sexta-feira, 31 de julho de 2015

Bota deixa "DNA ofensivo" de lado e marca dois gols nos últimos seis jogos


Ataque tem queda de rendimento, e time vence apenas uma partida neste período. Principais goleadores da temporada, Bill, Pimpão e Jobson já deixaram o clube



A queda de rendimento do Botafogo coincidiu com a falta de eficiência do ataque. Nos últimos seis jogos, o time marcou apenas dois gols e passou em branco em quatro partidas. No mesmo período, o clube carioca teve apenas uma vitória, no magro 1 a 0 contra o Náutico, no Estádio Nilton Santos.

Classificado pelo ex-técnico René Simões como um time com DNA ofensivo, o desempenho de frente do Botafogo desandou. No Campeonato Carioca, por exemplo, a equipe deixou de marcar gol em apenas um jogo, na primeira partida da decisão contra o Vasco. Agora, nos últimos seis jogos, a média foi de apenas 0,33 gol por jogo. 

Pimpão, Bill e Jobson: os goleadores da temporada deixaram o Botafogo (Foto: GloboEsporte.com)

- As equipes, quando jogam contra o Botafogo, vêm fechadas, preocupadas em se defender, buscando os contra-ataques. Temos nossas características, mas os adversários já conhecem bem o nosso time. Isso acaba dificultando cada vez mais. Também sofremos com muitas mudanças. Cabe a nós buscar uma saída e tentar escapar da marcação - disse Lulinha, autor do gol da vitória sobre o Náutico. 
 




O ataque foi o setor que teve mais perdas ao longo da temporada. Os três principais artilheiros da equipe no ano, por exemplo, já não estão mais no elenco. Jobson foi o primeiro a sair. O atacante, que fez seis gols em 2015, foi suspenso pela Fifa em abril por ter se recusado a realizar um exame antidoping no ano passado. Autor de 11 gols em 2015 e alvo de críticas da torcida, Bill recebeu uma oferta do futebol coreano e rescindiu. Vice-artilheiro da temporada (9) e principal goleador do Botafogo na Série B, com sete gols, Rodrigo Pimpão deixou o clube há dez dias e assinou com o Emirates Club.

A saída de Bill, artilheiro alvinegro na temporada, foi menos traumática por conta da ascensão do jovem Luís Henrique, de 17 anos. Logo na estreia, ele marcou duas vezes na goleada por 5 a 0 sobre o Sampaio Corrêa. Foi o último jogo com fartura de gols. Desde então, o Botafogo só voltou às redes em duas oportunidades, com o próprio Luís Henrique contra o Bahia, e com Lulinha contra o Náutico.

- Os atacantes que saíram fazem falta, mas os que estão aqui têm condições de suprir essas ausências. O Rodrigo Pimpão e o Bill estavam em excelentes fases. Mas chegaram novos jogadores buscando espaço. O (Álvaro) Navarro vem mostrando nos treinos que tem muita qualidade, e o Luís Henrique já provou que tem condições de vestir a camisa do Botafogo. Apesar de jovem, ele tem muita personalidade. Temos peças de reposição para dar sequência na Série B - garantiu Lulinha.





No momento, o Botafogo conta com cinco atacantes no elenco. Luis Henrique e Sassá devem formar a dupla de ataque na estreia de Ricardo Gomes, sábado, contra o Luverdense, no Estádio Nilton Santos. Além deles, o treinador deve relacionar o uruguaio Álvaro Navarro, que jogou apenas por alguns minutos no empate contra o Criciúma, e o jovem Vinícius Tanque, goleador alvinegro do Campeonato Carioca sub-20. Último reforço para o setor, Neilton já vem treinando, mas ainda não foi regularizado na CBF.

Por Marcelo BaltarRio de Janeiro/GE