sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Advogado de joia de R$ 55 milhões reclama de TRT recolocar Botafogo em Ato




O advogado Theotonio Chermont de Britto foi o responsável por entrar na Justiça contra o Botafogo para obter a liberação do apoiador Daniel. Com multa rescisória de R$ 55 milhões, o apoiador foi orientado a se desvincular e procurar novo time para a próxima temporada, deixando General Severiano pelas portas dos fundos. Não satisfeito em tirar o talentoso jovem do Alvinegro, o advogado reclamou da decisão do Tribunal Regional do Trabalho de ter homologado o retorno do clube ao Ato Trabalhista.

"Resta lamentar. Pior resposta do TRT aos seus jurisdicionados diante da histórica postura caloteira do Botafogo com os atos anteriores", disse sem levar em consideração a entrada de uma nova diretoria, liderada pelo presidente Carlos Eduardo Pereira, após eleições do dia 25 de novembro.

Com provocativo, o advogado vai além e já prevê novo calote do Botafogo com o Ato Trabalhista. "Não dou um ano para descumprirem o Ato Trabalhista novamente", afirmou em sua conta no Twitter.

Em seguida, ele usou o Flamengo como exemplo e voltou a acusar o Botafogo de ter dado calote de R$ 120 milhões. "Flamengo quitou suas dívidas trabalhistas, e Fluminense vem pagando o ato religiosamente. Só o Botafogo foi excluído três vezes e deu cano de R$ 120 milhões. O erro de uns não justifica o de outros. Cada caso é distinto e o do Botafogo pode ser considerado o calote mais escancarado já aplicado no TRT", critica.

Theotonio Chermont encerrou suas críticas com uma pergunta: "A pergunta que não quer calar: o Botafogo vai restituir os credores ao ganhar o seu quarto Ato Trabalhista? São apenas R$ 120 milhões sonegados", ironizou.

Abordado por alguns torcedores do Botafogo, o advogado fez questão de ressalta que ele teve papel importante na retirada do Alvinegro do Ato Trabalhista, em 2012. "Conheço todos os atos e o excluí do último. O clube se comprometeu com o Tribunal em troca de não sofrer penhoras e descumpriu".

Apesar da lamentação do advogado, o Botafogo está de volta ao Ato Trabalhista, o que representa um passo importante para o fim das penhoras por dívidas trabalhistas. Com a decisão do TRT, o Alvinegro poderá planejar melhor sua próxima temporada.

Do UOL, no Rio de Janeiro