sexta-feira, 11 de março de 2016

Paciente, Ricardo Gomes confirma Salgueiro no ataque: "Veio para jogar"


Treinador mostra calma com o rendimento do uruguaio e diz que ele vem melhorando a parte física. Defesa é elogiada, principalmente após entrada de Emerson




Ricardo Gomes entrevista Botafogo
(Foto: Divulgação Botafogo)
Principal contratação do Botafogo para a temporada, Salgueiro vem tendo um tratamento especial e, claro, contando com a confiança do técnico Ricardo Gomes. Tanto que após o treino da manhã desta sexta-feira, em General Severiano, o comandante fez questão de mostrar paciência com o rendimento do uruguaio, que, segundo ele, está melhorando fisicamente e vem se adaptando ao estilo de jogo do futebol brasileiro.


- Espero que ele jogue bem. Teve a infelicidade do pênalti, mas foi bem no primeiro tempo da partida. Ele é um bom jogador, tem qualidade técnico e está aprimorando a parte física. O Salgueiro veio para jogar. Claro que vai depender do rendimento para permanecer na equipe e dar esperança aos torcedor do Botafogo.


Quanto ao clássico diante do Fluminense, domingo, às 18h30 (de Brasília), no Raulino de Oliveira, em Volta Redonda, Ricardo Gomes reconhece que o momento do Tricolor é outro com a chegada de Levir Culpi. Mesmo assim, confia em uma boa apresentação do time, que vem recebendo muito bem sua ideia de jogo.


- O Fluminense vem em um momento diferente. Acho que vai ser um jogo diferente, mas que o resultado seja o mesmo. Sempre tem estratégia nova, mas se vai funcionar eu não sei. Pela semana que tivemos, estou mais confiante. Acho que vamos brigar. Essa semana vi vários movimentos sem nenhuma ordem o que mostra um entendimento natural dos jogadores.


Identificação dos técnicos

- O Levir Culpi tem uma bela história no Batafogo e eu como jogador do Fluminense, mas isso vai até o apito inicial do árbitro.

Melhora do sistema defensivo

- Hoje a parte defensiva começa no primeiro atacante. Todo esse trabalho, assim como para jogar, precisamos de um bom atacante que marca. Começa lá na frente.

Emerson

- Um time que joga bem, dificilmente vai ter um zagueiro que não sabe jogar. Ele é um jogador diferente. Sabe jogar como volante, tem habilidade, velocidade e boa marcação. Mas é o início. Ano passado participou de apenas um jogo de titular e esperou a oportunidade. Começa o ano como titular e espero que fique, mas vai depender do rendimento. Na minha cabeça ele pode evoluir muito mais.

Boa relação com o grupo

- Isso é a condição primeira para você ter um bom controle do grupo. Não tem outra forma. Agora se as vitórias não vierem fica difícil. Derrota traz desconfiança e você perde o controle.

Manter rendimento
- Quando a gente entra em uma competição se conhece o regulamento. Não estou olhando para a tabela, mas sim pela qualidade do jogo. Para mim é muito importante.

Airton

- Minha ideia é que ele pense só em jogar futebol e que controle o meio. O conheci como adversário no Flamengo em 2009. Agora estamos tentando reencontrar esse jogo. A cabeça dele está entendendo o trabalho e é o responsável pelo rendimento. Tem as qualidades necessárias para isso.

Busca por atacante


- Já falei isso. Vamos pensar em reforçar. Esperava 15 dias, mas o negócio não está fácil para ninguém. Vamos esperar mais tempo.

Por Felippe Costa e Pedro Venâncio/Rio de Janeiro/GE