segunda-feira, 15 de junho de 2015

Lateral deu volta por cima após levar tapa de Seedorf e 'baile' contra Fla





Gilberto surgiu no Botafogo com características bem definidas: grande aptidão no ataque, mas com certa deficiência na defesa. As boas jogadas ofensivas foram suficientes para que ele caísse nas graças da torcida em 2013, quando assumiu a titularidade da equipe por vários jogos. A história tomou uma reviravolta quando o jogador não aceitou uma bronca de Seedorf e brigou com o holandês em campo. Porém, foi na semifinal contra o Flamengo que tudo mudou.

Em agosto de 2013, o Botafogo encarou a Portuguesa, no Canindé. Após um lance, Seedorf deu uma bronca em Gilberto, que reagiu. O holandês cruzou o campo e foi em direção do lateral, que não se intimidou e chegou a ganhar um tapa no braço. No vestiário, o brasileiro procurou o camisa 10 e disse que isso jamais deveria se repetir, já que "nem meu pai me tocou".

Seedorf ficou decepcionado e lamentou a briga. Acreditava que Gilberto deveria ter aceitado a bronca e não reagido. Com o apelido de 'professor', o holandês tinha como objetivo orientar o jovem atleta a não levar cartões bobos, mas perdeu a paciência ao ser rebatido. Os jogadores tomaram partido de Gilberto, lamentando a atitude do camisa 10.

Em alta após a briga com Seedorf, Gilberto viu a casa cair alguns meses depois. Na semifinal da Copa do Brasil, contra o Flamengo, o jogador foi facilmente envolvido por Paulinho, que, ao lado de Hernane, foi o grande nome da goleada por 4 a 0 do rival sobre o Botafogo de Seedorf, Jefferson e cia.

Após esse jogo, Gilberto acabou marcado pela atuação. Acabou emprestado para o Internacional, onde ganhou a confiança do técnico Abel Braga. Foi titular por alguns jogos, mas perdeu posição para Claudio Winck e Wellington Silva. O treinador ainda queria sua renovação, mas não ficou no clube e o jovem atleta retornou a General Severiano para a disputa da Série B.

Logo em sua apresentação Gilberto disse que sua primeira temporada como profissional, em 2013, foi de aprendizado. Ele até mesmo citou o jogo com o Flamengo em sua primeira coletiva e disse que a temporada atual serviria para ele apagar isso da lembrança dos torcedores. Jogo por jogo, a missão está se concretizando.

Hoje ele é um dos principais jogadores do Botafogo na Série B, após grande Campeonato Carioca. As boas atuações lhe renderam uma convocação para a seleção brasileira que disputará o Pan-Americano, no Canadá, entre 10 e 26 de julho. O principal objetivo é estar nas Olimpíadas, o que tem grandes chances de ocorrer. Ainda mais se mantiver o nível do futebol apresentado nos últimos meses.

Bernardo Gentile
Do UOL, no Rio de Janeiro