quinta-feira, 1 de junho de 2017

Roger vê Botafogo pronto para frear Guerrero e diz: "Acho supervalorizado"


Atacante alvinegro elogia, mas vê badalação exagerada sobre centroavante do Flamengo e torce para Diego não jogar em Volta Redonda: "Esse sim faz a diferença"





Sempre sincero, Roger voltou a dar ótima entrevista coletiva no Botafogo (Foto: Divulgação / Botafogo)

As câmeras na sala de imprensa do Botafogo estavam ligadas desde cedo à espera de Roger. O centroavante que fez um golaço sobre o Sport e classificou o Botafogo para as quartas de final da Copa do Brasil sempre rende boas coletivas. Em um mar de entrevistas batidas, ele é sempre contundente ao falar, seja para desabafar, reclamar, elogiar e até cornetar.

Às vésperas do clássico contra o Flamengo no domingo, às 11h (de Brasília), no Raulino de Oliveira, o camisa 9 vê grandes chances de ser o jogo da rodada do Campeonato Brasileiro. E depois de ser vítima de Guerrero nos dois jogos em que se enfrentaram esse ano, opinou que há uma badalação exagerada sobre o peruano e garantiu que o Alvinegro está pronto para pará-lo.

– Acho ele um grande jogador, mas também acho supervalorizado. Não vejo nível que excede a todos da forma que é tratado. Temos tendência no Brasil a valorizar o que não é nosso, acho que o Fred (do Atlético-MG) é muito mais jogador que ele. Mas é bom jogador, joga em uma boa equipe, que cria chances, é perigoso dentro da área. Temos que ficar espertos com o time todo do Flamengo, não só com ele – opinou Roger, que torce para que Diego, que se recupera de lesão, não jogue.

– Esse sim eu acho diferente, arruma o time, dita ritmo. Não é à toa que está na Seleção. Muito bom jogador, teria o máximo de cuidado. Cara organizador, muito valorizado no futebol, mas estamos preparado para marcá-lo. O Conca está há muito tempo sem jogar, não sei como está. Lembro do Conca aquele argentino chato de marcar. Espero que não joguem.

O tema principal da coletiva foi o clássico, mas não só isso. O camisa 9, que agora é o vice-artilheiro do Alvinegro na temporada com sete gols – empatado com Pimpão e um atrás de Sassá – falou também sobre a boa fase do Botafogo; a amizade com o técnico Jair Ventura; o golaço feito sobre o Sport; o cartão que recebeu em reclamação com a bandeirinha, entre outras coisas.



Roger desencantou e já é o vice-artilheiro do time em 2017 (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)


Confira outros trechso da coletiva de Roger:


BOTAFOGO FEZ TANTO COM TÃO POUCO

Não é o jeito que eu penso, futebol hoje se resolve dentro de campo. Há sempre badalação para quem contrata, paga salário maior, mas isso não quer dizer muita coisa. Igualdade do futebol brasileiro, nível das equipes. Temos bom elenco, bom time, claro que se chegarem reforços vai ajudar. Jogamos de igual para igual, badalação não ganha jogo.


FOME DE TÍTULO
Cada mata-mata que consegue avançar... Você vê o nível das equipes que vão ficar. Esses jogos são bons de jogar, nós vimos com alegria a possibilidade de conquistar o título. Quando cheguei aqui disse que há tempos não encontrava equipe com tanta fome. Temos grandes chances de conquistar algo esse ano.


AMIZADE COM JAIR
É maturidade, começa a entender melhor, entende que às vezes ficar fora faz bem. Sentei com ele semana passada, falei que estava muito desgastando, dei opção de ficar fora domingo. Temos pouca diferença de idade. Dentro de campo dar o meu máximo e fora bater um bom papo. Tendência do futebol é isso, treinador falar e ouvir, ter essa dinâmica.


DIFERENCIAL DO JAIR
Eu acho que hoje no futebol não tem muita diferença entre um treinador para outro. Acho que é a formação do grupo, isso que faz e fez a diferença aqui no Botafogo. Mas tem uma coisa que procuro exaltar nele: a justiça. O Airton vinha jogando bem, não pôde ir para viagem, e o Lindoso entrou bem. Todo mundo acredita que tem chances. Nem mesmo o Gatito se garante como titular na volta do Jefferson. Esse senso de Justiça tem feito diferença para nós.


MARATONA DE JOGOS DESICIVOS
A gente acabou se preparando para isso. Nos apresentamos em janeiro já com a faca no pescoço, eliminado por muito de vocês. Aqueles 15 primeiros dias já trouxe que seria ano de decisão, e a gente acostumou. É o maior barato assim, estamos maduros para essa situação: "Olha, mais um". E domingo é mais um. Se vencer podemos ser líder ou fechar entre os 5 primeiros.


RIVALIDADE COM FLAMENGO

É sempre bom jogar um clássico, ainda mais contra eles, já que é para muitos a equipe a ser batida no Brasil. Estamos preparados, viemos bem, essas classificações nos deixaram fortalecidos. Temos nosso sistema, jeito de jogar, não abrimos mão disso, acho muito legal. Todo mundo acreditando no projeto do Jair.


CLÁSSICO EM VOLTA REDONDA

Não conheço a área ali, acho que campo neutro. Talvez a casa do Flamengo seja o Maracanã, talvez fique mais igual. Deve ter mais torcida dele,mas nosso torcedor vai também nos empurrar. Tem tudo para ser o grande jogo da rodada.


JOGO ÀS 11H

Não gosto desse horário. Talvez é ótimo para torcedor, mas para nós atletas, quero convidar a vocês a estar nessa rotina, acordar 6h30, ter que comer macarrão às 7h... Foge muito de uma rotina do que a gente vem fazendo.


Gol do Botafogo! João Paulo lança e Roger dribla marcador e marca aos 11 do 1º tempo


GOLAÇO SOBRE O SPORT

Maravilhoso, não é fácil para um camisa 9 ficar sete, oito jogos sem marcar. Gol que traz um pouco de alívio, tranquilidade, confiança volta. Dúvidas que começam a aparecer vão embora. Acabamos no final dando vaciladinha, mas valeu pela grande partida no contexto.


TIMES DA LIBERTADORES VIVOS NA COPA BR

Até pela montagem dos elencos, os clubes investem um pouco mais, trazem jogadores destaques em outras equipes. Isso não é à toa. Se parar para analisar, os investimentos são maiores, têm algo a mais. Libertadores pede isso. Na Copa do Brasil agora fica o filé, quem pode mais chora menos. Particularmente vou torcer para a Chape passar.


JOGAR FORA DE CASA

Quando joga fora de casa e sai na frente a coisa facilita, abre mais opções, pode contragolpear o tempo todo. Mas fizemos bons jogos em casa contra Bahia e Ponte, dominamos o jogo. Temos um padrão desde janeiro de marcar forte, se entregar um pelo outro, só assim vamos conquistar algo.


PAPO COM A BANDEIRINHA

Usei uma expressão que não posso falar aqui. Mas disse que tinha certeza de que ela estava fazendo um mal trabalho. O que eu falei não foi feio, mas falei que era incompetente e tinha que ser suspensa. Se a gente fosse eliminado, viria torcedor na internet xingar que Botafogo não passa de fase. Se tivesse dado o gol, teríamos que tomar quatro, a coisa facilitaria muito. Fui dar uma dura, ela não gostou muito (risos). Mas é algo que a gente faz no dia a dia, não tem como (errar), vem de trás, eu não tive dúvida, reclamei sabendo. Depois falei para o juiz: "Você me deu amarelo, tinham que ver a imagem e tirar o cartão. Porque o Bruno Silva chutou a bola e vocês deram três jogos. Mas a gente entende que é impossível isso no Brasil.


Fonte: GE/Por Thiago Lima, Rio de Janeiro