terça-feira, 23 de junho de 2015

Túlio receberá R$ 105 mil por projeto cancelado de gol 1.000 pelo Botafogo



Túlio e Botafogo cancelaram projeto do milésimo em 2013, em briga que está Justiça (Fernando Soutello/AGIF)

Em crise financeira, o Botafogo perdeu mais uma batalha judicial. Desta vez, é Túlio Maravilha que comemora vitória no tribunal. Tudo por causa de um projeto cancelado pela diretoria do clube em 2013 – o plano prometia que o ex-atacante faria o milésimo gol da sua carreira com a camisa alvinegra.

O Botafogo terá que pagar R$ 105 mil a Túlio, de acordo com decisão da 2ª Turma do TRT-RJ (Tribunal Regional do Trabalho do Rio de Janeiro) por não ter organizado os amistosos para que o jogador pudesse atingir tal marca.

Insatisfeito com a elaboração do projeto que o faria marcar o milésimo gol da carreira, de acordo com as suas contas, Túlio entrou com um pedido de R$ 1,5 milhão de indenização em 2013. A campanha foi uma promessa do então presidente alvinegro Mauricio Assumpção e contou com um contrato assinado em agosto do ano anterior.

O projeto "Túlio a mil – 7 gols de solidariedade" terminou com acusações entre jogador e dirigente. Sem a camisa do Botafogo, o atacante continuou sua saga pelo milésimo gol.

Em sua estreia pelo Araxá, na segunda divisão do Campeonato Mineiro, o artilheiro marcou de pênalti aos 29 minutos contra o Mamoré. O gol número 1.000 aconteceu em fevereiro de 2014.

Enquanto isso, Túlio Maravilha manteve ação judicial contra o Botafogo. E conseguiu nova vitória nesta terça-feira, ainda que por um valor abaixo da primeira decisão judicial. O colegiado do TRT reduziu a indenização, que em primeiro grau havia sido arbitrada em R$ 150 mil.

O TRT-RJ também reformou a sentença no que se refere ao reconhecimento do vínculo de emprego, por não estarem presentes todos os pressupostos da relação empregatícia (pessoalidade, habitualidade, onerosidade e subordinação jurídica). O Botafogo tem direito a entrar com recurso para invalidar tal decisão.

Do UOL, no Rio de Janeiro/GE