sexta-feira, 8 de maio de 2015

Com Botafogo favorito e dupla Ba-Vi, Série B terá início nesta sexta



Marcos Vieira, especial para a Gazeta Esportiva.Net São Paulo (SP)


Nesta sexta-feira, terá início mais uma edição do Campeonato Brasileiro da Série B. A competição será composta por 20 clubes, que disputarão quatro vagas para a elite nacional mediante o sistema de pontos corridos estruturado em dois turnos, contabilizando 38 rodadas. Tal configuração é empregada desde o ano de 2006, quando o Atlético-MG ficou com o troféu, reunindo 71 pontos. Entretanto, o clube favorito a faturar a segunda divisão desta temporada também já figurou no degrau mais alto do patamar futebolístico verde e amarelo e é conhecido pelo uniforme alvinegro: o Botafogo.

Embora tenha deixado o título do Campeonato Carioca escapar para o rival Vasco, a Estrela Solitária chega com méritos para a Série B. Depois de amargar o rebaixamento em 2014, sob o comando de Vagner Mancini, a formação de General Severiano trouxe o experiente técnico René Simões, que formou uma equipe competitiva a partir de reforços pouco badalados, mas experientes no quesito acesso – caso dos atacantes Rodrigo Pimpão e Bill. O atual detentor da Taça Guanabara – honraria para o líder da primeira fase do Estadual do Rio de Janeiro – disputou o torneio de promoção pela última vez em 2003, quando retornou à elite ao lado do Palmeiras, tendo como destaques Sandro, Almir e Camacho.

Além do Alvinegro, a Série B traz consigo outro atrativo: a presença dos rivais Bahia e Vitória. O Tricolor de Sérgio Soares inicia a temporada em panorama mais tranquilo, já que conquistou o Estadual ao protagonizar uma virada improvável sobre o surpreendente Vitória da Conquista. Precisando reverter um marcador de três gols, o Esquadrão de Aço aplicou 6 a 0 sobre a zebra na Fonte Nova e ergueu o caneco, aliviando a dor do vice-campeonato da Copa do Nordeste. Na competição regional, o primeiro campeão nacional acabou superado pelo Ceará, que também chega credenciado para lutar pela promoção.
Divulgação/Botafogo F. R.





Campeão da Taça Guanabara, o Botafogo é o franco favorito ao título da Série B (Foto: Vítor Silva/SS Press)


O Rubro-Negro de Salvador, por sua vez, tentará apagar a má impressão deixada no Campeonato Baiano, onde acabou eliminado pelo Colo Colo, em pleno Barradão, pelo placar de 2 a 0 – após ter vencido em Ilhéus por 2 a 1. Os leoninos, que também saíram precocemente do Nordestão, não disputavam a Série B desde 2012, quando conseguiram o acesso na quarta colocação. Goiás, Criciúma e Atlético-PR foram igualmente promovidos na respectiva temporada.

A rivalidade na segunda divisão, no entanto, não será exclusividade dos clubes baianos. Responsáveis por protagonizar o Clássico das Emoções, Náutico e Santa Cruz também lutarão pelo retorno à Série A. A julgar pelo início de temporada, a Cobra Coral sai em vantagem, visto que faturou o Campeonato Pernambucano diante do surpreendente Salgueiro. O Timbu, de Lisca, sequer chegou às semifinais estaduais, amargando a lanterna do Hexagonal do Título.

Diferente da edição anterior, a Série B voltará a ter um representante da região Norte: o Paysandu, vice-campeão da terceira divisão de 2014 – derrotado pelo ascendente Macaé na decisão. O Papão da Curuzu também buscará a recuperação no torneio interestadual, visto que ficou fora de duas competições onde tinha a condição de favorito: o Campeonato Paraense, conquistado pelo rival Remo, e a Copa Verde, onde o Azulino de Belém tem o título encaminhado, já que superou o Cuiabá, por 4 a 1, no jogo de ida, em casa.

Reprodução/Facebook



Com o Paysandu, do experiente Souza, a Série B do Brasileiro volta a ter um representante nortista. Curiosamente, em 2015, o número de representantes da região Sudeste se iguala aos times nordestinos: oito para cada lado. Os 16 se juntam com dois sulistas (Criciúma e Paraná) e dois do Centro-Oeste (Atlético-GO e Luverdense) na formação dos postulantes ao acesso.


Confira a análise das 20 equipes que disputarão a Série B do Campeonato Brasileiro:

ABC


O ABC chega ao torneio tendo amargado a derrota na final potiguar para o rival América, que disputará a terceira divisão nacional, em pleno Frasqueirão. Entretanto, para apagar a mancha e surpreender na competição, o Elefante deposita suas fichas em um técnico que protagonizou um grande feito em 2014: responsável por guiar o Macaé ao título inédito da Série C, Josué Teixeira terá que mostrar poder de recuperação na sequência de seu trabalho à frente do Mais Querido.

Na tarefa de superar o revés que custou o troféu estadual, a formação alvinegra de Natal aposta em atletas com experiência na disputa da Série B, como o goleiro Saulo (ex-Sport), o volante Rafael Miranda, com passagem recente pelo Bahia, e o atacante Fabinho Alves, que conquistou o acesso inédito à elite com a Chapecoense, em 2013. Kayke, que realizou uma boa segunda divisão na temporada passada, defendendo o Atlético-GO, também é uma das esperanças abecedistas. O dianteiro já balançou 12 redes nesta temporada.

AMÉRICA-MG

Tímido no Estadual, sem sequer ter chegado às semifinais, o América-MG está longe de ser o forte clube de 2014, que deixou o acesso à elite escapar por escalar o lateral esquerdo Eduardo irregularmente em quatro oportunidades. Procurando um homem-gol, posição carente desde a negociação de Obina para o futebol asiático, o Coelho acertou a contratação do atacante Cristiano, um dos destaques da Caldense, vice-campeã mineira.

A expectativa fica a cargo do experiente técnico Givanildo Oliveira, que terá a difícil missão de dar liga a um elenco inferior tecnicamente ao da temporada passada. Dentre os atletas de confiança no plantel americano, estão os experientes Leandro Guerreiro, volante com passagem por Botafogo e Cruzeiro, e Mancini, meia que já defendeu Atlético-MG e Roma-ITA. Bryan, Thiago Santos e Felipe Amorim também são um dos pilares da formação de Belo Horizonte.
Divulgação/América Mineiro





O experiente meia Mancini, que já defendeu a Roma-ITA, é um dos destaques do América-MG em 2015

ATLÉTICO-GO

Após decepcionar no Campeonato Goiano, onde sequer conseguiu avançar ao estágio mata-mata, o Atlético-GO trabalha forte para trazer reforços. Um dos pólos procurados pelo Dragão para firmar aquisições foi o Londrina, campeão do interior paranaense. Do Tubarão, vieram o volante Anderson e o atacante Arthur. O lateral Éder Sciola, com passagem pelo São Paulo, também foi confirmado pela diretoria rubro-negra.

Atrás de um centroavante, o clube de Goiânia tem como pilares o experiente goleiro Márcio, ídolo da torcida e cobrador de faltas, o volante Pedro Bambu e o rodado atacante Juninho. No meio-campo, laboratório atleticano, as expectativas ficam a cargo de Recife, homem de contensão contratado junto ao Flamengo, e a dupla articuladora Zezinho (ex-Santos) e Thiago Primão.

BAHIA

O Bahia diminuiu a frustração de seus torcedores pelo vice-campeonato da Copa do Nordeste com o título baiano, conquistado em grande estilo diante do surpreendente Vitória da Conquista. Com um troféu em mãos, Sérgio Soares terá mais tranquilidade para trabalhar e lapidar o elenco tricolor, cujo trunfo se encontra no ataque. Curiosamente denominado como KGB, o trio ofensivo formado por Kieza, Léo Gamalho e Maxi Biancucchi é a arma soteropolitana para buscar o imediato retorno à elite.

Outra marca do Esquadrão de Aço é a mescla entre juventude e experiência. O setor defensivo, onde

Titi figura como conselheiro dos jovens Jean, Robson e Bruno Paulista, contrasta com a experiência
do meio-campo, que conta com os rodados Wilson Pittoni, paraguaio vice-campeão da Libertadores de 2013 pelo Olimpia, e Souza, ex-Palmeiras e Cruzeiro.


Felipe Oliveira/EC Bahia/Divulgação


O Bahia, do capitão Titi, faturou o Campeonato Baiano e diminuiu a dor da torcida pelo vice no Nordestão


BOA ESPORTE

Grande surpresa da edição passada, onde deixou o acesso inédito à elite escapar na última rodada, o Boa Esporte teve um início de ano irreconhecível. A Coruja perdeu a espinha dorsal vitoriosa de 2014 – como o meia Tomas, contratado pelo Botafogo, e o técnico Nedo Xavier, que seguiu para o Paraná – e quase foi rebaixado no Campeonato Mineiro. O desastre foi evitado graças a uma vitória improvável sobre o time titular do Atlético-MG, na última rodada, em Varginha, por 2 a 0, com gols de Gilson e Chapinha. Na Copa do Brasil, mais um fracasso: eliminação precoce para o Moto Club-MA, nos pênaltis, em Minas Gerais.

Sem uma base sólida e com poucos atletas experientes, a aposta tricolor é depositada na experiência de dois reforços recém-contratados: o goleiro Andrey, com passagens por Grêmio, Cruzeiro e Portuguesa, e o versátil Pirão, que já defendeu Ponte Preta, São Caetano e Criciúma. No grupo de remanescentes, se destaca Moacir, lateral com passagens por Corinthians e Sport, que agora milita no meio-campo.

BOTAFOGO

Clube a ser batido na Série B, o Botafogo, campeão da Taça Guanabara – o primeiro estágio do Campeonato Carioca –, aposta no entrosamento de seus atletas para retornar à elite sem sustos. Dentre os destaques da equipe montada por René Simões, além do goleiro Jefferson, convocado para defender a Seleção Brasileira na Copa América, figuram o zagueiro Renan Fonseca, o volante Willian Arão e os atacantes Rodrigo Pimpão e Bill.

Para reforçar o elenco, a Estrela Solitária manteve a política adotada no período pós-rebaixamento e não trouxe reforços de peso. Apenas contratações pontuais, envolvendo apostas de risco: casos dos meias Daniel Carvalho e Lulinha. Também chegaram em General Severiano o lateral esquerdo Pedro Rosa, destaque do Volta Redonda no Estadual, e o meia-atacante Guilherme Camacho, que se destacou no Grêmio Osasco Audax, equipe sem posições fixas dirigida por Fernando Diniz.

Divulgação/Botafogo F. R.


O meia Lulinha, que se destacou na base corintiana, é uma das apostas do Fogão (Foto: Vítor Silva/SS Press)

Na última Série B em que foi integrante (2003), o Botafogo, guiado por Levir Culpi, conseguiu a promoção sem sustos: depois de figurar na vice-liderança da primeira fase, com 41 pontos, atrás apenas do Palmeiras (47), o Alvinegro repetiu o segundo lugar no quadrangular final e encerrou o drama de seus torcedores, que podiam usufruir do estádio Caio Martins, em Niterói. Ficaram pelo caminho Sport e Marília.

BRAGANTINO

Rebaixado para a Série A2 do Campeonato Paulista e eliminado na segunda fase da Copa do Brasil, o Bragantino aposta na parceria com o Corinthians para não amargar outro descenso. O técnico do Massa Bruta será Osmar Loss, ex-comandante do Timão sub-20, e o jovem gaúcho trouxe consigo reforços de confiança, com quem já trabalhou no Parque São Jorge: o zagueiro Pedro Henrique, o meia Zé Paulo e o atacante Gustavo Tocantins. O trio já recebeu oportunidades na equipe profissional paulistana.

Dentre os remanescentes da má campanha no Estadual, se encontram o goleiro Lauro, ex-Internacional, Ponte Preta e Portuguesa, o zagueiro Fernando, o lateral esquerdo Pará, o volante Graxa e o atacante Diego Maurício, apelidado de Drogbinha quando despontou para o futebol defendendo o Flamengo.

CEARÁ


Após conquistar a Copa do Nordeste, derrotando o Bahia na final, o Ceará deixou o título estadual escapar para o rival Fortaleza nos últimos minutos de partida. Porém, o bem encaixado Vozão é um dos favoritos para brigar pelo acesso. O trunfo está no setor ofensivo: ainda que tenha perdido o veterano atacante Magno Alves, de 39 anos, para o Fluminense, o Alvinegro conta com Assisinho, Marcos Aurélio e William Batoré.

Um dos destaques da equipe dirigida pelo técnico Silas, o meia Ricardinho deve deixar a formação de Porangabuçu. O articulador negocia com o Vitória, rival cearense na Série B, e pode deixar o setor de criação carente. Caso a saída se concretize, Eloir e Wescley apareceriam como reservas imediatos.


Divulgação/Ceará S.C.


Campeão da Copa do Nordeste, o Ceará é um dos favoritos ao acesso à elite (Foto: Christian Alekson)

CRB

Após confirmar seu favoritismo sobre o Madureira, nas quartas de final da Série C passada, o CRB garantiu o retorno ao segundo estágio do futebol nacional e chega embalado para a competição: o Galo da Pajuçara conquistou, na última quarta-feira, seu 28º título estadual, ao superar o Coruripe, no estádio Rei Pelé, por 2 a 0.

Dentre os destaques da representação regatiana, estão o goleiro Júlio César, campeão da Copa do Brasil de 2004 pelo Santo André, o meia Morais, ex-Corinthians, e o centroavante Zé Carlos, grande nome do Criciúma em 2012, quando anotou 27 gols na Série B, estabelecendo o recorde da competição. A grande atuação lhe rendeu um contrato com o Changchun Yatai, da China.

Na lista dos reforços anunciados para a segunda divisão, estão Gerson Magrão, volante com passagens por Cruzeiro e Santos, o meia Leandro Brasília, ex-Ceará e Mirassol, e o atacante Pingo, que já defendeu os rivais ABC e América-RN. O lateral esquerdo Hyago, por sua vez, foi contratado junto ao BK Haken-SUE, clube onde atua o zagueiro uruguaio Diego Lugano, ídolo são-paulino.

CRICIÚMA


A aposta do Criciúma para retornar à elite nacional é o técnico Moacir Júnior, que realizou bom início de Série B à frente do América-MG na temporada passada. O comandante tem como pilares o zagueiro Fábio Ferreira, o meia Cleber Santana e os atacantes Lucca e Neto Baiano. O último, contratado junto ao Vitória, vem para disputar posição com o jovem Bruno Lopes.

Além de Bruno Lopes, a representação carvoeira deposita suas fichas no potencial de outras joias lapidadas na base tricolor: casos de Iago Maidana (zagueiro), Barreto (volante) e Vítor Michels (meia). Por sua vez, o lateral Danilo Tarracha, contratado pelo demitido dirigente Raimundo Queiroz, deve deixar o clube. O defensor ainda não correspondeu às expectativas da comissão técnica, mesmo sendo cotado para assumir a titularidade no setor direito.

LUVERDENSE

Após amargar eliminações no Campeonato Mato-Grossense e também na Copa Verde, o Luverdense chega em baixa para a disputa da Série B. Por causa do mau início de ano, a diretoria tratou de reformular o elenco e trouxe nomes como os meias Deyvid Sacconi (ex-Palmeiras) e o atacante Luiz Eduardo, destaque da Caldense, vice-campeã do Mineiro. O camisa 90 da Veterana anotou oito gols, figurando no segundo lugar da artilharia estadual.

Contudo, a torcida de Lucas do Rio Verde pode se apoiar em alguns ídolos para sonhar com a permanência e, quem sabe, lutar por algo a mais na segunda divisão. Casos do lateral direito Raul Prata, do volante Júlio Terceiro e do técnico Junior Rocha, presentes na campanha do acesso inédito à Série B. O atacante Ciro, com passagens por Sport e Fluminense, é a esperança de gols.


Divulgação

O atacante Ciro, que se destacou no Sport e passou pelo Fluminense, é a esperança de gols do LEC

MACAÉ


Para a primeira Série B de sua história, o Macaé vem reformulado. O Alvianil praiano perdeu ícones do acesso inédito – como o goleiro Milton Raphael, o atacante Juba e o técnico Josué Teixeira – e terá que construir uma nova base de confiança. Dentre os principais remanescentes da campanha histórica, que terminou com o título inédito da Série C, estão os zagueiros Filipe Machado e Douglas Assis e os volantes Gedeil e Dos Santos.

No gol macaense, segue o experiente Ricardo Berna, titular no Estadual. Brinner, ex-Botafogo e Paraná Clube, é uma das apostas para o setor defensivo. Por sua vez, o centroavante Anselmo, com passagens por Palmeiras e Atlético-GO, chega para disputar o posto de camisa 9 com Pipico, rodado no futebol carioca. A formação litorânea ainda procura reforços para brigar na parte de cima da classificação.

MOGI MIRIM

Guiado à Série B por Claudinho Batista, o Mogi Mirim decidiu demitir o emergente treinador, que não conseguiu a classificação para a segunda fase do Campeonato Paulista, e depositou suas fichas em Edinho, filho de Pelé, para o posto de comandante. A aposta no potencial do ex-goleiro, que debutará na ardilosa função, pode custar caro ao Sapão.

O clube presidido por Rivaldo trouxe como principal reforço o zagueiro Nailson, cria da base santista e conhecido de Edinho. A formação mogimiriana, que ainda busca aquisições no mercado, tem esperanças no entrosamento de um trio que conquistou o título da última segunda divisão com o Joinville: Edson Ratinho, Franco e Hygor. Dentre os nomes consagrados pela torcida, figuram o volante Magal, o meia-atacante Thomas Anderson, o atacante Rivaldo Junior, filho do mandatário, e o centroavante Magrão.

Curiosamente, o Sapão também traz em seu elenco outro atleta de linhagem familiar à diretoria: o meia Romildo Neto, cujo avô dá nome ao estádio (Romildo Vitor Gomes Ferreira). O recifense de 17 anos é sobrinho de Rivaldo. 

Divulgação


Pai de Edinho, o Rei Pelé recebeu a camisa do Mogi Mirim e prometeu visitas ao estádio Romildão na Série B

NÁUTICO
Após um tímido estadual, o Náutico não trouxe grandes novidades para disputar a Série B. Com o orçamento contido e o técnico Lisca no comando, o Timbu, a princípio, brigará na parte mediana da tabela. Dentre as principais contratações do clube, está o veterano zagueiro Fabiano Eller, ex-Internacional, contratado junto ao Red Bull Brasil.

As demais aquisições de destaque do plantel alvirrubro são o zagueiro Ronaldo Alves, o volante Marino e o meia Hiltinho. A esperança da torcida está no entrosamento do setor de articulação, formado por Patrick Vieira e Bruno Alves. O ex-santista Stéfano Yuri é uma das opções para o ataque, cuja disputa segue acirrada: Josimar, Jefferson Nem e Renato pleiteiam a posição.

OESTE

Favorito ao título da Série A2 do Campeonato Paulista, o Oeste passou sufoco na competição e conseguiu o acesso apenas na última rodada, com um empate polêmico diante do Independente, em casa. A trajetória sem facilidade na segunda divisão estadual mostrou que o elenco do Rubrão precisa ser lapidado para a Série B nacional. Assim, Roberto Cavalo recebeu, prontamente, oito reforços, a maioria deles vinda do interior paulista.

Dos oito atletas, cinco foram adversários da Onça na segunda divisão paulista. Do Velo Clube, vieram o lateral Mizael, o volante Teco e o atacante Leleco. Da campeã Ferroviária, por sua vez, chegaram o defensor Paulo Henrique e o meia Renato Xavier. Dentre os nomes mais conhecidos, estão o articulador Branquinho, com passagens por Santo André e Bahia, e o atacante Marcinho, carrasco do Palmeiras no Paulistão de 2014, quando defendia o Ituano. Foi do dianteiro o gol que classificou o Galo às finais, eliminando o Verdão em pleno Pacaembu.

PARANÁ

Eliminado na Copa do Brasil pelo Jacuipense-BA e com campanha fraca no Estadual, o Paraná enxerga na Série B a válvula de escape para salvar a temporada. Para tanto, a diretoria anunciou um técnico acostumado a surpreender: o curitibano Nedo Xavier quase levou o surpreendente Boa Esporte à elite nacional por duas oportunidades, em 2011 e 2014, e agora terá a incumbência de trilhar o recomeço da Gralha.

Dentre os principais remanescentes, estão o goleiro Marcos, o zagueiro Luiz Felipe, volante Jean e o meia Lúcio Flávio, camisa 10 e ídolo paranista. O principal reforço apresentado até o momento é o volante Washington, com passagem por Joinville e Palmeiras.


Divulgação/Paraná C.


Nedo Xavier, que quase levou o Boa Esporte à elite em 2014, terá a responsabilidade de reconstruir o Paraná

PAYSANDU

Procurando apagar o mau início de ano, onde viu o rival Remo conquistar o Campeonato Paranaense e encaminhar o título da Copa Verde, o Paysandu apresentou reforços experientes para iniciar a Série B. Caso do goleiro Ivan, que conquistou a última edição da segunda divisão pelo Joinville, e o volante Fahel, com passagens por Botafogo e Bahia. O rodado centroavante Souza, artilheiro do Brasileirão de 2006 pelo Goiás, é a esperança de gols.

Ao passo que apresenta jovens apostas, como os atacantes Cláudio Leleu (ex-Atlético-MG) e Aylon, que defendeu o Internacional, o Papão conta com remanescentes acostumados a lidar com pressão, como os zagueiros William Alves e Dão, os volantes Augusto Recife e Radamés e o atacante Bruno Veiga. O lateral direito Yago Pikachu, querido pelos fãs bicolores, segue no plantel, que será comandado por Dado Cavalcanti.

SAMPAIO CORRÊA


Após perder o Campeonato Maranhense para a surpresa Imperatriz, o Sampaio Corrêa demitiu o técnico Oliveira Canindé às vésperas da Série B. Os mais cotados para assumir a prancheta do Tubarão são treinadores que surpreenderam durante os estaduais: Leonardo Condé, vice-campeão mineiro com a Caldense, e Itamar Schulle, que levou o Operário de Ponta Grossa ao troféu inédito, coroado com um triunfo expressivo de 3 a 0 sobre o Coritiba, em pleno Couto Pereira. Enquanto isso, o ídolo Arlindo Maracanã será o interino.

Em contexto de crise, a Bolívia Querida trouxe reforços rodados para se recompor, como o goleiro Renan Rocha, que estava no Botafogo-SP, o meia Alex Maranhão, contratado junto ao futebol egípcio, e o centroavante Jheimy, experiente na segunda divisão, onde teve passagens recentes destacadas por Boa Esporte e Oeste.

Dentre os remanescentes, destaque para o atacante Robert, o terceiro maior goleador do Brasil em 2014. O ex-palmeirense já balançou 15 redes na temporada, ficando atrás apenas de Rafael Oliveira (Botafogo-PB, com 17) e Max, do América-RN (16).

SANTA CRUZ

Sob o comando do ex-meio-campista Ricardinho, o Santa Cruz chega embalado à disputa da Série B. A Cobra Coral faturou o título estadual, diante do surpreendente Salgueiro, e se credencia como uma das equipes favoritas ao acesso. Dentre os pilares da equipe tricolor, se destacam o zagueiro Danny Morais, o volante Edson Sitta e o atacante Anderson Aquino, responsável por marcar o gol que garantiu o troféu pernambucano, no estádio do Arruda.

Bem no estadual, o goleiro Fred deve retornar à reserva, visto que Tiago Cardoso está em fase final de recuperação, após lesionar o joelho direito. Assim, Bruno, contratado junto ao Palmeiras, deve deixar a formação de Recife, ou então se contentar com o posto de terceiro arqueiro. Outro atleta que não possui a permanência assegurada é o centroavante Betinho, também com passagem pelo clube palestrino. 

Divulgação/Santa Cruz F.C.

O ex-meio-campista Ricardinho comandou o Santa Cruz na conquista do título estadual (Foto: Antônio Melcop)

VITÓRIA

Só uma boa trajetória na Série B pode salvar o ano do Vitória. A equipe foi eliminada no Campeonato Baiano para o Colo Colo, em pleno Barradão, e também não teve vida longa na Copa do Nordeste. Para se redimir, o esquadrão leonino aposta na permanência do técnico Claudinei Oliveira e na presença de atletas experientes. Um dos líderes do elenco é o meia Jorge Wagner, com passagens por Corinthians, São Paulo e Botafogo.

Também cumprem papel de conselheiro no elenco o meia argentino Escudero e o centroavante Elton. Os rodados dividem espaço com jovens apostas rubro-negras. Caso de Maracás (zagueiro), Mansur (lateral esquerdo) e José Welison (volante). O meia Ricardinho, um dos principais destaques do Ceará na conquista da Copa do Nordeste, pode ser anunciado. Porém, a negociação de Magno Alves com o Fluminense deve frear as tratativas com o Vozão.

Divulgação/E. C. Vitória

O experiente Jorge Wagner é uma das armas do Vitória para salvar o ano de 2015 (Foto: Felipe Oliveira)


Confira as partidas da primeira rodada da Série B, respeitando o horário de Brasília:
Sexta-feira

19h30 – ABC x Oeste
19h30 – Atlético-GO x Boa Esporte
21h00 – Paraná x Ceará
21h50 – Mogi Mirim x Criciúma

Sábado

16h30 – Vitória x Sampaio Corrêa
16h30 – Macaé x Santa Cruz
16h30 – América- MG x Bahia
16h30 – Náutico x Luverdense
21h00 – Paysandu x Botafogo
21h00 – CRB x Bragantino