segunda-feira, 6 de abril de 2015

Garoto com futebol de gente grande: Fernandes ganha espaço no Botafogo


Aos 20 anos e recém-promovido ao profissional, jogador tem jeito de menino e ainda não comprou um carro. Em campo, porém, ele já conquistou René Simões e a torcida



A cena é incomum no meio do futebol. Um dos destaques da vitória sobre o Madureira, Fernandes e a família, ao lado de alguns torcedores, aguardavam um táxi na saída do Estádio Nilton Santos, em uma guarita para se proteger da chuva. Aos 20 anos, a revelação alvinegra ainda é um garoto e não tem carro. Dentro de campo, no entanto, o futebol é de gente grande.




Fernandes começou o jogo no banco e substituiu Tomas aos 10 minutos da etapa final, quando o Botafogo perdia por 1 a 0 para o Madureira. Com muita movimentação, o jovem deu nova dinâmica ao time e ajudou o Alvinegro a virar e vencer por 4 a 1. O gol foi a cereja no bolo da grande atuação. (veja no vídeo acima).

- Estou aí à disposição, sempre brigando pela posição. Fico feliz por ter entrado bem, marcado um gol e ter ajudado a equipe. Agora é manter o trabalho, já que temos essa fase final e vamos buscar coisas maiores – frisou Fernandes, na saída do Estádio Nilton Santos.

Após mudar a cara do Botafogo contra o Madureira, Fernandes se protege da chuva em uma guarita, enquanto aguarda táxi na saída do Estádio Nilton Santos (Foto: Marcelo Baltar)

Integrado no início do ano ao elenco profissional, Fernandes disputou 13 partidas e marcou dois gols pelo Botafogo. René Simões elogiou a atuação do garoto.

- O Fernandes entrou muito bem e vem jogando muito bem. Ele já tinha entrado bem no jogo da Paraíba (contra o Botafogo-PB, pela Copa do Brasil). Além de ter uma técnica sensacional, ele tem muita inteligência – elogiou René Simões.

Com 33 pontos, o Botafogo assegurou uma vaga nas semifinais do Campeonato Carioca. Na última rodada da fase de classificação, quarta-feira, contra o Macaé, no Estádio Nilton Santos, o time tenta o título da Taça Guanabara. Para isso, precisa vencer e torcer por um tropeço do Flamengo diante do Nova Iguaçu.

Por Marcelo Baltar Rio de Janeiro/GE