quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Atacantes voltam ao Botafogo pressionados por permanência em 2015



'Promessas' que nunca vingaram no futebol


Artilheiro na base do São Paulo, Henrique foi eleito melhor do Mundial sub-20 em 2011. Perdeu espaço no time paulista, foi negociado com o Vitória, passou pelo futebol espanhol, Sport e Botafogo. Quase foi para o Real Madrid B, mas o negócio não deu certo e o jogador acabou emprestado ao Bahia até o fim de 2014. Atualmente faz parte do elenco do Botafogo Divulgação/VIPCOMM

Dois jogadores vivem situação parecidas no Botafogo, após voltarem de empréstimos. Companheiros e concorrentes por uma vaga no ataque, Henrique e Sassá estão pressionados e precisam mostrar potencial rapidamente para provarem que têm condições de permanecerem no elenco do Alvinegro em 2015.

E o trabalho não será dos mais fáceis. Após um primeiro esboço, Henrique e Sassá ficaram fora do time titular, preteridos por Bil e Rodrigo Pimpão. A dupla, no entanto, foi a primeira opção entre os reservas e assumiram a vaga em uma segunda parte da atividade. Jobson e Tássio, por exemplo, ficaram apenas entre os reservas.

A missão mais complicada é de Sassá. Isso porque o contrato do atacante vai apenas até maio. Dessa forma, o jogador terá apenas o Campeonato Carioca para convencer a diretoria de que vale a apenas investir em uma renovação para o restante da temporada ou quem sabe até por mais algum tempo. Ele se destacou no Náutico, onde marcou nove gols em 22 jogos na Série B.

"Tive oportunidades no Botafogo. Dei uns moles. No Náutico, consegui encaixar uma sequência com gols. Espero não desperdiçar essa nova chance aqui. Estou feliz demais com essa oportunidade. Fiz seis meses muito bons no Náutico, e isso colaborou para a minha volta. Minha passagem pelo Náutico foi muito boa e me ajudou a amadurecer. Não conseguimos o acesso, mas individualmente foi muito bom pra mim, pois conseguir me destacar", disse o jogador.

Situação parecida vive Henrique. Ele chegou ao Botafogo em 2013 com contrato até 2016, mas até o momento não conseguiu mostrar o futebol que o tornou em uma promessa do futebol brasileiro – ele foi artilheiro da seleção brasileira sub-20 no Mundial de 2011. No início de 2014 ele até marcou uns gols, mas foi preterido e emprestado ao Bahia. Foram cinco gols no Alvinegro e quatro pelo Bahia, também rebaixado.

Se não convencer o Botafogo, Henrique deverá ser novamente emprestado, o que determinaria o fim do seu vínculo com o Alvinegro. O atacante mostra estar por dentro da atual situação e espera ao menos repetir o desempenho do início de 2014.

"Estava bem, mas acabei saindo. Eu era um dos artilheiros do time. Não entendi, mas aceitei. Se tivesse tido uma sequência, a tendência era melhorar. Não foi uma decisão minha, mas aceitei. Agora volto com muita vontade de ajudar e começar o ano bem com o título carioca. Volto mais experiente, mais vivido e com a cabeça um pouco melhor para ajudar o Botafogo a ganhar o Carioca e retornar à Série A", afirmou o ex-atacante do São Paulo.

O Botafogo ficará em Várzea das Moças até o dia 25, quando voltará e encerrará sua pré-temporada em General Severiano e no Engenhão. Até o primeiro jogo da temporada, o time fará três amistosos preparatórios. Um deles será no dia 24, contra o Shandong Lueng, time da China treinado pelo Cuca, no Engenhão. No dia primeiro de fevereiro, os comandados do técnico René Simões encaram o Boavista na estreia do Carioca.

Bernardo Gentile
Do UOL, no Rio de Janeiro