segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Na posse, Carlos Eduardo fala em transparência e "anos difíceis" no Bota


Durante cerimônia oficial, presidente afirma ainda não ter visto a "cor de nenhum centavo" no clube, mas se mostra esperançoso e festeja permanência de Jefferson




Presidente Carlos Eduardo Pereira foi empossado oficialmente
na noite desta segunda-feira no Botafogo (Foto: Sofia Miranda)
A cerimônia de posse do presidente Carlos Eduardo Pereira aconteceu nesta segunda-feira, na sede do Botafogo, em General Severiano. O mandatário foi eleito no fim de novembro, ao fim da gestão de Maurício Assumpção, e comandará o clube no triênio 2015/2016/2017. Em seu discurso, ele frisou que o trabalho da diretoria será feito com transparência e que nenhum dirigente levará vantagens próprias durante seu mandato.

- Infelizmente, o estrago nas contas do clube é maior do que poderíamos imaginar. As receitas serão poucas e ainda precisaremos de novos recursos. Vamos trabalhar duro. Ainda não vimos a cor de nenhum centavo no Botafogo. Estamos aguardando a liberação de alguns recursos. Nossa gestão se sustentará nos seguintes pilares: equilíbrio fiscal, transparência nas atividades, com todos os quadros do clube e com as outras chapas que concorreram nas eleições. Reitero que nenhum dirigente levará qualquer tipo de vantagem durante essa gestão. Não deixaremos impunes as pessoas que se beneficiaram - disse Carlos Eduardo Pereira.

Em seu discurso, o dirigente afirmou ainda que os próximos três anos podem ser os mais difíceis da história do Alvinegro, mas ressaltou a seriedade no trabalho da nova diretoria e a esperança por tempos melhores.

- Eu confesso que estou muito emocionado. É uma responsabilidade muito grande daqui para frente. É muito diferente, para quem usou esse microfone como oposicionista, hoje falar como um presidente eleito. É bacana. É muito bom ver General Severiano cheio de alegria e esperança. Acredito que voltará a ser assim. É muito especial para mim, que terei o privilégio de servir o nosso clube pelos três próximos anos, talvez os mais difíceis do Botafogo - afirmou.

Antônio Lopes e René Simões acompanharam a cerimônia de posse de Carlos Eduardo (Foto: Sofia Miranda)

O presidente disse que as medidas tomadas até agora podem parecer lentas, mas citou que há restrições e comemorou o acerto com Jefferson, que renovou até o fim de 2017.

- O mais importante é que a diretoria do clube não vem fazendo promessas levianas. Às vezes, somos criticados por parecermos lentos, mas fazemos as coisas de acordo com a nossa realidade. Tivemos na última sexta-feira o privilégio da permanência do Jefferson, nosso ídolo, goleiro titular da seleção brasileira. A negociação foi dura, mas chegamos a um bom termo - avaliou.

Os seguintes nomes assinaram o livro do Conselho Deliberativo durante a cerimônia de posse do novo presidente do Botafogo: Jorge Aurelio Domingues (presidente do Conselho Deliberativo), Anderson de Carvalho Simões (vice administrativo), Bernardo Santoro Pinto Machado (vice de finanças), Alvaro Costa de Paulo Antunes (vice de patrimônio), Domingos Fleury (vice jurídico), Antonio Carlos Mantuano (vice de futebol), Antonio Carlos Azevedo (vice de remo), Alexandre Brites (vice de esportes gerais), Marcio Padilha (vice social e de comunicação), Luis Fernando Carvalho dos Santos (vice executivo) e Nelson Muffarej (vice geral).


Por Sofia Miranda*Rio de Janeiro/GE
*Estagiária, sob supervisão de Jessica Mello.