quinta-feira, 17 de setembro de 2015

O "astro", no banco: status se mantém, mas Luís Henrique atua menos


Com a estreia na 10ª rodada, contra Sampaio Corrêa, atacante atuou sete partidas como titular na sequência. Com Ricardo, foram apenas duas. Hoje, é reserva




A "estrela" Luis Henrique brilhou contra o Sampaio Corrêa,
 quando estreou e marcou dois gols (Foto: Vitor Silva / SSPress)
Luís Henrique teve um começo avassalador. Na distante 10ª rodada, o garoto da base do Botafogo fez sua estreia no profissional, marcando logo dois gols contra o Sampaio Corrêa, encantando clube e torcida. Este primeiro jogo foi o cartão de visitas para que fosse logo "contratado" ao time principal. Vieram mais seis jogos na sequência, em que foi titular - somando sete, ao total. Atuou por todo o período final de René Simões e nos três jogos de Jair Ventura como interino. Ao assumir a equipe, contra o Luverdense, na 16ª rodada, Ricardo Gomes manteve o time que vinha sendo utilizado - com exceção da troca de Gegê por Diego Jardel. Mas logo mudou-a. E Luís Henrique foi para o banco.


É verdade, porém, que o Botafogo ganhou peças no ataque que antes não possuía. Neilton e Navarro passaram a formar a dupla de frente. E funcionaram muito bem. Luís Henrique ganhou nova chance apenas contra o Paysandu, na primeira lesão do uruguaio (estiramento na panturrilha direita). Depois, nas lesões seguintes de ambos, Sassá cresceu e conquistou a vaga. No entanto, era o único atacante de ofício em campo. Ricardo testou, primeiro, Lulinha mais à frente. No último jogo, contra o Oeste, foi a vez de posicionar Elvis mais próximo de Sassá. E a "joia" alvinegra conquistou suas oportunidades apenas no segundo tempo, de algumas partidas. Contra o Vitória, sequer chegou a ser relacionado para viajar com o grupo.

Luís Henrique no Botafogo:
Da 10ª à 16ª rodada: titular
17ª rodada: banco de reservas
18ª rodada: entrou aos 33 do 2ºT
19ª rodada: entrou aos 28 do 2ºT
20ª rodada: titular
21ª e 22ª rodada: banco de reservas
23ª rodada: não foi relacionado
24ª rodada: entrou aos 23 do 2ºT
25ª rodada: entrou aos 16 do 2ºT
26ª rodada: entrou aos 17 do 2ºT


- Jogo passado também foi assim. Sassá joga do lado e como ponta, centroavante. Luís Henrique está bem. Mas optei pelo Sassá. É opção - explicou Ricardo Gomes após o empate em 1 a 1 com o Oeste, nesta terça-feira.


Para o Botafogo enquanto clube, porém, Luís Henrique segue valorizado. Seu status se mantém. Quase como um "astro" mesmo. Rapidamente, o atacante tornou-se garoto-propaganda. Foi ele o responsável por cantar o "parabéns a você" no aniversário do futebol do Botafogo e fazer o último tour com os torcedores na sede de General Severiano. Foi ele também quem desfilou com a camisa principal no lançamento dos novos uniformes. Era dele a imagem que estampava a campanha do #pactoalvinegro. É ele quem representa o Botafogo no álbum de figurinhas do Campeonato Brasileiro. Tudo isso em um período em que já não era mais titular.


Logo quando surgiu, o alvoroço também foi grande. Duas semanas após sua estreia, o jogador recebeu um aumento salarial. O valor de sua multa rescisória foi modificado - passou de R$ 1 milhão para cerca de R$ 60 milhões. Ele assinou com um novo patrocinador pessoal, recebendo até mensagem de "boas-vindas" do francês Olivier Giroud, do Arsenal.

Luís Henrique foi o escolhido para apresentar o novo uniforme principal do Botafogo (Foto: Luciano Belford / SSPress)
Do "salvador da pátria" ao banco de reservas, o planejamento da carreira de Luís Henrique mudou. Afinal, o garoto tem apenas 17 anos e o Botafogo quer preservá-lo o máximo possível, sem pular etapas, buscando deixá-lo ainda melhor, focando no futuro. Minimizar sua pressão em campo é um dos pontos. Por isso, justificaria-se sua presença no banco de reservas.


- O Ricardo fala muito sobre isso (ficar no banco) e eu entendo ele. É um técnico muito estudioso. Apesar de ele ter ficado quatro anos fora (recuperando-se do AVC sofrido em 2011), sabe o que faz e confio nele. O que achar melhor para mim, se for começar entrando, ficando no banco, vou entender. Faz parte da minha formação - disse Luís Henrique após o jogo contra o Oeste.

Luís Henrique e o #pactoalvinegro: atacante vira
"garoto-propaganda" em série de ações no
Botafogo (Foto: Reprodução/Instagram)
Na partida contra o Mogi Mirim, na penúltima rodada, realizada no estado natal do atacante, Espírito Santo, o garoto entrou em campo no segundo tempo e pode marcar o terceiro gol da vitória por 3 a 0 - ele não marcava desde o jogo contra o Bahia, na 14ª rodada. Foi de pênalti. E o atleta mostrou personalidade, ao cobrar com uma cavadinha. Ricardo Gomes, no entanto, pediu cautela. E, ao fim do jogo, afirmou que iria conversar com ele.


- Em um 0 a 0 não pode fazer. Em um 1 a 0 também não. Agora, em um 2 a 0, podemos conversar. Não vou chamar a atenção, mas vou conversar com o Luís Henrique. Ele ainda está em formação, tem 17 anos e mostrou muita personalidade. Ele entendeu que como estava 2 a 0, ele poderia correr esse risco - falou o treinador.


Sua qualidade técnica lhe rendeu uma vaga para a disputa do Mundial Sub-17 com a seleção brasileira. Durante pouco mais de um mês - no caso do Brasil chegar até a final -, Luís Henrique ganhará uma forte experiência, que poderá lhe ajudar no Botafogo. Porém, há também o lado negativo: desfalcará a equipe alvinegra por sete rodadas. O atacante se apresentará à Seleção em 28 de setembro e a final do campeonato é 8 de novembro. Com isso, se o Brasil for finalista, Ricardo Gomes não poderá contar com o jogador contra Sampaio Corrêa, Ceará, Bragantino, Náutico, Bahia, Criciúma e Luverdense (marcado para 10 de novembro).

Por Jessica Mello Rio de Janeiro/GE