sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Presidente do Bota se encontra com prefeito do RJ para tratar do Engenhão


Objetivo do recém-eleito Carlos Eduardo Pereira é saber de Eduardo Paes as atuais condições do estádio e repassar gastos do clube durante seu fechamento


O terceiro dia de trabalho de Carlos Eduardo Pereira à frente do Botafogo poderá ser um dos mais importantes de sua gestão. Está marcada para esta sexta-feira uma reunião com Eduardo Paes, prefeito do Rio de Janeiro, para tratar do Engenhão. O novo presidente pretende tomar conhecimento da real situação do estádio, que foi fechado em março do ano passado e é considerado um trunfo para a recuperação econômica a partir de 2015.

Presidente do Botafogo encontra prefeito do Rio para tratar sobre o Engenhão (Foto: Thales Soares)
A ideia é que, depois das obras de reparação da cobertura - que segundo alguns laudos estava ameaçada de desabar por conta de problemas em sua estrutura -, o Engenhão seja devolvido ao Botafogo em 31 de dezembro. No entanto, possivelmente o estádio seja reaberto parcialmente, ou seja, com algumas obras ainda em andamento. O trabalho também será acompanhado por Álvaro Antunes, que será nomeado vice de patrimônio do Alvinegro.

No encontro com Eduardo Paes, o Botafogo pretende apresentar a planilha de gastos com serviços pagos pelo clube durante o período de fechamento do Engenhão, quando o consórcio construtor e a Prefeitura retomaram a concessão. A intenção do clube é que haja um acordo amigável para ressarcimento destes pagamentos por serviços como água e luz.

A estimativa da diretoria comandada por Maurício Assumpção era de que o Botafogo teria deixado de arrecadar cerca de R$ 40 milhões no período de fechamento do Engenhão. O departamento jurídico chegou a preparar uma ação contra a Prefeitura, mas caberá ao novo comando do clube decidir se dará seguimento a essa medida ou se buscará outro tipo de acordo a partir do encontro com Eduardo Paes nesta sexta-feira.

Por Gustavo RotsteinRio de Janeiro/GE