segunda-feira, 3 de agosto de 2015

Um mês, dois gols, sete jogos: Botafogo vive período de seca no ataque


Técnico Ricardo Gomes admitiu que poderá fazer mudanças no setor ofensivo




Neilton pode ganhar uma vaga contra o
Santa Cruz (foto:Wagner Meier/LANCE!Press)
"DNA ofensivo". O torcedor do Botafogo se acostumou a ouvir a expressão da boca de René Simões, que exaltava a fome de gols dos seus atacantes. Mas, depois da goleada por 5 a 0 sobre o Sampaio Corrêa, há exatamente um mês, a equipe alvinegra entrou numa seca sem fim. Afinal, foram apenas dois gols marcados em sete partidas, desde então. Sabendo disso, o técnico Ricardo Gomes já admite que poderá fazer mudanças na equipe titular para enfrentar o Santa Cruz, sábado, dentro do Arruda.

E para o setor ofensivo, Gomes tem opções das mais variadas. No meio de campo, ele pode optar pela experiência de Daniel Carvalho, a juventude de Gegê ou a versatilidade de Tomas - sem contar Elvis, que está em recuperação de uma lesão no tornozelo direito e ainda é dúvida para a partida.

Já mais na frente, as opções são o recém-contratado Neilton, o centroavante uruguaio Navarro, o garoto Vinicius Tanque ou Lulinha, que é o vice-artilheiro do time na Série B, com três gols - empatado com Luis Henrique e atrás do já negociado Rodrigo Pimpão, que tinha sete.

Titular diante do Luverdense, sábado, e primeira mudança de Ricardo Gomes na equipe que herdou de Jair Ventura, Diego Jardel acredita que o fato de a equipe ter sofrido diversas mudanças durante a temporada prejudicou a produção do Glorioso.

- Nossa equipe foi se remodelando dentro do campeonato, perdemos algumas peças importantes. Temos que dar crédito para os que ficaram. A responsabilidade não é dos moleques. É minha, dos jogadores mais experientes. Agora, o Ricardo tem uma semana cheia e vai fazer a equipe melhorar - disse o jogador.

Antes desta sequência ruim e com poucos gols, o Botafogo havia passado em branco em apenas duas partidas na temporada: na derrota por 1 a 0 para o Vasco, na primeira partida da final, e no empate sem gols com o Atlético-GO, pela terceira rodada da Série B do Campeonato Brasileiro.

Depois da goleada sobre o Sampaio, já foram cinco jogos sem balançar as redes adversárias: contra Ceará, Bragantino, Figueirense, Criciúma e Luverdense.

- Não vamos ter jogos fáceis. Não é porque é Luverdense ou Bragantino, com todo respeito a essas equipes, que o Botafogo vai atropelar. Precisamos nos reinventar e criar novas alternativas para sair desse bloqueio.



RADAR/LANCEPRESS! -LANCENET!