sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

Bota lança novo programa de sócio: "Precisamos que a torcida abrace"


Preços vão de R$ 14,90 a R$ 119,80, e alguns planos fornecem entrada para jogos:
"É uma convocação ao botafoguense para que ele se junte ao clube", diz presidente




O presidente do Botafogo, Carlos Eduardo Pereira, anunciou o novo formato do programa de sócio-torcedor Sou Botafogo em entrevista coletiva na sala de imprensa de General Severiano, onde também tratou da reabertura do Engenhão. Os preços vão de R$ 14,90 a R$ 119,80, e alguns planos fornecem ingressos para os jogos que o clube mandar no Engenhão.

- O que o clube precisa é buscar novas receitas. A última gestão adotou a praxe de sempre adiantar receitas, e nós já sabíamos onde isso iria dar. Infelizmente o clube chegou a essa situação no fim de 2014. Precisamos que a torcida abrace o clube. Esse programa não é para novas cadeiras, reformas de banheiros. É uma convocação ao botafoguense para que ele se junte ao Botafogo na campanha de Carioca e, principalmente, Copa do Brasil e Série B do Brasileirão. Todos os recursos serão direcionados ao futebol. Para retornarmos ao nosso lugar de direito, precisamos contar com o apoio da nossa torcida. Essa não será uma promessa vazia.

Carlos Eduardo Pereira apresenta novos planos de sócio-torcedor no Botafogo (Foto: Vicente Seda)

Ao todo, foram apresentados sete planos. Os dois mais baratos oferecem apenas carteirinha personalizada, descontos e promoções. A partir do terceiro, de R$ 24,80, os torcedores pagam meia-entrada para adquirir os ingressos. Já o quarto, no valor de R$ 34,80, garante entrada apenas para o Setor Norte. Outros planos dão acesso a outros setores, como Leste Inferior e Oeste Superior.

Preços dos novos programas lançados pelo Botafogo (Foto: Vicente Seda)

- Já sabíamos que o evento iria influenciar, então temos de nos adaptar. Talvez em dezembro já tenhamos de entregar ao COI, mas o mais importante é podermos voltar a utilizar o espaço e fazer com que o Botafogo não vire um sem-teto, andando pelos estádio sem ter a sua casa.

Ao lado de Carlos Eduardo Pereira, estiveram reunidos o goleiro Jefferson, além de Anderson Simões, Marcio Padilha e Antonio Carlos Mantuano, vice administrativo, vice de comunicação e vice de futebol do Botafogo, respectivamente. Na coletiva, o presidente explicou a razão pela qual decidiu passar a chamar o estádio de Nilton Santos.

- Isso traz, além do retorno, uma grande motivação: reencontrar o nome de Nilton Santos. Um dos maiores atletas do futebol mundial. O Botafogo adota o nome independentemente de todo a formalidade, de aprovação de Câmara ou de outros meios. Um nome tão especial não precisa de autorização formal. O prefeito (Eduardo Paes) foi informado, não gostaria de fazer uma troca formal, não passamos por cima de ninguém. Ele colocou que por parte da Prefeitura não haverá nenhum empecilho - explicou o presidente.

Nova carteirinha de sócio-torcedor do Botafogo (Foto: Vicente Seda)

Engenho pode ser do COI em dezembro


A coletiva foi marcada para a véspera do retorno alvinegro ao estádio, interditado deste março de 2013 por problemas estruturais. Neste sábado, o Botafogo volta a sua casa para receber o Bonsucesso, pela terceira rodada do Campeonato Carioca, ainda sem sua capacidade máxima, com 17.444 ingressos à venda. A previsão é que novos 5 mil lugares sejam disponibilizados em abril e que até julho o estádio possa operar com 100% de sua capacidade. Por ora, ele garante que o torcedor que for ao Engenhão neste fim de semana não encontrará problemas.


- O Botafogo está fazendo por ter todas as garantias de segurança para o público e conforto. Bilheteria, estacionamento, acesso para pessoas com necessidades especiais, ou seja, tudo estará em perfeitas condições com seu anel inferior funcionando - completou.

O presidente explicou, no entanto, explicou que Botafogo pode ficar sem o Engenhão após dezembro. Isso porque o estádio ainda passará por reformas para receber as competições de atletismo nos Jogos de 2016.

- Já sabíamos que o evento iria influenciar, então temos de nos adaptar. Talvez em dezembro já tenhamos de entregar ao COI, mas o mais importante é podermos voltar a utilizar o espaço e fazer com que o Botafogo não vire um sem-teto, andando pelos estádio sem ter a sua casa.

Veja outros trechos da entrevista coletiva:

Carlos Eduardo Pereira, sobre evento volta ao Engenhão neste sábado:

- Uma nova logomarca, simbolizando o desenho do estádio, nossas cores, com o nome Nilton Santos. Faremos amanhã (sábado, contra o Bonsucesso) uma série de homenagens, e vou pedir ao Márcio Padilha um resumo das atividades. O evento não começa do estádio. Às 14h, com a família do Nilton, o hasteamento do novo bandeirão aqui na sede, doado por um grupo de botafoguenses de São Paulo, porque o antigo já estava encardido. Teremos a presença da ex-esposa do Nilton Santos, dos filhos dele e de uma neta. Também aguardamos confirmação de alguns ex-jogadores que tiveram relação com o Nilton.

Carlos Eduardo Pereira, sobre sentimento com a volta ao estádio:

- É mais um passo que damos no sentido de resgatar a autoestima do botafoguense, que foi duramente castigada em 2014. Nada melhor do que esse reencontro ser num estádio desse porte, e com o nome do Nilton Santos.

Carlos Eduardo Pereira, sobre a crise financeira do clube:
- Tenho repetido até a exaustão que 2015 será extremamente difícil para o Botafogo. Conseguimos entrar no Ato Trabalhista, mas ainda temos muita dificuldade na parte fiscal. Ainda falta um caminho, que está um pouco dificultado pela pouca disponibilidade de novas receitas que nos permitam fazer novos pagamentos.

Carlos Eduardo Pereira, sobre a importância do programa de sócio-torcedor:

- O que o clube precisa é buscar novas receitas. A última gestão adotou a praxe de sempre adiantar receitas, e nós já sabíamos onde isso iria dar. Infelizmente o clube chegou a essa situação no fim de 2014. Precisamos que a torcida abrace o clube. Esse programa não é para novas cadeiras, reformas de banheiros. É uma convocação ao botafoguense para que ele se junte ao Botafogo na campanha de Carioca e, principalmente, Copa do Brasil e Série B do Brasileirão. Todos os recursos serão direcionados ao futebol. Para retornarmos ao nosso lugar de direito, precisamos contar com o apoio da nossa torcida. Essa não será uma promessa vazia.

Carlos Eduardo Pereira, sobre permanência de Jefferson:

- Quero fazer um agradecimento especial ao Jefferson. Nosso plantel sofreu muito em 2014, um ano de muitas privações e problemas. Desde que chegamos sempre encontramos disposição, hombridade e um compromisso com o clube surpreendentes. Não esperávamos. Foram grandes batalhadores e procuramos em momento nenhum deixar que aqueles atletas que continuaram conosco tivessem qualquer responsabilidade negativa pelos resultados em 2014. Procuramos valorizar, e valorizar muito. Especialmente o Jefferson, jogador de seleção brasileira. Se levarmos em conta a condição que chegamos no fim do ano, a possibilidade que tivemos de permanente diálogo com Jefferson e seus empresários, culminando na sua permanência e na extensão do compromisso, foi uma prova de confiança, respeito e amor ao Botafogo. Então queria fazer mais uma vez esse agradecimento público ao Jefferson. Tenho certeza de que no fim do ano estaremos de volta à Série A.

Marcio Padilha, vice de Comunicação Social, explica benefícios do novo programa:

- Já está no ar o bolão de apostas. O sócio-torcedor pode dar seu palpite, e quem acertar mais receberá prêmios. Estamos lançando um projeto similar das embaixadas, que chamamos de estrelas. Quisemos dissociar o sócio-torcedor do acesso ao estádio. Ser sócio-torcedor começa pelo Botafogo no coração. Quem gosta de mais conforto, na região central, coloca o plano Vip. Futuramente estaremos colocando nesse modelo até o camarote, com um compartilhado para sócios-torcedores.Teremos uma revista, que custará metade para o sócio-torcedor. Futuramente a carteirinha dará acesso ao estacionamento. E até participar das eleições. O sócio-torcedor terá de pagar um determinado valor, mas assim poderá participar. Há outros produtos ainda sendo negociados. A partir do momento que estiver no programa, o torcedor poderá agregar uma série de benefícios, conforme seu gosto.

Por Vicente Seda Rio de Janeiro/GE