sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Após drible em quero-queros, Botafogo faz coletivo com mudanças



Na véspera de jogo-treino, René Simões promove entrada de Elvis e Sassá, mas faz outros testes



Pimpão tenta espantar um quero-quero (Foto: Gustavo Rotstein)
Um dia antes do jogo-treino do Botafogo contra o Gonçalense, René Simões promoveu um coletivo na tarde desta sexta-feira, em Várzea das Moças, Niterói (RJ). E embora tenha mantido a base que vem atuando nos últimos treinamentos, o técnico iniciou a atividade com duas mudanças. Entraram o meia Elvis e o atacante Sassá no lugar do volante Willian Arão e do meia Diego Jardel.

Antes de a bola rolar, entretanto, o grupo enfrentou a primeira dificuldade. Uma família de quero-queros precisou ser retirada do gramado, não sem antes ameaçar alguns ataques. Rodrigo Pimpão, Jobson e Bill foram alguns dos que se arriscaram para que os pássaros deixassem o terreno livre para o treino começar.

A equipe começou com a seguinte formação: Jefferson, Gilberto, Roger Carvalho, Alisson e Carleto; Marcelo Mattos, Airton (Willian Arão) e Elvis (Gegê); Sassá (Murilo), Rodrigo Pimpão e Bill.

Como era esperado, René fez algumas mudanças ao longo do treinamento para observar as melhores opções. O treinador parou a atividade em diversos momentos, principalmente para orientar sobre posicionamento. Além disso, pediu precisão nos passes para evitar contra-ataques dos adversários.

Jefferson pediu atenção aos zagueiros do Alvinegro durante a atividade (Foto: Gustavo Rotstein)

Os próprios jogadores se cobraram muito. Capitão da equipe, Jefferson a todo momento pedia atenção à defesa. O lateral-esquerdo Thiago Carleto e o volante Marcelo Mattos também cobraram os companheiros. Até Rodrigo Pimpão, do campo ofensivo, mandou o recado aos companheiros que se ajustavam para uma falta a ser cobrada dentro da área dos titulares.

- Aí dentro a bola precisa ser nossa! Atenção!

O jogo-treino contra o Gonçalense será o primeiro teste do Botafogo. A partida, que será no CEFAT, em Niterói, estará aberta ao público, mediante a doação de um quilo de alimento e sujeito a lotação.


Por Gustavo Rotstein e Sofia Miranda*Rio de Janeiro* GE