quarta-feira, 22 de julho de 2015

Jobson, René, baixas e renascimento: 4 episódios da nova família alvinegra


Roteiro do Botafogo na temporada tem início feliz, momentos dramáticos para jogadores importantes do elenco e oportunidade de afirmação de jovens da base


Há pouco menos de um mês, um dos assuntos mais comentados no Botafogo fora das quatro linhas era o "ambiente família" instalado por René Simões e abraçado pelo grupo. Porém, no meio da temporada, uma série de episódios fez com que a fase do Alvinegro mudasse: suspensão de Jóbson, dispensa de Marcelo Mattos, saída de Bill e demissão do treinador.

A missão do novo comandado, ainda não anunciado, é dar um novo rumo no roteiro oscilante da novela alvinegra na temporada. Até o momento, a responsabilidade está nas mãos de Jair Ventura. Medalhões foram substituídos por promessas da base, e reforços - dois deles uruguaios - chegaram para inchar o elenco.


EPISÓDIO 1: A QUEDA DE JOBSON

Jobson está fora do time alvinegro desde
o último Campeonato Carioca
(Foto: Reprodução TV Globo)
A aposta da diretoria e dos torcedores era de um novo Jobson, longe daquele marcado por polêmicas fora de campo. Os primeiros passos do atacante em 2015 superaram as expectativas. Mas quando tudo parecia estar certo para o meia-atacante, uma suspensão de quatro anos atrapalhou os planos.

Ele foi punido por ter se negado a fazer uma exame antidoping enquanto atuava no futebol da Arábia Saudita, em 2014. O afastamento do jogador foi a primeira pedra no caminho de René Simões.


EPISÓDIO 2: ADEUS, BILL E MATTOS!

Bill chegou a fazer nove gols no estadual,
 mas não repetiu a fase na Série B
(Foto: Vitor Silva / SSpress)
Apoio da torcida, entrosamento com os companheiros e nove gols no Campeonato Carioca. O ínicio da caminhada de Bill no Botafogo foi promissor, mas os problemas extracampo tiraram o foco do artilheiro, que deixou de ser xodó para se tornar alvo.

O caso de Marcelo Mattos foi diferente do atacante, mas não menos polêmico. Questionado por problemas físicos e perseguido pelos torcedores após o vice-campeonato estadual, o volante deixou a equipe criticando a postura da diretoria.


EPISÓDIO 3: FIM DA ERA RENÉ SIMÕES

René Simões deixou o Botafogo com 22
 vitórias, oito empates e oito derrotas
 (Foto: Vitor Silva / SSPress)
A saída de René Simões dividiu os torcedores. O próprio treinador pareceu surpreso com a decisão. Após a eliminação da Copa do Brasil para o Figueirense, com uma derrota por 1 a 0 no Estádio Nilton Santos, no último lance do jogo, René foi retirado do cargo, mas não saiu quieto. Em carta aberta, o até então comadante destacou que as metas traçadas com a diretoria estavam em dia - liderança da Série B do Brasileiro e boa campanha no estadual.

Os jogadores sentiram a demissão do treinador. Em entrevista ao GloboEsporte.com, Luis Ricardo, que cada vez mais se firma na lateral direita da equipe, admitiu que o grupo ficou chateado com a saída de René . Os números não eram ruins: 38 jogos, 22 vitórias, oito empates e oito derrotas.


EPISÓDIO 4: RENASCIMENTO

Joia Luis Henrique virou titular do time
 principal, por onde estreou com dois gols
 (Foto: Estadão Conteúdo)
Sem René e nomes importantes da equipe no primeiro semestre, o desafio de tornar o feliz o final da novela do Botafogo em 2015 está dividido entre o líder Jefferson, capitão e referência do grupo, e os meninos da base. Luis Henrique é o principal destaque, mas traz com ele Emerson, Diérson, Octávio, Fernandes, Sassá, Tanque e muitos outros.

Para completar a nova familia, a diretoria correu atrás de reforços. O treinador Jair Ventura, que assumiu a equipe interinamente, terá à disposição os uruguaios Bazallo e Navarro, além dos volantes Rodrigo Lindoso, ex-Madureira, e Serginho, que já treinou entre os titulares.

- O Campeonato Carioca foi muito bom, os jogadores foram bem, mas estamos em uma nova fase. Temos que ter atenção. Temos um grupo jovem, de muita qualidade. A diretoria correu atrás de reforços de qualidade para ajudar o Botafogo. O Jair já disse que vai jogar quem estiver melhor, agora é trabalhar - destacou Lulinha, um dos que buscam espaço no time.


Por Igor Rodrigues*Rio de Janeiro*Estagiário, sob a supervisão de Thiago Lima/GE