terça-feira, 14 de abril de 2015

Festa, pênaltis e sofrimento: Botafogo volta ao Engenhão na Copa do Brasil


Com histórico marcado por classificações, vitórias suadas e frustrações, Alvinegro reencontra nesta quarta-feira seu estádio na competição depois de quase três anos




Jefferson encara Léo Rocha após defender cavadinha e dar vitória ao
sobre Treze-PB, em 2012 (Foto: Fernando Soutello / Agif / Ag. Estado)
Após quase três anos o Botafogo vai voltar a disputar uma partida de Copa do Brasil no Estádio Nilton Santos. Ao mesmo tempo em que existe a confiança pelo bom desempenho da equipe em seu estádio na atual temporada, o confronto com o Botafogo-PB, nesta quarta-feira, merece atenção total. Isso porque o histórico do Alvinegro no Engenhão pela competição tem momentos de comemoração e vitórias, mas também de disputas de pênalti e eliminações improváveis.

Foi o caso da última partida do Botafogo no Estádio Nilton Santos pela Copa do Brasil. Em 9 de maio de 2012 os torcedores ainda chamavam seu estádio de Engenhão, e a equipe tinha a classificação para as quartas de final bem encaminhada após o empate em 1 a 1 com o Vitória em Salvador. Mas o time comandado por Oswaldo de Oliveira deixou escapar a vaga ao perder por 2 a 1 de virada. Anteriormente, naquele mesmo ano, o Botafogo correu sério risco de ser eliminado pela primeira vez na primeira fase ao conseguir vencer o Treze-PB somente na disputa de pênaltis, após empate em 1 a 1 no tempo normal. O jogo ficou marcado pela defesa de Jefferson numa cobrança de Léo Rocha, que arriscou uma cavadinha.

Túlio contra a Portuguesa, pela Copa do Brasil de 2008: jogo com
40 mil torcedores no Engenhão (Foto: Cezar Loureiro /Agência O Globo)
Se o Botafogo levou a melhor nas penalidades em 2012, o mesmo não se pode dizer de 2009. Depois de vencer por 2 a 1 o Americano nos 90 minutos, o Alvinegro carioca deixou a Copa do Brasil ao perder por 5 a 4 nos pênaltis para a equipe de Campos, com Maicosuel desperdiçando uma cobrança após marcar aos 46 minutos do segundo tempo o gol que deu ao time a chance de continuar sonhando seguir na competição. No entanto, dois anos depois o Botafogo teve melhor sorte na marca da cal, vencendo o River Plate-SE após fazer um sofrido 1 a 0 no tempo normal – um polêmico gol contra.

A torcida do Botafogo também sofreu para ver o Botafogo passar da primeira fase em 2010. Depois de perder por 1 a 0 para o São Raimundo-PA, a equipe venceu por 4 a 3 no jogo de volta. Essa combinação de resultados normalmente não daria a vaga ao Alvinegro, já que o adversário marcou mais gols fora de casa. No entanto, o clube paraense perdeu seis pontos por ter escalado jogadores irregulares no jogo de ida, em Santarém.

Maicosuel é consolado após perder pênalti que eliminou time contra
 o Americano, em 2009 (Foto: Alexandre Cassiano / Agência O Globo)
O alívio de passar da primeira fase, entretanto, deu lugar ao sofrimento da eliminação em casa na etapa seguinte. Mesmo tendo vencido por 1 a 0 o Santa Cruz no Arruda, em Recife, o Botafogo foi eliminado no Engenhão, perdendo por 3 a 2 o confronto de volta. O gol do Tricolor pernambucano foi marcado aos 45 minutos do segundo tempo.

Mas nem de sofrimento viveu a torcida nos confrontos da Copa do Brasil em seu estádio. Em 2008, o Botafogo celebrou uma classificação para a semifinal vencendo por 2 a 0 o Atlético-MG. Na etapa anterior, o Engenhão recebeu um de seus maiores públicos – 40 mil pessoas – na vitória por 2 a 1 sobre a Portuguesa.

Com o Engenhão interditado para obras de reparo em sua cobertura, o Botafogo não atuou pela Copa do Brasil no estádio em 2013 e 2014. A volta será nesta quarta-feira, contra o Botafogo-PB, às 19h30. Por ter empatado por 2 a 2 no jogo de ida em João Pessoa, o Alvinegro pode garantir a classificação para a segunda fase se ficar no 0 a 0 ou 1 a 1, além de qualquer vitória. Será uma maneira de retomar a relação com a Copa do Brasil tendo em mente as melhores lembrança.




Por GloboEsporte.com Rio de Janeiro/GE