quarta-feira, 10 de junho de 2015

Renovações de Willian Arão e Rodrigo Pimpão estão na pauta do Botafogo


Boa temporada faz os jogadores do time serem assediados por outros clubes


Rodrigo Pimpão recebeu proposta do Japão. Ele vem sendo um dos destaques do Botafogo na Série B - Divulgação/Botafogo

A boa temporada de dois jogadores que chegaram no Botafogo cobertos de desconfiança já tem despertado interesse de outros clubes. Willian Arão e Rodrigo Pimpão já foram procurados pela diretoria alvinegra para renovarem seus vínculos. Tanto o volante de 23 anos quanto o atacante de 27 anos têm contratos que se encerram em 30 de novembro. Com isso, desde 30 de maio, eles já podem receber propostas de outros clube, embora o Botafogo siga com a prioridade nas negociações.

Um representante do Shonan Bellmare, do Japão, chegou a conversar com Rodrigo Pimpão após a partida contra o Mogi Mirim, na última sexta-feira, no Estádio Nilton Santos. O atacante já atuou em dois clubes do país, Cereza Osaka e Omiya Ardija, do país, em 2011. Ele jogou ainda no futebol iraniano e sul-coreano. O técnico René Simões tenta dissuadir o jogador. Pimpão foi o autor do gol da vitória do Botafogo sobre o Oeste nesta terça-feira.

— Falei que lá tem terremoto, tsunami. Vai não, fica aqui no Botafogo — brincou René. — Tem coisas que não tem jeito. Se tiver que acontecer, mapeamos bem o mercado. Se alguém sair, temos que saber para onde correr. Tomara que não aconteça, mas se for bom para ele e para o clube...

RENAN NEGOCIA


Willian Arão talvez tenha ainda mais clubes interessados em seu futebol, especialmente por ser mais jovem. Depois de passagens por Portuguesa, Chapecoense e Atlético-GO, sempre emprestado pelo Corinthians, ele se tornou a principal referência no meio-campo do Botafogo, absoluto enquanto em outras posições houve um rodízio de jogadores.

Quem também tem proposta de renovação é o goleiro Renan, de 26 anos, titular imediato de Jefferson. Ele tem contrato com o clube até 31 de dezembro, e poderá receber propostas para outros clubes a partir do fim de junho. No ano passado, ainda com a antiga diretoria, o jogador viveu seu pior momento em General Severiano, quando pediu para não atuar, mas não conseguiu ser negociado.

— Estou analisando o que é melhor para mim e para o clube. Deixo bem claro que existe a possibilidade de ficar, mas também já falei algumas vezes que tenho o desejo de sair para jogar. No ano passado essa vontade era muito mais forte em mim, hoje, não tanto — afirmou o goleiro.

MACAÉ QUER JOGAR EM BRASÍLIA


Enquanto pensa em 2016, o clube lida com situações mais imediatas. Gegê, que esteve próximo de fechar com o Figueirense, não concluiu a negociação e segue no Botafogo. Já o meia Aírton, emprestado pelo Benfica até 30 de junho, não voltará a atuar enquanto sua situação não for resolvida. Como seu vínculo com o clube português vai ser encerrado, o alvinegro fez uma proposta para permanecer com o volante desde que ele aceite uma significativa redução salarial.

O Macaé negocia para levar o confronto contra o Botafogo, no sábado, 27 de junho, para o estádio Mané Garrincha, em Brasília. O alvinegro já atuou no local nesta Série B no empate sem gols com o Atlético-GO. A partida contra o Macaé inicialmente está marcada para o Moacyrzão.

POR O GLOBO