segunda-feira, 9 de maio de 2016

Preocupado com assédio, Botafogo oferece renovação de contrato a Carli


Em encontro com o agente do argentino, nesta segunda-feira, gerente Antônio Lopes expõe o desejo do Alvinegro em estender o vínculo do zagueiro até o fim de 2018



Joel Carli não tem propostas para sair, mas o Botafogo decidiu se antecipar a um possível assédio. A boa fase do argentino aliada aos rumores de possível interesse de outros clube fizeram o Alvinegro procurar os representantes do jogador para oferecer um novo vínculo até 2018.

A reunião aconteceu nesta segunda-feira, em General Severiano, com a participação do gerente de futebol, Antônio Lopes, e do empresário do jogador, Diogo Martins. No encontro, Lopes expôs o desejo do clube em prolongar o vínculo de Carli e ofereceu um novo acordo, com aumento salarial. O argentino tem contrato com o Botafogo até dezembro de 2017.

Botafogo quer contar com Carli até o fim de 2018 (Foto: Armando Paiva/Agif/Estadão Conteúdo)

- Estamos analisando a proposta, ainda não tive a oportunidade de encontrar pessoalmente o Carli, mas vamos analisar nos próximos dias. Foi bom, foi uma primeira conversa. Não temos pressa até porque o Carli tem contrato até o fim do próximo ano. E a intenção dele e a do Botafogo é que ele cumpra esse contrato – revelou o agente do jogador, Diogo Martins, da Dale Esportes Consultoria e Gestão.

Carli chegou ao Botafogo no início do ano e não demorou a conquistar espaço. Logo, tornou-se o xerife da zaga alvinegra e marcou dois gols no Campeonato Carioca. Nos últimos dias circulou a informação de que o Flamengo estaria analisando uma oferta pelo argentino. Diogo negou e garantiu que a ideia é que Carli siga em General Severiano.

- Não houve nenhum contato formal ou informal por parte do Flamengo. Temos um bom relacionamento com a diretoria do Flamengo, mas não houve contato, e o Carli tem contrato com o Botafogo. A nossa intenção é que ela cumpra essa vinculo.

Joel Carli, de 29 anos, disputou 13 partidas pelo Botafogo e marcou dois gols. A multa rescisória do argentino é de R$ 8 milhões para o mercado nacional e 2 milhões de Euros para clubes do exterior.


Fonte: GE/Por Marcelo Baltar/Rio de Janeiro