terça-feira, 23 de junho de 2015

Botafogo e Donizete chegam a acordo de R$ 4 mi, mas aguardam a Justiça


Atacante deve retornar ao Ato Trabalhista, mas não quer ir para o fim da fila. Decisão deve sair até a próxima semana, e clube vive a expectativa de ter conta desbloqueada



O impasse envolvendo o ex-jogador Donizete e o Botafogo, que resultou no bloqueio das contas do clube, está próximo do fim. O Botafogo chegou a um acordo com o ex-atacante, mas ainda depende da Justiça do Trabalho para que o acerto seja homologado. A expectativa é que o ex-atleta retorne ao Ato Trabalhista, e a verba de R$ 2 milhões referente aos direitos de transmissão seja liberada. Donizete cobra na Justiça uma dívida referente a pagamentos atrasados em sua época de jogador,

No novo acordo, Donizete receberá R$ 4 milhões – R$ 2 milhões a mais do que o acerto anterior. Outra exigência do ex-jogador é retornar ao antigo posto na fila de credores do Ato Trabalhista, uma vez que ele ingressou, pela primeira vez, em 2006. Donizete não quer voltar para o fim dela. E esse, por ora, é o último impasse. O acordo foi submetido, na semana passada, ao Tribunal Regional do Trabalho, mas o desembargador responsável avalia se os demais credores do Botafogo seriam prejudicados pelo fato de Donizete retornar na ao seu antigo lugar na fila.

Donizete, ao lado de Túlio, no lançamento do documentário sobre o título brasileiro de 1995 (Foto: Vitor Silva/SSPress)

- No pior cenário, esperamos resolver essa situação até a semana que vem. Já assinamos um novo acordo. O Donizete não aceita retornar ao fim da fila. Nesse novo acordo, teremos de desembolsar R$ 2 milhões a mais do que no original. Mesmo assim ainda é um bom negócio para o Botafogo, já que a dívida original já beira R$ 17 milhões. Vamos pagar cerca de um terço desse valor, e é bom para o Donizete, que deve receber esse valor dentro de um ano – disse o vice jurídico do Botafogo, Domingos Fleury.

Donizete deixou o Ato Trabalhista por conta de inadimplência da antiga gestão do Botafogo. Na Justiça, o ex-jogador conseguiu bloquear quase R$ 2 milhões da verba de direito de transmissão na conta do clube. Conhecido como Pantera, Donizete teve três passagens por General Severiano. Na principal delas, em 1995, foi um dos protagonista na conquista do título do Campeonato Brasileiro.

Por Marcelo Baltar Rio de Janeiro/GE