domingo, 11 de setembro de 2016

Jair Ventura valoriza vitória do grupo: "Quem entra vem dando conta"


Com desfalques e improvisações diante do Cruzeiro, técnico comemora quebra de tabu com vitória por 2 a 0 no Mineirão: "Resultado importantíssimo"




Mesmo com desfalques e improvisações realizadas diante do Cruzeiro, o Botafogo brecou a boa fase da equipe mineira - que vinha de três vitórias seguidas - e quebrou um longo tabu sem vencer no Mineirão. Após o 2 a 0 (veja os melhores momentos no vídeo acima), inclusive, o técnico alvinegro Jair Ventura fez questão de parabenizar os seus comandados, que tiveram que se adequar às necessidades para conseguirem resultado positivo em Belo Horizonte.


- Resultado importantíssimo. Estava olhando agora, tinha 19 anos que o Botafogo não ganhava aqui. Isso mostra a força do grupo, do nosso trabalho, a importância de todos. O treinador sempre tenta ter o grupo mais homogêneo, mas é difícil. Quem entra vem dando conta. Os resultados estão aparecendo por isso. Quatro desfalques novamente, contra o Cruzeiro completinho, Fluminense também... o sonho de todo treinador é repetir a equipe, mas quando não é possível tem que ir se adequando. Cabe ao treinador achar a melhor maneira de jogar. A vitória hoje foi do grupo, de muito trabalho. Parabenizar todo mundo, com os pés no chão - disse em entrevista coletiva após a partida.


Veja outros trechos da entrevista:

Jair Ventura durante Cruzeiro x
Botafogo no Mineirão (Foto: TELMO
FERREIRA/FRAMEPHOTO)
O QUE FALOU NO INTERVALO?
Vi um jogo muito equilibrado. O Cruzeiro vem em ascensão, o Mano acertou o time, a gente sabia que ia ser difícil. Estávamos com quatro desfalques. Ajustamos algumas situações que estavam ocorrendo, eles entenderam bem, e conseguimos uma grande vitória para cada vez mais livrar da zona, que é nosso objetivo. Volto a falar, não á para pensar em G-4. Torcedor tudo bem, tem todo direito, mas nós aqui temos que ter pés no chão e pensar jogo a jogo.

SASSÁ
Sassá vai ser reavaliado. É nosso artilheiro, mas foi tudo muito rápido, ainda não tenho uma posição a respeito do Sassá, não.

CANALES
A gente nos bastidores fala que quando alguém faz gol nós ganhamos mais um jogador. A importância dele entrar foi em todos os setores. Todo jogador precida de confiança, atacante mais ainda. Nos treinos ele falava comigo: "Calma, "prof", eu vou fazer (gol)". De repente certa ansiedade acaba atrapalhando, agora vai ficar mais leve, tirar esse peso. É um jogador que vai ajudar muito a gente e eu conto com ele.

EFEITOS DA GOLEADA NA COPA DO BRASIL
Quando conversei com eles na preleção, falei: "Aquela coisa de vingança não". Qualquer sentimento ruim não é bom, tinha que tirar isso. E aquele placar foi elástico, mas quem viu o jogo sabe que foi atípico. Foram dois gols contra, a gente perdeu um jogador no final, teve o pênalti que não sei se foi... A gente sabia que não era o normal do nosso time. A desconfiança fica do vestiário para lá, dentro não. Sabia que ia ser difícil fazer esse jogo aqui, mas armamos a nossa estrategia.

AIRTON
Não sei (se volta quarta), tem que ver. Ele vai ser reavaliado, ficou no Rio para tratar, mas espero que sim. O Airton vem jogando muito bem, mas também quero deixar registrado: que partida fez o Bruno e o Dudu hoje. Mostra a força do grupo.

NOVA FORMAÇÃO
Com três volantes o time vinha muito bem, mas se perder não adianta. O grande segredo do treinador é não ficar engessado a um sistema de jogo, não posso jogar só no losango, ou no 4-2-3-1, ou no 4-4-2... Eu tenho que fazer os jogadores entenderem vários sistemas de jogar. Por que essa opção de adiantar o Diogo? O Victor vinha muito bem e pediu espaço no time, então consegui um jeito de colocá-lo. A minha zaga está invicta, não posso mexer, mas o Emerson estava voltando de suspensão e arrumei um lugar para ele também. A gente perdeu um pouquinho no meio de campo, mas ganhamos com dois externos. E o Cruzeiro usa muito os dois lados do campo, conseguimos neutralizar isso. O Neilton saiu até cansado. Falei: "Nei, vai no sei limite. Cansou a gente troca". A gente tem que ir 100% ou mais. Dentro do sacrifício para conseguir os objetivos.


Fonte: GE/Por Thiago Lima/Belo Horizonte