quinta-feira, 16 de julho de 2015

Técnicos demitidos por rivais em 2015 viram solução para crise do Botafogo



Algoz do Botafogo no Estadual, o ex-técnico do Vasco Doriva é um dos nomes cotados (Paulo Fernandes/Vasco.com.br)

O rodízio de treinadores entre os grandes clubes brasileiros pode ser surpreendente. Menos de dois meses depois de comandarem os rivais Vasco e Fluminense, respectivamente, os técnicos Doriva e Ricardo Drubscky estão na mira do Botafogo. O Alvinegro demitiu René Simões na última quarta-feira após eliminação na terceira fase da Copa do Brasil diante do Figueirense.

O preferido da diretoria alvinegra até aqui é Doriva. Curiosamente, o treinador foi o algoz do Alvinegro na final do último Campeonato Carioca, quando conquistou o torneio pelo Vasco. Ele, no entanto, acabou demitido há menos de um mês do Cruzmaltino após péssima sequência inicial no Campeonato Brasileiro.

Já o outro candidato, Ricardo Drubscky, está sem clube desde o dia 20 de maio, quando foi demitido pelo Fluminense. Ele comandou o Tricolor por apenas oito jogos e não agradou muito nas Laranjeiras, mas chegaria ao Botafogo com prestígio por ter trabalhado com o diretor de futebol Antônio Lopes no passado e contar com a confiança do dirigente.

Mesmo já tendo começado a mapear os possíveis substitutos para René Simões, o Botafogo diz não ter pressa para contratar um treinador. O Alvinegro quer dar o 'tiro certo' na escolha, até pela importante missão de levar o Alvinegro de volta à Série A. Além disso, o clube tem orçamento bastante restrito para o cargo.

"Não tem prazo, eu já recebi aí mais de 1.500 mensagens no Whatsapp, e-mails, de indicações de treinadores que estão empregados e desempregados. Não vamos nos apressar demais para não errar na contratação", disse Antônio Lopes, que traçou o currículo desejado para a posição.

"Que seja bastante competente, tenha um bom currículo e também personalidade", detalhou.

Os dois nomes também são vistos positivamente por estarem próximos da realidade financeira do Botafogo. O clube passa por dificuldades e não pode arcar com treinadores mais valorizados, casos de Cuca e Oswaldo de Oliveira, por exemplo.

Apesar do momento delicado, o Botafogo lidera a Série B do Campeonato Brasileiro. A vantagem que detinha na posição, no entanto, foi pulverizada nas últimas rodadas. Mesmo na ponta, o Alvinegro tem o mesmo número de pontos que o quarto colocado: 24 em 12 rodadas.

Rodrigo Paradella
Do UOL, no Rio de Janeiro