos do joelho e foi operado. Airton também teve um problema no cotovelo, mas não chegou a desfalcar a equipe.

- Agora a gente vai ter tempo para nossa pré-temporada. Período curto, perdemos bastantes jogadores por lesão, cansaço... Entregar os primeiros dias ao nosso departamento físico e de fisiologia para que a gente possa fazer um grande ano - disse Jair, na chegada ao Rio.

O tempo, que era o grande vilão, agora é aliado do Botafogo. Fora da fase decisiva da Taça Guanabara, o Botafogo terá mais de duas semanas de descanso. O próximo jogo previsto é contra o Volta Redonda, na estreia na Taça Rio, em 11 de março. Até lá a comissão técnica terá tempo para ajustar o time e recuperar jogadores.

- Agora a gente vai ter uma folguinha, mas semana que vem volta a trabalhar e focar no restante da temporada - comemorou Airton.

Fonte: GE/Por Marcelo Baltar e Thiago Lima/Rio de Janeiro