terça-feira, 21 de julho de 2015

Botafogo se anima com saúde de Ricardo Gomes e tenta sintonia sobre salário


Último trabalho de Ricardo Gomes foi como diretor de futebol no Vasco ano passado (Marcelo Sadio/ site oficial do Vasco|)

A reunião na última segunda-feira com Ricardo Gomes animou a diretoria do Botafogo. Ainda em busca de um substituto para René Simões, demitido na última quarta, os dirigentes do Alvinegro gostaram das condições de saúde apresentadas pelo treinador, que está há quatro anos sem trabalhar na função devido a um AVC (Acidente Vascular Cerebral). Agora, resta chegar a um acordo com o técnico.

Para isso, o Botafogo aguarda uma resposta que Gomes ficou de dar até a próxima quinta-feira. Se topar voltar ao futebol neste momento, o treinador deve apresentar um projeto para o clube, o que inclui a sua pretensão salarial neste retorno. A expectativa do Alvinegro é que Ricardo peça menos que nos trabalhos anteriores por causa do tempo de afastamento.

"Ele ficou nos apresentar um projeto nos próximos dias, incluindo aí o aspecto salarial", explicou o presidente do Botafogo, Carlos Eduardo Pereira. "É uma questão de se avaliar o profissional do que o Botafogo está lidando. Um profissional de gabarito. Isso representaria uma fuga da nossa realidade, estamos conscientes disso", complementou.

A animação alvinegra aumentou após a reunião de segunda justamente porque Ricardo apresentou poucas sequelas do AVC sofrido em 2011. O grande obstáculo físico para o retorno do treinador no momento, inclusive, é outro: a recuperação do joelho operado pelo ex-zagueiro recentemente. Mas a expectativa é de que ele tope o desafio.

"Basicamente falamos sobre o Botafogo, sobre a saúde dele e a disponibilidade dele voltar a atuar. Vimos que ele está muito bem, não tem sequela maior [do AVC], nenhuma complicação grave. É mais a questão do joelho a dificuldade dele hoje. Vamos aguardar a resposta", contou Carlos Eduardo.

O treinador sofreu um AVC durante um jogo contra o Flamengo, no Engenhão, casa do Botafogo, em 28 de agosto de 2011. Foi atendido na beira do gramado. Depois, levado de ambulância para o hospital. A recuperação posterior permitiu que ele fosse diretor de futebol do Cruzmaltino dois anos depois, mas ele encerrou a passagem em fevereiro de 2014 com o objetivo de superar as últimas sequelas para retomar a carreira de técnico.

O nome de Ricardo Gomes cresceu em General Severiano nos últimos dias. Antes, Doriva era o mais cotado para assumir o cargo, além de outros nomes como Ricardo Drubscky e Marquinhos Santos. A possibilidade de contar com um treinador mais gabaritado apesar do pouco dinheiro disponível, no entanto, animou os dirigentes do Botafogo.

Rodrigo Paradella
Do UOL, no Rio de Janeiro